IPCA
0,83 Mai.2024
Topo

Méliuz, empresa de cashback, sobe 6% junto com ações de varejo em NY

Reprodução
Imagem: Reprodução

Lílian Cunha

Colaboração para o UOl, em São Paulo

26/05/2022 15h38

Um movimento internacional que beneficiou as ações de empresas de varejo, principalmente na Bolsa de Valores de Nova York, também está impactando a alta de companhias no mercado brasileiro nesta quinta-feira (26). Uma delas é a Méliuz (CASH3), cuja ação disparou 5,91%, a R$ 1,97.

A empresa de cupons de desconto de lojas online, administradora de programas de fidelidade e plataforma de serviços financeiros acompanha a valorização da companhia americana de lojas de departamentos Macy's e da rede de lojas de ofertas com preço fixo Dollar Tree, que estão fazendo o índice da bolsa americana subir 2%.

Por que as ações do varejo estão subindo no exterior e aqui no Brasil? E, diante disso, vale a pena ficar de olho nos papéis da Méliuz (CASH3)? O UOL conversou com especialistas sobre; veja abaixo.

A Macy's elevou sua previsão de lucro graças à melhora nas vendas de produtos de alta qualidade, voltados para um público de maior poder aquisitivo e menos afetado pela inflação.

Na outra ponta, a Dollar Tree foi na mesma direção. Divulgou que está otimista com "os planos e expectativas em relação à introdução de preço adicional, acima de US$ 1."

"Praticamente todas as empresas de consumo e varejo estavam muito baratas e, neste momento, vejo uma recomposição de preço bem forte", diz Raphael Figueiredo, analista da Eleven Investimentos. Ou seja, os investidores estão comprando essas ações baratas. É o mercado buscando por pechinchas.

Por que hoje essas ações dispararam -- aqui e lá fora?

Tem a ver com a expectativa dos juros, segundo Figueiredo. "Só o fato dos juros futuros pararem de subir é para mim um motivo bem sólido para justificar o otimismo do varejo internacional e aqui também", diz ele.

Vale a pena comprar Méliuz?

A XP diz que sim e aposta numa alta do preço de até R$ 8. O banco BTG também recomenda a compra de ações da Méliuz (CASH3), mas com um preço-alvo mais modesto, de R$ 4,20.

Este material não é um relatório de análise, recomendação de investimento ou oferta de valor mobiliário. Este conteúdo é de responsabilidade do corpo jornalístico do UOL Economia, que possui liberdade editorial. Quaisquer opiniões de especialistas credenciados eventualmente utilizadas como amparo à matéria refletem exclusivamente as opiniões pessoais desses especialistas e foram elaboradas de forma independente do Universo Online S.A.. Este material tem objetivo informativo e não tem a finalidade de assegurar a existência de garantia de resultados futuros ou a isenção de riscos. Os produtos de investimentos mencionados podem não ser adequados para todos os perfis de investidores, sendo importante o preenchimento do questionário de suitability para identificação de produtos adequados ao seu perfil, bem como a consulta de especialistas de confiança antes de qualquer investimento. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura e não está isenta de tributação. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, a depender de condições de mercado, podendo resultar em perdas. O Universo Online S.A. se exime de toda e qualquer responsabilidade por eventuais prejuízos que venham a decorrer da utilização deste material.