Bolsas

Câmbio

Dá para ganhar mais de R$ 200 mil por mês fazendo palestras?

Reinaldo Polito

Reinaldo Polito

A vida de um bom palestrante é glamorosa. Alguns chegam a cobrar de R$ 20 mil a R$ 50 mil por uma hora, uma hora e meia de palestra. E vivem com a agenda lotada. Os mais requisitados conseguem proferir de três a cinco palestras por semana. Ou seja, ganham mais de R$ 200 mil por mês. Em época de vacas gordas, até o dobro desse valor. Se for estrela internacional, toda essa grana pode ser auferida em apenas uma palestra. Uau!

Sem contar as mordomias todas. Viagem de primeira classe, no mínimo de classe executiva. Hotéis cinco estrelas ou o melhor hotel existente na cidade. Refeição no mais requintado restaurante. Motorista para buscar e levar de volta ao aeroporto. E, se tiver disposição, entrevistas nos mais badalados programas de rádio e televisão. Uau, uau!

Essa é mesmo uma carreira dos sonhos. O mais intrigante da história é que, ao assistir a essas palestras, muitos pensam que poderiam ter desempenho melhor que o palestrante que acabou de se apresentar. Por esse motivo a questão é recorrente:

"Polito, eu falo muito bem. Na verdade, melhor até que a maioria dos palestrantes que conheço. Tenho domínio de palco e conteúdo de primeira qualidade. Você, que deu aula para tanto palestrante famoso, me explique, por que não consigo ser contratado? O que falta para eu deslanchar nessa profissão?"

Falar bem e ter boa mensagem são parte da equação

A resposta sincera acaba por desanimar a maioria. Falar bem e ter boa mensagem são muito importantes para que alguém se torne palestrante. Afinal, seria impossível imaginar uma pessoa atuando nessa atividade sem saber se expressar em público e sem ter conteúdo interessante. Só que esses requisitos constituem apenas uma parte da equação.

Ainda que certos palestrantes tenham ficado famosos ministrando palestras, o que acontece, quase sempre, na verdade, é o oposto: alguém se torna palestrante porque é famoso. Essa é a chave para desvendar o segredo: assim que tiver o nome projetado em alguma área, passará a ser contratado para fazer palestras.

O palestrante será procurado depois de se tornar autor de algum livro que entrou e permaneceu um bom tempo nas listas dos mais vendidos, apresentou ou foi consultor em programa de rádio ou televisão de grande audiência, tornou-se atleta renomado, recebeu prêmios por pesquisas relevantes, dirigiu grandes empresas bem-sucedidas, governou cidades, Estados ou países importantes etc.

Portanto, sobre a capacidade de falar em público e do conteúdo daqueles que conseguem preencher as agendas com pedidos de palestras bem remuneradas, há uma aura sedutora que atrai os contratantes. Quantas vezes as pessoas tomam a iniciativa de assistir a uma palestra apenas pela fama do palestrante?

Só para ficar nos exemplos mais recentes. Max Gehringer é contratado porque fala bem e tem conteúdo, lógico, mas também e, especialmente, pelo fato de ser um astro global, que vira e mexe está dando orientação sobre carreira no quadro do "Fantástico". Bernardinho montou uma bem-sucedida palestra e usa sua incomparável energia para arrebatar o público, mas não seria tão procurado se não fosse um renomado campeão olímpico.

Da mesma forma, Mario Sergio Cortella, com seu vasto conhecimento de filosofia e voz retumbante, e Leandro Karnal, com seu saber lógico e profundo, só passaram a ser requisitados para falar nos mais importantes eventos depois de terem se projetado com entrevistas e frequentes aparições nos programas de televisão.

Palestrante fala diferente de professor

Além de todos esses requisitos, não pode o palestrante ser um orador comum. É preciso saber se expressar em público de maneira espetacular. A respeito dessa oratória diferenciada do palestrante, há um fato curioso protagonizado por alguns professores universitários que reinavam nos entremuros da Academia.

Em determinada época, alguns brilhantes acadêmicos vislumbraram a possibilidade de se tornarem palestrantes e faturar com algumas poucas palestras o mesmo que ganhavam em meses de árduo trabalho em sala de aula.

Foram para o mercado, mas boa parte deles voltou depressa para a sala de aula, pois descobriram que atuando como palestrantes seriam um desastre. Outros, porém, não levaram muito tempo para enriquecer, chegando ao ponto de até escolher as palestras que desejavam fazer, tendo em vista a quantidade de convites que recebiam. Por que alguns vingaram e outros não?

Fracassaram os professores que pisaram nos palcos com aquele jeitão arrastado, sem vida, como se estivessem em sala de aula falando com alunos obrigados a prestar atenção ou seriam reprovados.

Tornaram-se vitoriosos aqueles que se conscientizaram de que a maneira de falar do professor, quase sempre, é muito distinta da do palestrante, enfrentaram o desafio, se submeteram às mudanças e transformaram seu comportamento diante do público.

Bom conteúdo e comunicação espetacular

A palestra deve transmitir informações úteis ao público, mas, além de possuir essa qualidade, precisa ser um instante de entretenimento. Em pouco mais de uma hora, a plateia quer aprender, mas também se divertir, se emocionar, se surpreender. Por esse motivo, de maneira geral, o bom palestrante deve ser bem-humorado, cativante e excelente contador de histórias.

Se possuir esses atributos (bom conteúdo e comunicação espetacular), irá magnetizar, encantar e prender a atenção das pessoas. Para ser bem-sucedido nessa atividade, é necessário que tenha presença de palco, carisma, elevado grau de empatia, voz forte, com bom ritmo, vocabulário fluente, semblante expressivo, competência para produzir pausas significativas, que chegam, em determinados momentos, a comunicar até mais que as palavras. E... ser famoso.

Não é impossível que alguém consiga se tornar famoso fazendo palestras, mas são raras as pessoas que conquistam esse feito. Para esses, o caminho é longo, desafiador e incerto. Precisarão se sujeitar a fazer muitas apresentações gratuitas, com a esperança de que pessoas influentes estejam presentes, se encantem com seu desempenho e sugiram seu nome para atuar como palestrantes em eventos.

No início, alguns chegam a ser ludibriados por espertalhões, que contratam a palestra e deixam de pagar. Um amigo palestrante disse que teve de arcar até com a conta do hotel. Haverá momento em que o carro com motorista será substituído pelo caminhãozinho de som, que irá levá-lo, já que, por coincidência, passará próximo do aeroporto.

Precisam saber também que os "Neymar" são poucos. A maioria, mesmo estando nessa estrada há longo tempo, disputa na linha de baixo para fazer algumas poucas palestras a preços inferiores a R$ 10 mil. É uma excelente remuneração, mas nada que se compare com o faturamento daqueles que atingiram o cume da profissão.

Não abandone o sonho de ser palestrante

Portanto, se achar que deve abandonar o que estiver fazendo para se aventurar no mundo das palestras, pense bem antes de tomar essa iniciativa. Deixar um cargo bem remunerado, com relativa estabilidade, pode ser um passo em falso. O ideal seria iniciar a vida como palestrante sem deixar sua atividade atual.

Não caia no canto da sereia. Há pessoas prometendo que, com os cursos que ministram, será possível alguém se tornar rapidamente um palestrante remunerado acima de R$ 20 mil por palestra. Antes de acreditar, analise aqueles que estão à volta desses professores e veja se esses que gravitam ao entorno deles estão ministrando palestras com esse valor.

Não abandone o sonho de ser palestrante. Só o fato de sonhar já se caracteriza como passo importante para conquistar o que almeja. Saiba, entretanto, que o caminho é bastante acidentado, que serão inúmeros os momentos em que pensará em desistir, que muitos dirão que não tem futuro nessa empreitada.

Apresentei todas as dificuldades e procurei desmistificar um pouco o que cerca a vida de um palestrante. O objetivo não foi desestimular, mas, sim, mostrar o que precisa ser enfrentado. Comece por aprender a ter uma oratória encantadora e se prepare com um tema irresistível.

Se não se encaixar em um daqueles requisitos que o tornariam famoso, use a internet. Poste vídeos e textos que divulguem seu conhecimento e competência. Garimpe entrevistas. Escreva um bom livro. Encontre uma agência de palestrantes bem conceituada. Fique à disposição para fazer, no início, muitas palestras gratuitas.

Se você for determinado e fizer dessa busca a razão de ser da sua vida, provavelmente nada o impedirá de se tornar vitorioso. Talvez até não chegue a ser tão bem remunerado como os poucos que estão lá no pedestal, mas poderá se realizar e ser feliz desenvolvendo uma atividade gratificante como essa.

Superdicas da semana:

  • Procure se tornar famoso em alguma área de atividade para ser contrato como palestrante
  • Se decidir fazer palestras, aprenda a desenvolver uma comunicação espetacular
  • Para ser palestrante, desenvolva seu lado bem-humorado
  • Lembre-se de que um bom palestrante é quase sempre um bom contador de histórias
  • Assista às apresentações dos grandes palestrantes para aprender como se comportar

Livros de minha autoria que ajudam a refletir sobre esse tema: "29 Minutos para Falar Bem em Público", publicado pela Editora Sextante. "As Melhores Decisões não Seguem a Maioria", "Oratória para advogados", "Assim é que se Fala", "Conquistar e Influenciar para se Dar Bem com as Pessoas" e "Como Falar Corretamente e sem Inibições", publicados pela Editora Saraiva. "Oratória para líderes religiosos", publicado pela Editora Planeta.

Siga no Instagram - @reinaldo_polito
Siga pelo Facebook - facebook.com/reinaldopolito
Pergunte para saber mais contatos@polito.com.br

Reinaldo Polito

Autor de 25 livros que venderam mais de 1 milhão de exemplares, dá dicas de expressão verbal para turbinar sua carreira.

UOL Cursos Online

Todos os cursos