PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

Econoweek

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Simulador do Tesouro Direto: duas pegadinhas e como sair delas

Conteúdo exclusivo para assinantes
Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone é economista e jornalista, teve passagens por grandes jornais nas áreas de economia e finanças, foi professora em um curso de graduação em Economia e hoje coordena uma equipe em um aplicativo de gestão financeira. Além disso, se dedica às finanças pessoais no Econoweek.

12/11/2021 04h00

Você com certeza reparou que nas últimas semanas usei bastante o Simulador do Tesouro Direto, e por isso mesmo me deparei com duas pegadinhas.

O Tesouro Direto é uma ótima aplicação, ainda mais em tempos de juros em alta. Mas ao fazer cálculos por ali você deve ficar atento a alguns cuidados. Conto aqui na coluna quais são eles, mas se quiser ver o simulador confira o vídeo abaixo.

Taxas dos CDBs e LCIs

Assim como o Tesouro Direto, a rentabilidade dos CDBs - Certificados de Depósito Bancário - tem ficado mais interessante. Já abordamos o tema, inclusive, em outro texto da coluna.

No Simulador do Tesouro Direto, porém, as taxas da renda fixa privada seguem bem baixas. Na comparação com qualquer título do Tesouro, por exemplo, consideram um CDB, que paga 82% do CDI, e uma LCI (Letra de Crédito Imobiliário), que paga 74% do CDI. Nessas condições, em todas as comparações o Tesouro sai ganhando.

A boa notícia é que esses parâmetros podem ser alterados no simulador para, assim, você ter um resultado mais real. Na data de escrita da coluna, as melhores taxas da renda fixa para quem tem R$ 1 mil para investir estavam em 140% do CDI, no caso do CDB, e em 112% do CDI, no caso da LCI.

Para fazer uma comparação real, sempre veja na sua corretora quais são as taxas oferecidas no momento.

Títulos com juros semestrais

No mesmo simulador, é possível calcular quanto você irá ganhar em títulos públicos que pagam juros semestrais. Atualmente são quatro disponíveis. Tais papéis pagam um rendimento a cada seis meses e por isso são muito procurados por investidores que querem uma renda extra.

O problema da ferramenta, neste caso, é que na comparação só aparece o resultado total que você irá resgatar. Investidores que querem saber o valor a ser resgatado semestralmente ficam sem essa informação.

A solução neste caso é ir a outra parte do site: a Calculadora. Nela, você pode escolher o título público com juros semestrais e calcular quanto receberá a cada seis meses, de acordo com o valor que for investir.

O último cuidado é prestar atenção porque a calculadora mostra todos os títulos que já foram vendidos no Tesouro Direto, mas nem todos estão disponíveis. Faça simulação com aqueles que ainda são negociados.

Mostramos no vídeo acima o passo a passo para não cair nas duas pegadinhas e como usar as ferramentas.

Já investe em Tesouro Direto? Em qual título? Comente abaixo ou nas nossas redes sociais (Instagram ou YouTube).

PUBLICIDADE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL