PUBLICIDADE
IPCA
+0,93 Mar.2021
Topo

Auxílio emergencial: Caixa diz que já pagou R$ 2,1 bi a 3,3 mi de pessoas

CAIO ROCHA/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO
Imagem: CAIO ROCHA/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

14/04/2020 10h51Atualizada em 27/04/2020 12h41

A Caixa Econômica Federal informou que o pagamento do auxílio emergencial já somou R$ 2,1 bilhões a 3,3 milhões de brasileiros até às 17h desta terça-feira (14).

Conhecido como "coronavoucher", o benefício de R$ 600 por três meses é pago a trabalhadores sem carteira assinada, desempregados, autônomos, MEIs (microempreendedores individuais) e contribuintes individuais da Previdência durante a crise causada pelo coronavírus.

De acordo com o banco, 35,4 milhões de brasileiros já terminaram o cadastro para pedir o auxílio. O site do cadastro já recebeu 273,6 milhões de visitas e o aplicativo Caixa Auxílio Emergencial (disponível para sistema Android e iOS) teve 37,5 milhões de downloads.

Para quem se inscreveu por meio do app ou do site, o pagamento vai começar na quinta-feira (16), segundo calendário divulgado pela Caixa.

Próximos a receber

O governo começou a pagar hoje a primeira parcela do auxílio emergencial para 831 mil pessoas que já estavam inscritas no Cadastro Único até o último dia 20 e não recebem o Bolsa Família.

Os que recebem na Poupança Digital Caixa nesta terça-feira são nascidos em janeiro. Quem faz aniversário nos demais meses receberá ao longo da semana, da seguinte forma:

  • Quarta-feira (15): nascidos em fevereiro, março ou abril (1,64 milhão de pessoas)
  • Quinta-feira (16): nascidos em maio, junho, julho ou agosto (2,28 milhões de pessoas)
  • Sexta-feira (17): nascidos em setembro, outubro, novembro ou dezembro (1,96 milhão de pessoas)

Para quem está no Bolsa Família, o auxílio emergencial vai seguir o calendário do programa. Nesta semana, o valor será disponibilizado para 2,72 milhões dessas pessoas, segundo a Caixa:

  • Quinta-feira (16): beneficiários do Bolsa Família com último dígito do NIS igual a 1 (1,36 milhão de pessoas)
  • Sexta-feira (17): beneficiários do Bolsa Família com último dígito do NIS igual a 2 (1,36 milhão de pessoas)

Quem recebe o Bolsa Família está inscrito automaticamente para receber o auxílio emergencial, e receberá o benefício de maior valor entre os dois.

Demais parcelas serão pagas conforme aniversário

As duas parcelas seguintes serão depositadas conforme o mês de nascimento do beneficiário (veja na tabela mais abaixo).

O dinheiro será depositado na conta dos trabalhadores. Vale lembrar que não é necessária corrida e aglomeração de pessoas nas agências e nas lotéricas. Todos os beneficiários vão receber seus recursos "de forma segura, organizada e transparente", promete a Caixa.

Confira as datas de pagamento divulgadas pelo governo e pela Caixa:

Problemas com CPFs

Desde o início do cadastramento para receber o auxílio, pessoas relatam problemas para regularizar seu CPF, necessário para solicitar o pagamento. Segundo a Receita Federal, 11 milhões de documentos que tinham restrições eleitorais já estão sendo regularizados, mas há outra questão: a demora para que isso entre no sistema da Caixa.

"O reflexo no aplicativo da Caixa está demorando em média três dias. Se regularizar hoje vai poder tentar de novo na sexta. O que estamos observando é que ele (contribuinte) não está aguardando esses três dias", afirmou Frederico Faber, subsecretário de arrecadação da Receita Federal, em entrevista à Globonews.

Como consequência, trabalhadores têm formado filas em agências da Receita, o que vai contra as medidas de distanciamento social exigidas no combate à pandemia.

"Reconhecemos que as pessoas que estão nas nossas filas são humildes, têm dificuldades com sistemas eletrônicos, por isso mantivemos nossas unidades abertas. Mas, aqueles que já têm certa condição, que utilizem o canal virtual, para que os mais humildes sejam atendidos presencialmente", pediu Faber.

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas