IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

Finanças pessoais


Feirão Limpa Nome do Serasa: antes de negociar, veja dicas do que fazer

Claudia Varella

Colaboração para o UOL, em São Paulo

13/11/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Você deve ter controle financeiro e saber o tamanho real da dívida
  • Estipule no orçamento um limite para pagar dívidas
  • Negocie uma proposta que caiba no seu orçamento
  • Não se endivide de novo nem empreste seu CPF a parentes
  • Devedor precisa passar por mudança de comportamento e criar novos hábitos

Você está no vermelho e com nome sujo na praça? Uma boa oportunidade de começar a resolver isso é no Feirão Limpa Nome do Serasa. O evento acontece no site, por aplicativo e presencialmente até o dia 30 deste mês.

Mas o que você precisa saber e fazer antes de negociar o pagamento de sua dívida? E como ficar com as finanças equilibradas após isso?

O UOL ouviu os especialistas Paulo Roberto Pires de Souza, planejador financeiro CFP da associação Planejar, William Grespan Garcia, advogado especialista em direito do consumidor do William Grespan Garcia Advogados, e Joyce Carla, gerente do Serasa Consumidor, sobre o assunto.

Veja dicas antes de negociar sua dívida e para manter seu bolso em dia:

1. Tenha controle financeiro

Organize em uma planilha todos os seus gastos e receitas detalhadamente e tente definir o que são essenciais e supérfluos. Na internet, há aplicativos e planilhas gratuitos que podem auxiliar nisso.

2. Conheça sua dívida e estipule um limite

Calcule o total da dívida para saber o tamanho do problema e compartilhe com a família. Todos precisam participar da solução.

Registre valores e descrição de todas as dívidas (cheque especial, cartão de crédito, empréstimo etc.). Veja os juros de cada uma para priorizar as mais caras.

Estabeleça um limite de quanto pode pagar, considerando imprevistos. Não assuma compromissos que não pode pagar.

3. Faça uma estratégia de negociação

Antes de negociar, defina uma estratégia. Prepare argumentos e questione pontos como: qual o desconto para pagar à vista e quais os juros do parcelamento.

Seja 100% transparente sobre sua real situação. Só faça acordo se puder honrá-lo. Não pague só a primeira parcela e ignore as demais.

Pode haver imprevistos durante o pagamento, como perda de emprego, consertos no carro, doenças na família.

4. Analise o contrato e prefira negociação presencial

Analise o contrato na íntegra, se possui anexos e quais as penalidades em caso de inadimplência. "Preste atenção se o credor não está incluindo alguma garantia no contrato da qual você não está ciente", afirmou Garcia.

Ele diz que é melhor fazer as negociações presencialmente. "Negociações eletrônicas podem não trazer as melhores condições, uma vez que se trata de sistema eletrônico e que possui comandos engessados."

5. Evite novas dívidas e não empreste seu nome

Pare de fazer novas dívidas até que as atuais sejam completamente pagas. Planeje suas compras, peça desconto, negocie a forma de pagamento e prefira pagar à vista.

Uma das grandes causas do endividamento do brasileiro hoje é emprestar o nome (CPF) para amigo ou parente.

6. Comece a fazer sua reserva financeira

Tente ser capaz de fazer uma poupança e iniciar uma reserva financeira ao mesmo tempo em que você paga as dívidas. É preciso mudar de comportamento.

7. Como saber se meu nome está sujo?

As três principais bases de dados usadas por empresas e bancos para checar se o consumidor possui dívidas em atraso são:

  • Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), administrado pela Boa Vista Serviços. Consulta gratuita do CPF.
  • Serasa, administrada pela Serasa Experian. Consulta gratuita do CPF.
  • Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), administrado pela Câmara de Dirigentes Lojistas. Consulta do CPF é paga.

Existem órgãos de proteção ao crédito geridos pelo governo:

  • CCF: Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundos. A consulta pode ser realizada na agência bancária em que é correntista ou por meio do Banco Central (BC), por correspondência ou pelo Protocolo Digital. Ainda poderá se dirigir a uma central de atendimento do BC, portando documento de identidade.
  • Cadin: Cadastro de devedores de impostos, tributos ou qualquer outro tipo de dívida ativa. Não é um sistema único; há o federal, estaduais e municipais
  • SCR: Sistema de Informações de Créditos, do BC. É um instrumento de consulta muito utilizado na análise de crédito para transações envolvendo apartamentos, veículos etc.

