PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Cotações

Bolsa cai 30% e dólar sobe 16%, a R$ 5,194, em mês de pandemia de covid-19

Do UOL, em São Paulo

31/03/2020 17h09Atualizada em 01/04/2020 10h48

O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou o dia em queda de 2,17%, a 73.019,76 pontos, despencando 29,9% no acumulado do mês. No ano, a Bolsa acumula perdas de 36,86%.

Com mais essa perda mensal, o Ibovespa teve entre janeiro e março o pior trimestre de sua história (-36,86%), conforme dados da empresa de informações financeiras Economatica. Antes, a maior perda da Bolsa havia sido registrada no terceiro trimestre de 1986, quando o índice recuou 36,25%.

O dólar comercial fechou o dia em alta de 0,25%, a R$ 5,194 na venda. Com isso, a moeda acumulou valorização de 15,92% em março, maior alta para um mês desde setembro de 2011, quando havia subido 18,15%. No ano, o dólar acumula valorização de 29,44%.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para quem vai viajar e precisa comprar moeda em corretoras de câmbio, o valor é bem mais alto.

Preocupação com o coronavírus

Investidores continuam atentos aos efeitos da pandemia de coronavírus na economia, com a possibilidade mais clara de uma recessão global.

Mesmo após uma bateria de medidas globais de estímulos econômicos e notícias melhores sobre desenvolvimento de vacinas e testes, março e o primeiro trimestre também terminam com uma série de incertezas, principalmente sobre os efeitos econômicos.

Conforme o ritmo de contágio não mostra sinais de alívio e medidas de confinamento vêm sendo prorrogadas, continua incerto o efeito final na atividade mundial, bem como o momento da recuperação das economias.

"A preocupação com o coronavírus continua, principalmente com os primeiros resultados de março mostrando o real impacto aos investidores", afirmou a casa de análises Empiricus em post no Twitter.

"Mas, enquanto o mundo segue trancando suas portas e paralisando as suas operações, a China, epicentro inicial da doença, começa a se recuperar", disse a corretora.

A atividade industrial da China expandiu inesperadamente em março após um colapso no mês anterior. O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) oficial da China subiu para 52,0 em março, ante mínima recorde de 35,7 em fevereiro, informou nesta terça-feira a Agência Nacional de Estatísticas do país.

O indicador ficou acima da marca de 50 que separa crescimento de contração.

Posicionamento do presidente

No cenário doméstico, o posicionamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre a resposta à Covid-19 continuava no foco dos investidores. Recentemente, Bolsonaro tem reforçado sua opinião de que as atividades econômicas não podem parar, e que as pessoas fora do grupo de risco da doença devem voltar ao trabalho normalmente, apesar das recomendações de autoridades da saúde e de governos regionais, que incentivam o isolamento social.

Segundo analistas, as divergências entre as autoridades brasileiras sobre como abordar a pandemia colaboram para a incerteza, impulsionando a busca por ativos seguros, como o dólar

* Com Reuters

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que era informado no oitavo parágrafo, a Empiricus é uma casa de análises, não uma corretora. A informação foi corrigida.

Cotações