IR 2017: Investiu no Tesouro Direto? Veja os passos para fazer a declaração


  • Caio Borges

Se você investiu ou resgatou títulos do Tesouro Direto ao longo de 2016, ou apenas manteve a aplicação, veja como informar esse investimento na declaração do Imposto de Renda 2017.

1) Tenha o informe de rendimentos em mãos

Pegue o informe de rendimentos referente ao Tesouro Direto no banco ou corretora em que você negociou os títulos públicos.

Normalmente, o documento está disponível no "internet banking" do banco ou no "home broker" da corretora. Se você tiver dificuldade em encontrar, peça ajuda ao seu gerente ou ao departamento de atendimento ao cliente.

Neste informe estão descritos os títulos que você comprou, vendeu ou já tinha na sua carteira de investimentos no Tesouro Direto. Além disso, há o detalhamento dos juros pagos, caso você tenha um papel que distribui juros semestralmente, como o Tesouro IPCA (antiga NTN-B), e o Imposto de Renda retido na fonte.

2) Informe quais títulos possuía ou negociou em 2016

Abra a ficha "Bens e Direitos" e utilize o código 45 (Aplicações de renda fixa – CDB, RDB e outros).

Você deve abrir uma ficha para cada tipo de título público que possuía, comprou ou vendeu em 2016. Descreva o papel, a quantidade, a data de compra e a corretora ou banco que intermediou a operação.

Se você já tinha os papéis em 2015, repita no campo 2016 o valor informado no campo 2015. Atenção: não atualize os números pelo valor de mercado dos títulos. A Receita aceita apenas o valor de aquisição como correto.

Se você vendeu os papéis em 2016, mantenha o valor que estava informado no campo 2015 e coloque zero no campo 2016. Caso a compra tenha sido feita em 2016, informe zero no campo 2015 e o valor de aquisição dos títulos em 2016.

3) Declare os rendimentos

Abra a ficha "Rendimentos sujeitos à tributação exclusiva" e utilize o código 06 (Rendimento de aplicações financeiras).

Nesta ficha, escolha quem fez o investimento no Tesouro Direto, se você ou algum dependente. Se ambos fizeram, abra uma ficha para cada um, com os respectivos CPFs.

Informe o nome e CNPJ da fonte pagadora. No caso do Tesouro Direto, a fonte corresponde ao banco ou corretora que intermediou a compra ou venda dos títulos. Se você negociou títulos em mais de uma corretora, então abra uma ficha para cada instituição.

No campo valor, coloque o rendimento líquido (já descontado do Imposto de Rrenda). Preste atenção porque algumas corretoras colocam no informe de rendimentos o valor bruto e o valor retido de imposto. Logo, você precisa fazer a conta (valor bruto menos o imposto) para chegar ao rendimento líquido.
 

Fontes: Receita Federal, Tesouro Nacional e Koppe Consultoria Tributária

(Téo Takar, colaboração para o UOL)

UOL Cursos Online

Todos os cursos