PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Descomplique

Chegou a hora de dar os primeiros passos nos investimentos!

iStock/SIphotography
Imagem: iStock/SIphotography
Júlia Mendonça

Júlia Mendonça é formada em comércio exterior pela Universidade Positivo. Atuou como planejadora financeira entre 2015 e 2018. Especialista em orientação e planejamento financeiro pessoal, é coach e consultora de finanças, pós-graduada em investimentos, finanças e banking. É influenciadora digital no nicho de finanças e investimentos em um dos maiores canais do assunto na área do Brasil.

03/11/2020 04h00

O medo é uma sensação bem chata, muito incômoda e surge porque acreditamos estar em perigo, mesmo sendo real ou imaginário. Porém, o medo faz parte da nossa vida, do nosso cotidiano e do processo de aprendizagem. Tudo que é novo acaba gerando medo e desconfiança.

Hoje quero ajudar você a, aos poucos, vencer isso e criar confiança para poder investir bem e com mais segurança. Sabendo das etapas pelas quais vai passar, e falando agora dos investimentos, conhecendo os riscos, a segurança e como começar, é fácil vencer essa barreira e começar a investir com maior confiança.

O mais seguro

Na hora de escolher seu primeiro investimento, vá naquele que lhe traz maior segurança, que é mais conhecido e que você entende. Geralmente esse ativo costuma envolver títulos do Tesouro Direto: Tesouro Selic, Tesouro IPCA e Tesouro Prefixado.

O risco desses ativos é considerado soberano, ou seja, como o emissor é o governo, então o risco é mínimo, pois o risco de falência do país e de calote nos investidores é baixíssimo.

Se ficar em dúvida em qual desses é o mais indicado para você, aí vai um resumo: Tesouro Selic é indicado para objetivos de curto prazo, Tesouro IPCA é ideal para o longo prazo e o Tesouro Prefixado é mais especulativo e voltado para médio prazo. Escolha aquele que tem mais a ver com o seu objetivo e não tem erro.

Comece com pouco

Se hoje você tem R$ 1.000, R$ 50 mil ou R$ 200 mil e tem medo de investir, vai acabar não fazendo nada com essa grana. A melhor coisa que você pode e deve fazer é começar a investir o quanto antes, para perder o medo logo e fazer com que seu dinheiro comece a se beneficiar da força dos juros compostos, porém comece com pouco.

Não precisa depositar todo valor que tem guardado. Invista R$ 200 e veja como se sente. No próximo mês coloque mais R$ 500 e assim por diante. Conforme o tempo vai passando, você vai aumentando seu conhecimento e assim vai perdendo o medo.

Não pule etapas

Nos investimentos, o que mais escuto são relatos de pessoas que têm medo quando o assunto é renda variável: ações, FIIS, ETFS etc. Entenda: renda variável realmente turbina sua carteira, ajuda muita seus investimentos a crescerem, são recomendados como uma boa maneira de diversificação, porém, você não é obrigado a tê-los em sua carteira.

Você não precisa ter ações na carteira para ser um bom investidor, não deve ter ativos que não sabe o que são ou que sente que vão contra seus conhecimentos e princípios. Calma! Estude, tire as próprias conclusões, tome o tempo necessário para entender bem os investimentos e, quando sentir que está pronto, aí sim é o momento de entrar nesse mundo.

Caso contrário, qualquer passo a mais que você der, até poderá parecer maravilhoso e muito lucrativo no curto prazo, porém se tira o seu sono e sua tranquilidade, com certeza não vale a pena para sua cabeça e seu bolso.

Descomplique: 5 coisas que você precisa saber sobre o Tesouro Direto

UOL Notícias

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL