IPCA
0.11 Ago.2019
Topo

Finanças pessoais


Vai começar a investir? Veja que parcela da renda você deve poupar

Getty Images/	sorbetto
Imagem: Getty Images/ sorbetto

Vinícius Pereira

Colaboração para o UOL, em São Paulo

19/07/2019 04h00

Investir não é um hábito destinado exclusivamente às pessoas ricas, que podem poupar grandes quantias. Qualquer que seja a sua renda, se você conseguir poupar um pouquinho todo mês, já consegue investir e fazer o dinheiro render.

O primeiro passo, segundo especialistas ouvidos pelo UOL, é definir quais são seus objetivos, pois isso é fundamental para ajudá-lo a focar nos investimentos.

"Quem quer investir parte dos ganhos precisa pensar: o que eu quero realizar, em quanto tempo eu quero e quanto isso custa. Aí, sim, deve definir quanto pode guardar e de onde vai tirar o dinheiro", afirmou Reinaldo Domingos, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin).

Se não houver uma "sobra" no orçamento, a saída, segundo ele, é cortar gastos que não sejam essenciais. "[O dinheiro do investimento] pode ser separado caso esteja sobrando. Se não estiver, deve vir da economia que você fará poupando de algo com o que gasta em excesso."

Comece com 10% e tente chegar a 30%

Após fazer essa análise, Celson Placido, sócio da escola de negócios e finanças Proseek, recomenda começar investindo 10% do que recebe. "Não é receita de bolo, mas a regra dos 10% é interessante. Separe no mínimo 10% da renda para investir", afirmou.

Com o tempo, se a sua renda for aumentando, o ideal é subir o percentual que você poupa por mês antes de pensar em subir de padrão de vida.

"Muitas vezes, a renda das pessoas aumenta, mas o seu patrimônio não, já que o padrão de vida e os gastos delas também sobem", disse. "O ideal seria ir subindo o percentual de investimentos para até 30%, se possível, antes de pensar em melhorar o padrão de vida."

Em quais produtos devo investir?

A escolha dos investimentos varia de acordo com o perfil de cada um. Se for mais conservador e não quiser correr grandes riscos, pode optar por produtos de renda fixa, como Tesouro Direto, CDB, LCI e LCA.

Caso aceite correr mais riscos em troca de uma rentabilidade melhor, invista uma parte do dinheiro em produtos de renda variável, como fundos de ações ou ações de empresas.

Gostou deste texto? Assine a newsletter UOL Investimentos para receber informações como esta em primeira mão no seu email.

Como trabalhar menos e viajar mais sem se endividar

UOL Notícias

Mais Finanças pessoais