IPCA
0,83 Mai.2024
Topo

Vale a pena sacar até 50% do FGTS para comprar ações da Eletrobras?

FGTS rende menos que a poupança; mas sacar o dinheiro para investir em ações da Eletrobras é seguro? - Marcelo Camargo/Agência Brasil
FGTS rende menos que a poupança; mas sacar o dinheiro para investir em ações da Eletrobras é seguro? Imagem: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Lílian Cunha

Colaboração para o UOL, em São Paulo

22/05/2022 04h00

Os trabalhadores que têm dinheiro no FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) poderão usar até metade do valor para comprar ações da Eletrobras (ELET3). A decisão ocorre depois de a privatização da empresa receber sinal verde pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

O processo vai acontecer por meio de oferta de ações ao mercado. A aquisição dos papéis será feita por fundos mútuos de privatização, mesma maneira usada para a venda de ações de outras estatais, como a Petrobras (PETR3/PETR4) em 2000 e Vale (VALE3) em 2002. Será que vale a pena usar seu FGTS para investir nisso? Embora atraente, o negócio não é recomendado para todo mundo. Veja abaixo o que dizem especialistas consultados pelo UOL.

Hoje o FGTS rende menos que a poupança. Por isso analistas recomendam não deixá-lo parado.

Investir é uma forma de não deixar o dinheiro preso

"Pode ser uma boa oportunidade [investir o FGTS], principalmente porque isso só poderá ser feito agora", diz Will Landers, chefe de renda variável da BTG Pactual Asset Management, em Nova York.

Normalmente, o dinheiro do FGTS fica preso. Só pode ser sacado em caso de aposentadoria, demissão, compra do primeiro imóvel ou quando surgem doenças graves, como câncer.

Rendimentos

"Os fundos de privatização podem e devem ser uma alternativa para o trabalhador que procura melhorar o rendimento de seus recursos", diz Inácio Fradique, da mesa de operações da Braúna Investimentos.

Ele faz uma comparação: em 2020, com a distribuição aos trabalhadores do lucro do FGTS, o rendimento foi de 4,52%. Em 2019, considerando o adicional da distribuição de lucros, o rendimento foi de 4,90%. Em 2018, chegou a 6,18%.

Só neste ano, as ações mais negociadas da Eletrobras — as ordinárias (ELET3) — renderam um acumulado de 33,08% na Bolsa de Valores de São Paulo (B3). Parece tentador, mas nos últimos 12 meses, a Eletrobras só rendeu 5,56%, um pouquinho só a mais que o FGTS, de acordo com os especialistas.

Afinal, é hora de investir o FGTS

Para quem é novato em ações, Ilan Arbetman, analista da Ativa Investimentos, recomenda não usar a metade do saldo do FGTS, mas sim uma parte menor.

"Talvez seja muito dinheiro para colocar numa ação só", afirma.

Para mim, é muita coisa apostar metade do fundo numa única ação e ficar dependendo do desempenho de uma empresa. Eu ponderaria na proporção.
Ilan Arbetman, analista da Ativa Investimentos

E se sua única poupança é o FGTS, o risco é maior ainda. É por isso que talvez seja melhor usar só uma pequena parte nas ações e deixar o resto no fundo, segundo os profissionais.

Quais os riscos?

No mercado de ações, um dia os ativos caem, no outro sobem. Isso pode deixar muita gente nervosa. As ações são investimentos de alto risco e não dá para saber se será possível contar com o retorno delas em uma emergência, como demissão ou doença.

Por isso, os analistas dizem que é melhor investir se você já tem um valor guardado para imprevistos (reserva de emergência) em outro tipo de investimento, como um fundo de renda fixa. "Assim a aplicação em ações fica para o longo prazo", diz Landers, do BTG.

Outra dica é não ficar acompanhando o sobe e desce dos preços das ações diariamente. "Você olha o saldo do seu FGTS todo dia? Então, para que acompanhar esse vai e vem? É melhor deixar esse investimento crescendo por alguns anos", afirma.

Quem não gostar da experiência depois de um ano poderá voltar com o dinheiro para o fundo.

Como vai funcionar?

"Acredito que em meados de junho haverá a definição de como será feito o processo para o trabalhador", declara Arbetman.

Em 2002, diz Landers, a procura pelas ações da Vale (VALE3) foi muito alta. Na época, o governo liberou R$ 1 bilhão em ações, mas a procura foi de R$ 3 bilhões.

"Então, quem tem disponibilidade, deve se inscrever com 50% mesmo para garantir a maior quota possível", afirma o analista do BTG.

É certeza que a ação vai render mais que o FGTS?

O mercado de ações é chamado de variável, por isso, não tem rendimento fixo ou certeza de ganhos.

"Acreditamos que a gestão da Eletrobras vai melhorar muito com a privatização", diz Ilan Arbetman, da Ativa. E, se isso acontecer, o acionista sai ganhando.

"Só para se ter uma ideia, a Eletrobras não vence um leilão de transmissão de energia desde a metade da década passada", declara. E mesmo assim, as ações da companhia estão no positivo desde então. A tendência, então, é melhorar, de acordo com o especialista.

Este material não é um relatório de análise, recomendação de investimento ou oferta de valor mobiliário. Este conteúdo é de responsabilidade do corpo jornalístico do UOL Economia, que possui liberdade editorial. Quaisquer opiniões de especialistas credenciados eventualmente utilizadas como amparo à matéria refletem exclusivamente as opiniões pessoais desses especialistas e foram elaboradas de forma independente do Universo Online S.A.. Este material tem objetivo informativo e não tem a finalidade de assegurar a existência de garantia de resultados futuros ou a isenção de riscos. Os produtos de investimentos mencionados podem não ser adequados para todos os perfis de investidores, sendo importante o preenchimento do questionário de suitability para identificação de produtos adequados ao seu perfil, bem como a consulta de especialistas de confiança antes de qualquer investimento. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura e não está isenta de tributação. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, a depender de condições de mercado, podendo resultar em perdas. O Universo Online S.A. se exime de toda e qualquer responsabilidade por eventuais prejuízos que venham a decorrer da utilização deste material.