Qualquer pessoa pode ir até um desses órgãos e fazer a consulta, desde que esteja portando documento de identidade. As consultas podem ser feitas pela internet também.

8. O que acontece com quem tem o nome sujo?

Você se torna um mau pagador e terá dificuldade de conseguir crediário em loja e aprovações de créditos e financiamentos, por exemplo.

O seu score de crédito (ferramenta que, por meio de uma pontuação, traça o seu perfil comportamental em relação ao cumprimento das obrigações) sofrerá reduções, dificultando acesso ao crédito. Cheque especial e talões de cheque podem ser cortados.

9. Como limpar o nome?

Procure imediatamente a empresa para negociar o que deve. Ferramentas como o Serasa Limpa Nome e feirões realizados pelas empresas para renegociação de dívida, como o Feirão Limpa Nome do Serasa, são boas opções.

10. Preciso pagar para limpar meu nome?

Não. Ao quitar sua dívida ou pagar a primeira parcela de sua renegociação, seu nome será retirado do cadastro em até cinco dias úteis, de acordo com o Código de Defesa do Consumidor.

Eventualmente, seu título de dívida pode ser protestado, devido a uma cobrança judicial. Neste caso, além do valor da dívida, você terá que pagas as custas cartorárias.

11. Há um prazo máximo para o nome ficar sujo?

A negativação do CPF não pode exceder o prazo de cinco anos, contados a partir do dia seguinte ao do vencimento da dívida. Após esse prazo, o seu nome deve ser retirado do cadastro de clientes inadimplentes. Porém a dívida não deixa de existir.

Ou seja, após cinco anos, seu nome é retirado do cadastro de inadimplentes, mas sua dívida permanece. Bancos e empresas poderão continuar cobrando o débito por meios extrajudiciais, pois, após vencida a prescrição, a dívida não poderá ser cobrada judicialmente.

12. Quanto tempo leva para limpar o nome?

A partir do momento em que houve a quitação da dívida ou o pagamento da primeira parcela, a empresa tem o prazo de cinco dias úteis, contados a partir do pagamento, para excluir o seu nome dos órgãos de proteção ao crédito. Se você fez acordo para pagar a dívida em parcelas, mas não cumpriu, seu nome poderá ser negativado novamente.

Se, dentro desse prazo não ocorrer a exclusão do débito, você deve entrar em contato com a empresa credora e exigir que faça a exclusão. Em último caso, pode registrar uma reclamação no Procon (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor).

13. Quando se faz acordo, o nome sai da lista de devedores automaticamente?

No caso de a renegociação ter sido realizada com o pagamento da dívida em diversas parcelas, o nome do devedor deverá ser excluído do rol dos órgãos de proteção ao crédito em cinco dias úteis após o pagamento da primeira parcela. Se você não cumprir o acordo, deixando de pagar as demais parcelas, seu nome poderá ser negativado novamente.

Postos de atendimento do Serasa

Veja alguns postos móveis de atendimento se for buscar ajuda presencialmente no Feirão Limpa Nome:

  • São Paulo: de 11 a 17/11, no Largo da Batata (av. Brigadeiro Faria Lima, 870 - Pinheiros) próximo à tenda
  • São Carlos (SP): de 14 a 16/11, na praça XV de Novembro (rua 15 de Novembro, no centro), próximo à Catedral Metropolitana.
  • Rio de Janeiro: de 14 a 16/11, no estacionamento do Norte Shopping (av. Dom Helder Câmara, 5.200 - Cachambi).
  • Blumenau (SC): de 11 a 17/11, na praça Victor Konder (rua XV de Novembro, 1.540 - Centro), próximo à prefeitura.

As agências do Serasa também estão atendendo. Veja aqui se há um escritório do Serasa perto de você;

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas.

Se não sabe responder a estas 5 questões, será muito difícil ficar rico

UOL Notícias

Finanças pessoais