PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Os 5 fundos imobiliários mais recomendados pelas corretoras para setembro

Conteúdo exclusivo para assinantes

Márcio Anaya

Colaboração para o UOL, em São Paulo

09/09/2021 04h00

O tom de cautela, novamente, predomina nas análises que acompanham as carteiras recomendadas de fundos imobiliários. Setembro não traz grandes alterações em relação a agosto, e um fundo de logística segue firme na liderança, com seis indicações, seguido de um produto que investe em diferentes segmentos imobiliários (híbrido), com cinco recomendações.

O bloco seguinte reúne três fundos empatados com quatro apontamentos, de um total de 10 corretoras pesquisadas pelo UOL. Para este mês, o mercado aguarda uma nova alta da taxa básica de juros (Selic) e segue preocupado com a inflação e o risco fiscal, além das fortes tensões políticas. Veja abaixo os fundos imobiliários mais indicados.

  • Bresco Logística (BRCO11): 6 recomendações
  • TRX Real Estate (TRXF11): 5 recomendações
  • CSHG Renda Urbana (HGRU11): 4 recomendações
  • VBI CRI (CVBI11): 4 recomendações
  • Vinci Logística (VILG11): 4 recomendações

*Levantamento feito com base nas carteiras recomendadas pelas seguintes instituições: Ativa Investimentos, BB Investimentos, BTG Pactual, Genial Investimentos, Guide Investimentos, Mirae Asset Corretora, Necton Investimentos, Santander Corretora, Terra Investimentos e XP Investimentos.

Escalada de juros e inflação reforçam aversão ao risco

O Índice de Fundos Imobiliários (Ifix) da B3 interrompeu a recuperação vista em julho e voltou a cair em agosto. O indicador terminou o mês com perda de 2,63%, aos 2.748 pontos.

No mesmo intervalo, o principal índice de ações da Bolsa (Ibovespa) também se desvalorizou (-2,5%), fechando aos 118.781 pontos.

Segundo o BTG Pactual, o momento é de aversão ao risco, reflexo do horizonte de juros maiores e da piora nas previsões para a situação fiscal e a inflação do país.

Em relatório, a instituição lembra que a Selic subiu um ponto percentual em agosto, de 4,25% para 5,25% ao ano, e que uma nova alta deve ocorrer em breve. No mês passado, o governo já sinalizou que a Selic deve ser elevada na mesma magnitude na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), em 22 de setembro.

Em sua análise, a Ativa Investimentos afirma que a autoridade monetária já havia indicado o início de um novo ciclo de alta da Selic, mas o ritmo acabou surpreendendo o mercado.

"Os especialistas não contavam com a velocidade e intensidade que ocorreria este aperto monetário, o que vem afetando diversos segmentos, entre eles o de fundos imobiliários, que teve um crescimento recorde no número de novos investidores em um cenário de taxa de juros a 2% [no passado]", diz a corretora.

E ao mesmo tempo em que a Selic é revisada para cima, o mercado novamente eleva as estimativas de inflação, diz a Ativa, lembrando que o percentual pode ser ainda maior, dependendo dos impactos da crise hídrica. Atualmente, a previsão está em 7,58% para 2021, segundo o Relatório Focus desta semana.

Na BB Investimentos, o tom do relatório deste mês também é de cautela.

"Não somente as oscilações em curva de juros fazem preço nesse mercado, mas fatores macroeconômicos como o avanço da variante delta [da covid-19] e seu reflexo no crescimento econômico também têm impactado negativamente os FIIs [fundos imobiliários], dado que um menor otimismo sobre o mesmo pode acarretar em uma retomada mais lenta do que o esperado para o mercado imobiliário brasileiro."

Bresco Logística engata 4 meses seguidos como mais indicado

Sem grandes mudanças nas carteiras recomendadas para este mês, o Bresco Logística (BRCO11) continua no topo das preferências, pela quarta vez consecutiva, segundo levantamento do UOL. O fundo registrou neste mês seis indicações, entre 10 corretoras analisadas.

Em relatório, a Guide Investimentos destaca que, embora o Bresco possua um dos melhores portfólios logísticos da indústria, suas cotas têm sido negociadas em Bolsa próximas às mínimas históricas. "Acreditamos que a performance recente, combinada com as diversas iniciativas da gestão voltadas ao crescimento orgânico do portfólio, gere uma janela de oportunidade atrativa para os investidores."

No início do mês, o fundo comunicou um aditivo ao contrato de locação em vigor com a Coopercarga, com acréscimo de pouco mais de 7.000 metros quadrados do imóvel Bresco Itupeva, equivalente a 18,1% da área bruta locável (ABL) —eliminando a vacância física do empreendimento. Com a extensão do acordo, o inquilino passa a ocupar 36,6% da ABL do imóvel.

"O contrato de locação possui prazo de apenas 90 dias e impactará positivamente os resultados do fundo em R$ 0,01 por cota durante o período", comenta o BTG Pactual, em relatório.

De acordo com o banco, o fundo distribuiu rendimento de R$ 0,57 por cota em agosto, e a equipe de gestão espera uma receita imobiliária de R$ 0,74 por cota até o fim do ano, "o que indica o potencial de elevação das distribuições no decorrer dos próximos meses".

TRX Real Estate recebeu 5 recomendações

O fundo híbrido TRX Real Estate (TRXF11) também manteve as indicações recebidas no mês passado (cinco) e ocupa a segunda colocação geral em setembro.

De acordo com o BB Investimentos, trata-se de um produto concentrado em operações do segmento de varejo, mais especificamente hipermercados e supermercados, que estão entre os segmentos mais resilientes da economia.

"Não obstante o receio com a alta da inflação e as perspectivas de aumento dos juros, o setor tende a ser cada vez mais beneficiado pelo relaxamento das restrições ao funcionamento do comércio, dado o avanço do programa de vacinação, além, é claro, da recuperação do mercado de trabalho", diz a instituição.

Destaques do mês incluem outros 3 fundos

O segundo bloco de destaques nas carteiras recomendadas do mês traz outros três fundos imobiliários —todos com quatro apontamentos nos relatórios das corretoras.

A lista inclui o híbrido CSHG Renda Urbana (HGRU11), o fundo de recebíveis VBI CRI (CVBI11) e o Vinci Logística (VILG11).

CSHG Renda Urbana é o de maior peso na carteira da XP

Na XP Investimentos, o CSHG Renda Urbana, com alocações em ativos de varejo (tanto supermercados, quanto de vestuário) e do ramo educacional, ocupa o maior peso no portfólio sugerido para setembro, com 17,5%.

Em maio deste ano, o fundo anunciou uma possível aquisição de 10 ativos, integralmente locados para "varejistas de grande porte com atuação nacional". No entanto, lembra o relatório da corretora, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) solicitou esclarecimentos por parte do fundo e do proprietário dos imóveis a fim de aprovar a transação.

"Caso as condições precedentes sejam resolvidas e o Cade aprove a transação, com a aquisição acreditamos em um impacto positivo na distribuição de dividendos", diz a XP. "Continuamos com recomendação de compra e estimamos um dividend yield [retorno com dividendos] de aproximadamente 6,4% para 2021, o que vemos como atrativo considerando a relação de risco-retorno do fundo."

VBI CRI tem potencial para novas aquisições, diz Guide

O VBI CRI visa obter renda e ganho de capital por meio da concentração de investimentos em ativos de renda fixa de natureza Imobiliária, como detalha a Guide Investimentos.

Segundo a instituição, o fundo demonstrou grande expertise em suas primeiras alocações, resultando em uma performance sólida e dividendos robustos. "Recém capitalizado, acreditamos no potencial de alocação da gestão frente ao pipeline [lista de oportunidades] de aquisições e rápida integração dos ativos ao portfólio."

Com uma estreia, Vinci Logística fica entre os mais recomendados

O Vinci Logística sustentou as três indicações que havia recebido em agosto e, neste mês, ingressou na lista selecionada pela Terra Investimentos —no lugar do CHSG Logística (HGLG11).

O BTG Pactual, que também possui o produto em sua carteira recomendada, afirma que os ativos do fundo estão localizados majoritariamente em Minas Gerais (34%), especificamente na região de Extrema, "localidade com baixa vacância e com incentivos fiscais".

A segunda região com maior relevância no portfólio do Vinci é o estado de São Paulo (22%), seguido do Espírito Santo (19%), diz o banco. "O fundo conta com uma carteira de locatários pulverizada e formada por grandes empresas, como a Netshoes, a Tok&Stok, o grupo Magazine Luiza e a Ambev."

Alterações e portfólios completos indicados

Ativa Investimentos

  • Incluiu: BTG Pactual Terras Agrícolas (BTRA11) e Valora CRI Índice de Preços (VGIP11).
  • Retirou: BTG Pactual Logística (BTLG11) e JS Real Estate Multigestão (JSRE11).
  • Carteira recomendada: Bresco Logística (BRCO11), BTG Pactual Terras Agrícolas (BTRA11), CSHG Renda Urbana (HGRU11), Devant Recebíveis Imobiliários (DEVA11), Guardian Logística (GALG11), Rio Bravo Renda Educacional (RBED11), TG Ativo Real (TGAR11), TRX Real Estate (TRXF11), Valora CRI Índice de Preços (VGIP11), VBI CRI (CVBI11) e Versalhes Recebíveis Imobiliários (VSLH11).

BB Investimentos

  • Carteira recomendada: Banestes Recebíveis Imobiliários (BCRI11), Bresco Logística (BRCO11), Malls Brasil Plural (MALL11), Mérito Desenvolvimento Imobiliário I (MFII11), REC Recebíveis Imobiliários (RECR11), TRX Real Estate (TRXF11), Vinci Offices (VINO11) e XP Log (XPLG11).

Obs: sem alterações em relação ao mês passado.

BTG Pactual

  • Carteira recomendada: Bresco Logística (BRCO11), BTG Pactual Corporate Office (BRCR11), BTG Pactual Crédito Imobiliário (BTCR11), CSHG Real Estate (HGRE11), HSI Logística (HSLG11), Kinea Rendimentos Imobiliários (KNCR11), RBR Properties (RBRP11), RBR Rendimento High Grade (RBRR11), Rio Bravo Renda Corporativa (RCRB11), Vinci Logística (VILG11), Vinci Shopping Centers (VISC11) e XP Log (XPLG11).

Obs: sem alterações de fundos em relação ao mês passado, apenas rebalanceamento do portfólio.

Genial Investimentos

  • Incluiu: Guardian Logística (GALG11).
  • Retirou: Pátria Logística (PATL11).
  • Carteira recomendada: Bresco Logística (BRCO11), BTG Pactual Crédito Imobiliário (BTCR11), Capitânia Securities II (CPTS11), CSHG Renda Urbana (HGRU11), Guardian Logística (GALG11), HSI Malls (HSML11), Malls Brasil Plural (MALL11), Mogno Fundo de Fundos (MGFF11), Plural Recebíveis Imobiliários (PLCR11), RBR Alpha Multiestratégia (RBRF11), RBR Rendimento High Grade (RBRR11) e Vinci Offices (VINO11).

Guide Investimentos

  • Incluiu: CSHG Recebíveis Imobiliários (HGCR11).
  • Retirou: HSI Malls (HSML11).
  • Carteira recomendada: Bresco Logística (BRCO11), BTG Pactual Logística (BTLG11), Capitânia Securities II (CPTS11), CSHG Recebíveis Imobiliários (HGCR11), Mauá Capital Recebíveis Imobiliários (MCCI11), Ourinvest Fundo de Fundos (OUFF11), RBR Crédito Estruturado (RBRY11), TRX Real Estate (TRXF11), VBI CRI (CVBI11) e Vinci Shopping Centers (VISC11).

Mirae Asset Corretora

  • Carteira recomendada: BTG Pactual Fundo de Fundos (BCFF11), CHSG Logística (HGLG11), TRX Real Estate (TRXF11), Vinci Shopping Centers (VISC11) e XP Malls (XPML11).

Obs: sem alterações em relação ao mês passado.

Necton Investimentos

  • Incluiu: CSHG Logística (HGLG11).
  • Retirou: BTG Pactual Corporate Office (BRCR11).
  • Carteira recomendada: BTG Pactual Crédito Imobiliário (BTCR11), CSHG Logística (HGLG11), CSHG Prime Offices (HGPO11), Hedge Brasil Shopping (HGBS11), Plural Recebíveis Imobiliários (PLCR11), Valora RE III (VGIR11), VBI CRI (CVBI11) e VBI Prime Properties (PVBI11).

Santander Corretora

  • Carteira recomendada: Brasil Plural Absoluto (BPFF11), CSHG Recebíveis Imobiliários (HGCR11), CSHG Renda Urbana (HGRU11), JS Real Estate Multigestão (JSRE11), Mauá Capital Recebíveis Imobiliários (MCCI11), Maxi Renda (MXRF11), RBR Alpha Multiestratégia (RBRF11), Santander Renda de Alugueis (SARE11), TG Ativo Real (TGAR11), TRX Real Estate (TRXF11), VBI CRI (CVBI11), Vinci Logística (VILG11) e Vinci Offices (VINO11).

Obs: sem alterações em relação ao mês passado.

Terra Investimentos

  • Incluiu: Fundo de Fundos Kinea FII (KFOF11) e Vinci Logística (VILG11).
  • Retirou: CHSG Logística (HGLG11) e Kinea Rendimentos Imobiliários (KNCR11).
  • Carteira recomendada: BTG Pactual Fundo de Fundos (BCFF11), CSHG Real Estate (HGRE11), Fundo de Fundos Kinea FII (KFOF11), TG Ativo Real (TGAR11) e Vinci Logística (VILG11).

XP Investimentos

  • Incluiu: RBR Alpha Multiestratégia (RBRF11).
  • Carteira recomendada: Bresco Logística (BRCO11), BTG Pactual Logística (BTLG11), Capitânia Securities II (CPTS11), CSHG Renda Urbana (HGRU11), RBR Alpha Multiestratégia (RBRF11), RBR Rendimento High Grade (RBRR11), VBI Prime Properties (PVBI11), Vinci Logística (VILG11) e XP Crédito Imobiliário (XPCI11).

Obs: incluiu um fundo e rebalanceou o portfólio.

O preço e o desempenho dos fundos imobiliários podem ser conferidos na página de cotações do UOL Economia, na seção Bolsa de Valores.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.

PUBLICIDADE