PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Passou sufoco com a pandemia? Veja dicas para cuidar bem do bolso em 2021

Exclusivo para assinantes UOL

Colaboração para o UOL, em São Paulo

30/12/2020 04h00

Muita gente teve que adiar planos porque perdeu o emprego ou viu sua renda ser reduzida em 2020, por causa da pandemia do novo coronavírus. Com a esperança de um 2021 diferente, é hora de realizar um grande planejamento financeiro pessoal para recuperar esses objetivos e conseguir alcançá-los.

Para ajudar a trilhar esse caminho, o UOL ouviu o coordenador do MBA de finanças do Ibmec RJ, Filipe Pires.

  • Quer ter notícias exclusivas, tirar dúvidas ao vivo sobre onde investir e aprender a aplicar melhor seu dinheiro? Conheça o UOL Economia+

Tenha um colchão

Antes de traçar um grande objetivo para o ano, lembre-se das lições de 2020: tudo pode mudar muito rápido.

Por isso, é essencial ter a reserva de emergência, aquele dinheiro suficiente para cobrir pelo menos seis meses das suas despesas fixas mensais, e que deve ser utilizado em situações de emergência, como em caso de perda do emprego.

Uma estratégia para formar esse colchão financeiro é guardar até 15% da sua renda todos os meses, segundo Pires. "Você deve colocar esse montante em ativos de alta liquidez e de baixo risco, como Tesouro Direto ou CDBs", disse.

Objetivo e meta são coisas diferentes

Formou a reserva de emergência? Agora já dá para traçar estratégias em busca dos sonhos.

O especialista explica que, além do objetivo final, é importante estabelecer metas para atingi-lo. "O objetivo, muitas vezes, é atemporal, enquanto a meta precisa de um prazo para ser executada", disse. "Baseando-se no seu objetivo, você precisa alinhar metas. A partir daí, vá criando degraus até alcançá-lo. Estudar e se planejar para isso é essencial."

Para ele, o foco inicial deve estar nas metas de curto prazo, de quatro a seis meses.

Se o seu objetivo for ganhar mais dinheiro na sua profissão, por exemplo, sua meta financeira pode ser ter condições para iniciar um novo curso.

Para isso, você pode começar estudando nos primeiros meses as opções disponíveis no mercado e poupando para então, se matricular.

Defina prioridades e foque nelas

Planejamento é importante, mas é a execução que conta. Por isso, é essencial focar no que é prioritário e deixar de lado coisas que você considera secundárias, como trocar de carro, além de abandonar gastos supérfluos.

"É preciso entender o que você quer e definir o que é prioridade. Depois, muito do restante passa a não ser fundamental", afirmou Pires.

Corte gastos adicionais, busque ser racional com as compras e opte por pagar tudo que estiver ligado aos seus objetivos antes de gastar o dinheiro com qualquer outra coisa.

Faça seu dinheiro render enquanto aguarda

Em 2021, adote como meta fazer seu dinheiro render. Nada de deixar os recursos poupados parados até chegar a hora de realizar algum plano.

"A meta é só para o segundo semestre? Então você pode investir em ativos que tenham carência de seis meses, como uma LCI ou LCA. Você conseguiria investir em janeiro e resgatar parte dos recursos em meados de julho, por exemplo", disse Pires.

"Aproveite a carência desse período para ter uma remuneração mais elevada em relação a ativos com maior liquidez, como o CDB ou a poupança."

Quer investir melhor? Receba dicas em seu email e assine o UOL Economia+

Você quer aprender a ganhar dinheiro com segurança em investimentos no curto, médio e longo prazo, mesmo que nunca tenha investido?

O UOL Economia+ tem uma newsletter que o ajuda nesse objetivo, com dicas semanais. Ao assinar a newsletter, você recebe de graça e semanalmente uma dica resumida sobre como aplicar melhor e com segurança seu dinheiro (abra este link, procure o título "UOL Economia+" e clique em "Cadastrar").

Para mudar seus hábitos e aprender mais rapidamente a lidar com seu dinheiro, conheça também o UOL Economia+, serviço completo de orientação financeira do UOL para assinantes.

O UOL Economia+ traz dicas e dados essenciais todos os dias em vídeo e texto antes da abertura do mercado financeiro, tira dúvidas ao vivo com um economista, apresenta as melhores carteiras recomendadas, oferece artigos de especialistas e e-books educacionais (veja o conteúdo aqui e saiba como assinar aqui).

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.