Bolsa cai 1,4%, com Vale e Petrobras, após reviravolta no impeachment

Do UOL, em São Paulo

O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou esta segunda-feira (9) em queda de 1,41%, a 50.990,07 pontos, em meio ao anúncio de mudanças no processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Entre os destaques negativos do dia estão as ações da mineradora Vale, que caíram mais de 9%, da Petrobras, com queda de mais de 6%, e de siderúrgicas.

Na última sexta-feira (6), a Bovespa havia fechado praticamente estável, com leve alta de 0,09%. Com isso, o índice acumula queda de 5,42% no mês. No ano, tem alta acumulada de 17,62%.

Reviravolta do impeachment

O presidente interino da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão (PP-MA), assinou pela manhã decisão anulando a votação do impeachment na Casa, o que, em tese, obrigaria o processo a voltar para a Câmara para ser votado novamente.

A notícia deixou investidores confusos sobre os próximos passos no campo político. 

À tarde, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), informou que vai manter o cronograma do processo de impeachment por considerar que a decisão de Waldir Maranhão foi "ilegal". A votação no Senado está prevista para acontecer nesta quarta-feira (11). 

Se houvesse adiamento, Dilma ganharia, pelo menos, uma semana a mais no cargo, já que a votação em plenário poderia ficar para a semana que vem. 

Vale despenca quase 10%

As ações ordinárias da Vale (VALE3), com direito a voto em assembleia, despencaram 9,77%, a R$ 15,23.

As ações preferenciais da Vale (VALE5), que dão prioridade na distribuição de dividendos, caíram 8,65%, a R$ 12,35.

Os papéis da mineradora foram influenciados pela queda no preço do minério de ferro e por dados de comércio exterior da China.

Petrobras cai mais de 6%

As ações ordinárias da Petrobras (PETR3) tiveram baixa de 6,65%, a R$ 12,07, enquanto as ações preferenciais da Petrobras (PETR4) perderam 5,95%, a R$ 9,48. 

Além do cenário político, os papéis foram influenciados pelo recuo dos preços do petróleo e por dados de queda na produção da empresa. 

Siderúrgicas têm queda

As ações da Usiminas (USIM5) também fecharam em baixa, com siderúrgicas em geral afetadas pelo noticiário da China, que ainda mostrou queda nos preços do aço. Os papéis da empresa caíram 9,01%, a R$ 2,12.

As ações da CSN (CSNA3) tombaram 10,05%, a R$ 10,02.

Dólar sobe 0,63%, a R$ 3,525

No mercado de câmbio, o dólar comercial fechou esta segunda-feira em alta de 0,63%, cotado a R$ 3,525 na venda.

Na última sexta-feira, a moeda norte-americana havia caído 1,04%. 

Bolsas internacionais

A maioria das Bolsas de Valores da Europa fechou em queda:

  • Alemanha: +1,12%
  • França: +0,50%
  • Portugal: -0,96%
  • Itália: -0,88%
  • Espanha: -0,47%
  • Inglaterra: -0,18%

A Bolsa da China tombou quase 3%. Veja a variação das Bolsas da Ásia e do Pacífico:

  • Cingapura: +1,29%
  • Japão: +0,68%
  • Austrália: +0,54%
  • Hong Kong: +0,23%
  • Taiwan: -0,18%
  • Coreia do Sul: -0,45%
  • China: -2,76%

(Com Reuters)

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos