Bolsas

Câmbio

Dia difícil: greve afeta transporte público, voos e coleta de lixo

Do UOL, em São Paulo

A greve dos caminhoneiros chega ao quinto dia e prejudica a oferta de diversos serviços públicos no Brasil. Os caminhoneiros protestam contra os recentes aumentos nos preços dos combustíveis e pedem ao governo a redução de impostos. Veja mais abaixo alguns dos serviços estatais e privados que saíram prejudicados nesta sexta-feira (25).

Leia também:

Transporte público

São Paulo

Apesar de metrô e trens da CPTM estarem funcionando normalmente em São Paulo, apenas 46% da frota de ônibus funcionava no começo da tarde. Bairros afastados da capital paulista das zonas sul, norte, oeste e leste foram os mais afetados. 

Na Grande São Paulo, 85% dos ônibus da EMTU estão em funcionamento. Cidades como Campinas, Sorocaba e Jundiaí, no interior de São Paulo, operam com pouco mais da metade da frota. Na Baixada Santista, o sistema opera com 60% da frota.

Rio de Janeiro

A Fetranspor informou que só 50% da frota de ônibus está rodando no Estado. O BRT opera com 43% da frota, e apenas dez das 26 linhas dos sistemas Transoeste, Transcarioca e Transolímpica estão circulando.

As empresas que operam o metrô fluminense e o VLT Carioca estão funcionando normalmente. A Supervia, responsável pelos trens, informou que será necessário reajustar a grade de horários das extensões Guapimirim e Vila Inhomirim, pois as locomotivas são movidas a óleo diesel.

Minas Gerais

A circulação dos ônibus em Belo Horizonte foi reduzida em 50% e as linhas que atendem a capital e 34 municípios da região metropolitana foram diminuídas em 45% desde a última quinta-feira (24).

Pernambuco

Nesta sexta-feira, 50% dos ônibus municipais não circularam no início da manhã no Recife. A Companhia Brasileira de Trens Urbanos Recife (CBTU) informou que os VLTs não funcionarão neste sábado por conta do racionamento de combustível. O intuito é fazer com que os vagões funcionem na segunda-feira, em que o fluxo de passageiros é maior.

Rio Grande do Sul

Em Porto Alegre, a operação é normal nos horários de pico, das 4h30 às 8h30 e das 17h às 19h30. Fora do horário de pico, os ônibus passarão com intervalo de uma em uma hora.

Distrito Federal

As quatro empresas do transporte público que atendem a maior parte da população operaram normalmente. Outra companhia operou apenas das 5h às 9h e das 16h às 20h com 70% da frota. Uma sexta empresa de ônibus rodou com 70% da frota o dia inteiro.

Bahia

A Semob (Secretaria Municipal de Mobilidade) decidiu reduzir a frota para 80% como estratégia para economizar diesel. A redução na frota também ocorrerá neste sábado (26), quando apenas 50% dos ônibus devem circular na cidade nos horários de pico e 40% nos outros períodos. A porcentagem deve cair para 30% no domingo (27).

Maceió

Na capital de Alagoas, a frota de ônibus circula com corte de 10%. Não faltou combustível em postos durante a maior parte do dia, mas o preço subiu nesta semana e chegou a uma média de R$ 3,59.

Natal

Os ônibus circularam com redução de 30%. Já o transporte intermunicipal teve um corte de 40%.

João Pessoa

Motoristas de transportes escolares e motoboys fecharam a garagem da empresa Transnacional, mas liberaram por volta das 9h. Com isso, João Pessoa ficou sem ônibus durante o início da manhã. Falta combustível em muitos postos.

Teresina

A frota de ônibus foi reduzida em 30% na capital piauiense. Também falta gás de cozinha nas revendedoras. Os motoristas do aplicativo Uber fizeram protesto no terminal de petróleo, o que causou falta de gasolina em postos.

Ônibus de viagem

No terminal rodoviário Tietê, empresas de ônibus cancelaram todas as viagens para as regiões Norte e Nordeste. As viagens estão sendo remarcadas para semana que vem. Passagens para cidades como Rio de Janeiro, Curitiba e Belo Horizonte continuavam sendo vendidas.

Em nota, a concessionária Socicam, que opera os terminais Tietê, Barra Funda e Jabaquara informou que, até a manhã desta sexta-feira, o Tietê havia registrado uma redução de 20% no número de partidas. O índice chegava a 40% na Barra Funda, e a 48% no Jabaquara, em comparação com dias normais.

Aeroportos

Ficaram sem combustível os aeroportos de Recife (PE), Maceió (AL), Goiânia (GO), Vitória (ES), Palmas (TO), Ilhéus (BA), Uberlândia (MG), Carajás (PA), São José dos Campos (SP) e Juazeiro do Norte (CE), que são administrados pela Infraero. Entre os aeroportos privatizados, o de Brasília ficou sem combustível, e os de Belo Horizonte e Viracopos estavam em situação crítica. Na noite de sexta, o aeroporto de Brasília começou a ser reabastecido.

Clique aqui para ver a situação de aeroportos e dos voos pelo país

São Paulo e Rio de Janeiro

Os aeroportos internacionais de Guarulhos e Rio de Janeiro não enfrentam problemas com a greve dos caminhoneiros. Os dois locais possuem um sistema de abastecimento ligado diretamente às refinarias.

Belo Horizonte

O aeroporto de Confins também enfrenta situação crítica. A administradora BH Airport afirma que o aeroporto está com restrição no abastecimento e que teve quatro voos cancelados nesta sexta-feira.

Porto Alegre

O aeroporto do Porto Alegre chegou a estar ameaçado de ficar sem combustível. Na manhã desta sexta-feira, o terminal tinha três carretas com combustível para abastecer os reservatórios. Segundo a administradora Fraport, o estoque era suficiente para, pelo menos, até a noite desta sexta-feira.

Coleta de lixo

São Paulo

A prefeitura de São Paulo suspendeu a coleta de lixo na cidade nesta sexta-feira (25) por conta da falta de combustível. Apesar do decreto de estado de emergência, a medida ainda não será usada para o recolhimento de resíduos nas ruas da capital paulista.

Rio Grande do Sul

Porto Alegre também declarou estado de emergência com o intuito de priorizar o abastecimento para transportes essenciais, como ônibus, ambulâncias e caminhões de lixo. A previsão é que a situação se normalize em até três dias após o fim dos protestos.

Cidades como Canguçu, Gramado e Santa Vitória do Palmar também decretaram estado de calamidade pública por falta de combustível.

Santa Catarina

Brusque tomou a mesma medida. Por meio de nota, a prefeitura informou que a greve afetou diversos setores do município e causou a falta de materiais essenciais, como remédios e merenda escolar.

Pernambuco

Prefeituras do Nordeste passam pelo mesmo problema. Caruaru, no agreste pernambucano, decretou ontem situação de emergência. Dentre as medidas tomadas, estão a suspensão das aulas da rede pública de ensino, funcionamento dos postos de saúde e redução da coleta de lixo.

Minas Gerais

Em Minas Gerais, a cidade de Teófilo Otoni também recorreu à medida e proibiu "a utilização de combustível para atendimento de situações não definidas no plano de ação emergencial do município". Timóteo, também em Minas, instituiu situação de emergência por causa da falta de combustível para os caminhões de lixo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos