IPCA
-0.04 Set.2019
Topo

Cotações


BC estende intervenção no câmbio 'pelo menos' até 31 de dezembro

Do UOL, em São Paulo

24/06/2014 19h52

O Banco Central informou que deve manter seu programa de intervenção no mercado de câmbio "pelo menos até 31 de dezembro de 2014", segundo comunicado divulgado na noite desta terça-feira (24). A intenção é aumentar a circulação da moeda, e evitar que o dólar suba demais.

Segundo o banco, serão mantidos os leilões de swap cambial, equivalentes à venda de dólares no mercado futuro, de segunda a sexta-feira. Serão ofertados US$ 200 milhões por dia, ou 4.000 contratos. Já os leilões de venda de dólares com compromisso de recompra serão feitos de acordo com as condições do mercado.

O BC afirmou, ainda, que “poderá realizar operações adicionais de venda de dólares” sempre que julgar necessário.

O programa começou em agosto do ano passado e já tinha sido estendido uma vez, até 30 de junho deste ano. No começo de junho, o BC avisou que faria uma nova prorrogação, mas não informou detalhes como prazo e montante das operações. 

Programa de intervenções começou em agosto

O BC faz leilões de venda de dólares em uma tentativa de segurar a tendência de alta da moeda norte-americana. Com mais dólares sendo ofertados, o preço da moeda tende a cair.

programa de intervenções foi anunciado inicialmente em 22 de agosto de 2013, para tentar controlar a forte alta do dólar. Trata-se da maior intervenção deste tipo desde o estouro da crise econômica mundial em 2008.

Em dezembro do ano passado, quando o dólar estava mais controlado, o BC anunciou novas regras para as intervenções, diminuindo a oferta de contratos ao longo da semana. Na época, o BC informou que isso ocorreria "pelo menos até 30 de junho de 2014".

Agora, no começo de junho, o banco informou que faria uma nova prorrogação do programa a partir de 1º de julho, mas sem dar detalhes como prazo e montante das operações. 

Outras medidas

O governo também anunciou no começo de junho o fim da cobrança do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) nos empréstimos feitos por empresas no exterior de prazo entre 181 e 360 dias, outra medida com potencial de aumentar o ingresso de dólares no país. 

O IOF com alíquota de 6% passou a incidir apenas nas operações com prazo inferior a seis meses.

De modo geral, operadores e especialistas em mercado de câmbio já esperavam que o BC ampliasse seu programa de intervenções, até para evitar que uma interrupção abrupta gerasse instabilidade no mercado.

(Com Reuters)

Saiba quais são os motivos do sobe e desce do dólar, as medidas adotadas pelo governo e quem essa oscilação beneficia

Entenda

Mais Cotações