PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

IPO da Dotz e riscos para o setor elétrico: o que o investidor deve saber

Energia elétrica: com estiagem, serão necessárias medidas para conter a crise de abastecimento de energia - Getty Images/iStockphoto
Energia elétrica: com estiagem, serão necessárias medidas para conter a crise de abastecimento de energia Imagem: Getty Images/iStockphoto
Exclusivo para assinantes UOL

Felipe Bevilacqua

28/05/2021 08h39

No Investigando o Mercado de hoje, vamos conversar sobre o IPO da Dotz (DOTZ3) e sobre a tensão que a falta de chuvas está gerando no setor elétrico. A Dotz tem um forte investidor por trás e Aneel irá discutir estratégias para enfrentar a crise.

O UOL Economia tem uma área exclusiva para quem quer investir seu dinheiro de maneira segura e lucrar mais do que com a poupança. Conheça!

Confira a seguir a análise de Felipe Bevilacqua, analista e sócio-fundador da casa de análise Levante Ideias de Investimento. Todos os dias, Bevilacqua traz notícias e análises de empresas de capital aberto para você tomar as melhores decisões de investimentos. Este conteúdo é exclusivo para os leitores de UOL Economia+. Conheça os recursos do serviço de orientação financeira UOL Economia+, para quem quer investir melhor.

IPO da Dotz: oferta no piso da faixa revisada

A Dotz, uma das empresas pioneiras no programa de fidelidade por pontos no Brasil, conseguiu sua abertura de capital e vai chegar na bolsa valendo R$ 1,75 bilhão em valor de mercado.

As ações DOTZ3 foram precificadas a R$ 13,20 por ação, no piso da faixa indicativa, que ia até R$ 16,60. Foram levantados R$ 420 milhões em uma oferta 100% primária (injeção de caixa diretamente na empresa). É uma vitória para uma small cap, em uma janela que teve mais da metade dos IPOs cancelados em virtude do ambiente ruim do mercado brasileiro.

A oferta original ia da faixa de R$ 16,20 a R$ 21,40, porém sofreu uma revisão para baixo e foi alterada para uma oferta do tipo 476, restrita a investidores institucionais. A ancoragem de cinco potências do mercado ajudou: Ant Financial (braço da gigante Ali Baba), Farallon, VELT Partners, Softbank e Fourth Sail Capital. A Ant Financial adquiriu 5% da Dotz antes do IPO, com cláusula de opção de compra de mais 10% de participação em 2 anos.

Os recursos do IPO serão destinados para expandir as áreas de atuação da Dotz e torná-la uma fintech completa com boa capilaridade no varejo.

O grande diferencial da Dotz é o investimento da Ant Financial, com expertise em soluções financeiras para o varejo digital na China, que se assemelha ao ambiente brasileiro em vários aspectos. Uma parcela grande população não possui conta em banco e o app oferece plataforma financeira completa, por exemplo. São soluções que podem auxiliar a Dotz a acelerar sua expansão.

A companhia chega para bater de frente com empresas consolidadas e em forte crescimento no Brasil, como PagSeguro e PicPay, plataformas de e-commerce com soluções financeiras (Magalupay, Banqi, AME Digital), além dos próprios bancos digitais para o varejo como a Next, Inter (BIDI11) e Nubank.

Setor elétrico (CPFE3, OMGE3, AESB3, EGIE3): crise hídrica alarma o setor

O período de estiagem iniciado em setembro do ano passado já é o pior regime de chuvas no Brasil em mais de 90 anos. Os níveis dos reservatórios se encontram em patamares muito baixos. A situação é tão grave que pode não ser contornada com o acionamento apenas de térmicas, condição que vem alarmando todo o setor.

O assunto foi discutido ontem (27) na reunião do Conselho de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE). Serão necessárias medidas para conter a crise de abastecimento, que incluem a possibilidade de racionamento de energia e também de água, para poupar os reservartórios. Altamente impopular, o racionamento de energia foi adotado no fim do governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB), em 2001.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) vai montar um time que começa a trabalhar na segunda-feira (31) para definir estratégias diante a crise. Dependendo da evolução do cenário, poderão ser adotadas medidas mais extremas, como a suspensão de autorização para irrigação, por exemplo. As medidas restritivas podem começar em meados de julho, porém de forma pontual em determinados estados.

A notícia afeta todo o setor, das geradoras hidrelétricas (CPFE3, OMGE3, AESB3, EGIE3) e térmicas, às distribuidoras de energia. A crise hídrica e o acionamento de térmicas acarretam em aumento de tarifas, que possuem tendência elevada para o ano. Como consequência, o mercado de energia livre torna-se mais atrativo para consumidores de pequeno porte

Este material foi elaborado exclusivamente pela Levante Ideias e pelo analista Felipe Bevilacqua (sem qualquer participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL