PUBLICIDADE
IPCA
0,73 Dez.2021
Topo

Econoweek

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Pular 7 ondinhas não resolve: veja dicas para traçar metas

Conteúdo exclusivo para assinantes
Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone é economista e jornalista, teve passagens por grandes jornais nas áreas de economia e finanças, foi professora em um curso de graduação em Economia e hoje coordena uma equipe em um aplicativo de gestão financeira. Além disso, se dedica às finanças pessoais no Econoweek.

21/12/2021 04h00

Você pode até ser supersticioso, mas já deve ter percebido que só pular as sete ondinhas na virada do ano não tem adiantado quando o assunto é realizar metas.

Para que 2022 não repita 2021 (ou até anos anteriores) e as metas não saiam do papel, separamos quatro sugestões para traçar objetivos. A seguir, falamos quais são nossas metas para 2022.

1. Ter uma planilha

O primeiro ponto que destaco é se conhecer. Quando você dirige um carro, sempre observa o painel para entender a velocidade, saber se nada está fora do normal, observar o nível de gasolina, entre outras informações. Caso contrário, pode se acidentar ou ficar parado no meio do caminho.

Nas finanças é a mesma coisa. Sem uma boa planilha você fica cego. Não sabe quanto ganha e gasta, qual é a capacidade de guardar dinheiro nem o que tem pesado mais no mês.

Seja por Excel, aplicativos ou cartões de crédito, é importante observar quanto e com o que gastou. No vídeo acima, demos exemplo de uma tecnologia que ajuda a registrar seus gastos.

2. Técnica SMART

Cada letra dessa sigla representa algo que seu plano deve seguir:

  • O S é de específico. Você não vai falar "quero juntar dinheiro", mas "quero juntar dinheiro para viajar".
  • O M é de mensurável. Por exemplo, "quero juntar R$ 5 mil para viajar".
  • O A é de atingível. Não adianta falar que vai juntar R$ 50 mil para viajar se essa não é sua realidade. Tenha o pé no chão.
  • O R é de relevante. Se não criamos metas que não são tão importantes assim, acabamos desistindo. É legal colocar como meta algo que realmente seja importante. Ou seja, reflita por que quer atingir isso.
  • E o T no fim é de temporal: coloque um prazo. Como "quero juntar R$ 5 mil para viajar em janeiro de 2023".

3. Quebrar as metas

A terceira dica é quebrar as metas, afinal, a vida não é uma corrida. Quando tem algo muito grande a ser realizado, como comprar uma casa, você pode estabelecer metas intermediárias.

Se precisa juntar R$ 100 mil para dar de entrada, por exemplo, foque nos primeiros R$ 10 mil, depois nos R$ 25 mil, R$ 50 mil e assim por diante.

Se a meta parece muito distante, podemos desanimar no meio do caminho.

4. Deixar a meta visível

A quarta dica é deixar a meta bem visível. Se você quer viajar para algum lugar, por que não imprimir uma foto e deixar na mesa do trabalho ou na geladeira? Pode ser uma anotação, uma foto, um lembrete na agenda, o que for mais conveniente. O importante é a meta estar em algum lugar que você sempre veja.

Tem mais dicas para tornar a realização de metas mais fácil? Comente aqui ou nas nossas redes sociais (Instagram e YouTube).

PUBLICIDADE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL