PUBLICIDADE
IPCA
0,73 Dez.2021
Topo

Poupança: quanto rendem R$ 1.000 por ano após nova alta da Selic

Veja quanto passam a render R$ 1.000,00 se aplicados por um ano na poupança, no Tesouro Selic e em fundos DI. E compare com o ganho que havia antes - iStock
Veja quanto passam a render R$ 1.000,00 se aplicados por um ano na poupança, no Tesouro Selic e em fundos DI. E compare com o ganho que havia antes Imagem: iStock
Conteúdo exclusivo para assinantes

João José Oliveira

Do UOL, em São Paulo

08/12/2021 18h44

Resumo da notícia

  • Sétima alta consecutiva da taxa básica de juros neste ano impacta positivamente investimentos de renda fixa
  • Já no caso da poupança, o cálculo de rendimento da aplicação vai mudar
  • Apesar de maior rendimento nominal, aplicações de renda fixa ainda perdem da inflação

O Banco Central voltou a subir os juros nesta quarta-feira (8), elevando a taxa básica Selic em 1,50 ponto percentual, de 7,75% para 9,25% ao ano. Esta mudança, a sétima alta consecutiva em 2021, influencia positivamente vários investimentos de renda fixa, que agora vão dar ao aplicador um ganho maior. No caso da poupança, o cálculo também muda, mas piorando o rendimento.

Com uma taxa básica de juros agora de 9,25% ao ano, aplicações como Tesouro Selic e fundos DI, por exemplo, terão um rendimento nominal maior a cada mês. Já a poupança passará a ter um rendimento fixo de 0,5% ao mês mais TR (Taxa Referencial, um indicador do mercado financeiro).

Novo cálculo da poupança

Com a taxa básica de juros Selic subindo além de 8,5% ao ano, foi disparado o gatilho que altera o cálculo de rendimento da poupança. Agora, a caderneta passa a render 0,5% ao mês mais TR, que está zerada.

No ano, o rendimento será de 6,17%, por causa dos juros compostos, ou seja, do rendimento que vai se acumulando a cada mês sobre o ganho do mês anterior —é por isso que o rendimento mensal de 0,5% não vira 6% no ano.

Com a mudança, a poupança deixa de seguir taxa básica de juros Selic, o que é considerado ruim para a caderneta, afirmam especialistas ouvidos pelo UOL.

A nova regra já vale para depósitos que fazem aniversário amanhã (9) ou novas aplicações. Para outras contas, a fórmula passa a valer no próximo aniversário do depósito.

Quanto rendem R$ 1.000 em diferentes aplicações

Veja abaixo quanto passam a render R$ 1.000 se aplicados por um ano. E compare com o ganho que havia antes. Primeiro, considerando o rendimento nominal.

Nessa simulação, consideramos uma aplicação por um ano mais um dia, quando a alíquota de Imposto de Renda — para investimentos que pagam imposto — passa a ser de 17,50%.

Veja abaixo quanto rendem R$ 1.000 nos seguintes investimentos:

  • Poupança: R$ 61,70 (não paga IR)
  • Tesouro Selic: R$ 76,31 (considerando alíquota de 17,50%)
  • Fundos DI: R$ 71,81 (considerando IR e taxa de administração de 0,5%)

Quanto a pessoa terá na conta após a aplicação

Considerando então essas simulações, veja quanto a pessoa vai ter na conta se ela aplicar R$ 1.000 por 12 meses. E compare com o valor que seria resgatado se a Selic não tivesse subido.

  • Poupança: R$ 1.061,70 (antes da alta dos juros, seriam R$ 1.054,30)
  • Tesouro Selic: R$ 1.076,31 (antes da alta dos juros, seriam R$ 1.063,94)
  • Fundos DI: R$ 1.071,81 (antes da alta dos juros, seriam R$ 1.059,49)

Ganho real e nominal

O rendimento nominal do aplicador de fato aumentou com a elevação da taxa básica de juros Selic. Mas o valor maior que aparece no extrato da aplicação não significa ganho real. Para calcular isso, é preciso colocar na conta a inflação.

Afinal, quando a alta dos preços da economia é maior que a taxa do rendimento das aplicações, o investidor está, em termos reais, perdendo dinheiro.

Se a inflação medida pelo índice oficial do governo, o IPCA, está em 10,67% considerando o período de 12 meses encerrados em outubro, isso quer dizer que R$ 1.000 de um ano atrás só compram atualmente R$ 893,30. A inflação corroeu R$ 106,70 da aplicação.

Perda real

Considerando uma inflação de 10,67% em 12 meses, para cada R$ 1.000 aplicados, o capital do investidor teria estas perdas, considerando a diferença entre o rendimento de cada aplicação e a parte que a inflação corrói.

  • Poupança: -R$ 45
  • Tesouro Selic: -R$ 30,39
  • Fundos DI: -R$ 34,89

Se a inflação está elevada, ela vai corroer os ganhos de todas as aplicações. Mesmo uma aplicação de renda fixa mais tradicional tem risco de perda real.
Felipe Guerra, sócio da Messem Investimentos

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.

PUBLICIDADE
Errata: o texto foi atualizado
A matéria dizia que a alta foi a sétima de 2022. Na verdade, foi a sétima alta em 2021. A informação foi corrigida.