PUBLICIDADE
IPCA
+0,93 Mar.2021
Topo

Cotações

Copel vê lucro líquido saltar 88% no 4° tri com ajuda de geração térmica

Copel teve salto no lucro e aprovou pagamento de dividendos a acionistas - Getty Images/iStockphoto
Copel teve salto no lucro e aprovou pagamento de dividendos a acionistas Imagem: Getty Images/iStockphoto

Por Luciano Costa

18/03/2021 09h48Atualizada em 18/03/2021 10h31

SÃO PAULO (Reuters) - A estatal paranaense Copel registrou lucro líquido de R$ 1,12 bilhão no quarto trimestre, com forte alta de 88% em base anual, impulsionado pela venda da produção de sua termelétrica de Araucária, por suas operações no mercado livre de energia e pelo crescimento do mercado de sua distribuidora.

Mais cedo, a empresa informou que seu conselho de administração aprovou a distribuição aos acionistas de R$ 1,5 bilhão em dividendos e JCP (juros sobre o capital próprio).

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) da elétrica somou R$ 1,3 bilhão no período, avanço de 26,5% frente ao mesmo trimestre do ano anterior.

No ano completo de 2020, a Copel viu o lucro líquido disparar 89,5%, para R$ 3,9 bilhões, segundo balanço divulgado hoje.

Segundo a Copel, os ganhos tiveram efeito positivo pela reclassificação contábil referente à operação descontinuada de sua unidade Copel Telecom, que foi vendida em leilão realizado em novembro. Sem isso, o lucro líquido consolidado teria sido de R$ 1 bilhão, com alta de 65,7% em base anual.

Com negócios em geração, transmissão, distribuição e comercialização de energia, a Copel somou uma receita operacional líquida de R$ 5,6 bilhões entre outubro e dezembro, alta de 30,8% ano a ano.

Em 2020 como um todo, a receita líquida atingiu R$ 18,6 bilhões, alta de 17,4%.

A Copel disse que os resultados foram ajudados pela comercialização de 564 GWh de energia produzida por sua termelétrica de Araucária no quarto trimestre e do maior volume de energia vendida em contratos bilaterais no mercado livre de eletricidade por sua subsidiária Copel Mercado Livre.

A companhia relatou também aumento de 3,3% no mercado fio de sua unidade de distribuição, a Copel-D.

A dívida líquida da Copel ao final de 2020 era de R$ 6,4 bilhões, contra R$ 8,25 bilhões em dezembro de 2019.

Investimentos

O programa de investimentos da Copel em 2020 alcançou desembolsos totais de R$ 1,84 bilhão, com R$ 620 milhões no último trimestre. A unidade Copel Distribuição recebeu aportes de R$ 1,28 bilhão no ano e R$ 453,8 milhões no trimestre.

A companhia projetou para 2021 investimentos de R$ 1,9 bilhão. Desse valor, R$ 1,2 bilhão deverão ser aplicados na distribuidora do grupo. O complexo eólico Jandaíra deverá receber R$ 270 milhões.

R$ 1,5 bilhão em dividendos

Mais cedo, a estatal paranaense informou que seu conselho de administração aprovou a distribuição aos acionistas de R$ 1,5 bilhão em dividendos e JCP (juros sobre o capital próprio) contra as reservas de retenção de lucros da companhia.

A deliberação, que já segue uma nova política de proventos estabelecida pela companhia, envolve proventos equivalentes a 40% do lucro líquido ajustado de 2020, disse a companhia em comunicado na noite de quarta-feira.

Serão distribuídos R$ 1,25 bilhão em dividendos intermediários com pagamento em 30 de abril e mais R$ 123,25 milhões com crédito até o final de 2021, em data ainda a ser fixada pelo conselho. Também foram aprovados R$ 134,19 milhões em JCP com pagamento até o fim do ano.

A Copel acrescentou que, se somados esses proventos a uma proposta da administração para o dividendo obrigatório (25% do lucro líquido), que será submetida a deliberação em assembleia ordinária, a distribuição total aos acionistas corresponderá a 65% do lucro líquido ajustado de 2020.

Cotações