Bolsas

Câmbio

Crise obriga lojas a seguirem regras básicas de gestão; saiba quais são

Do UOL, em São Paulo

A crise tem desafiado os donos de loja a cumprirem procedimentos básicos de gestão que muitos deixam de se atentar nos momentos de tranquilidade, segundo Anderson Ozawa, consultor de prevenção de perdas e gestão de varejo. "As crises têm o papel de separar o joio do trigo. Finalmente 'fazer certo', fazer a obrigação, passa a ser uma prioridade."

Segundo ele, a preparação para 2016 deve levar em conta planejamento, gestão, eficiência e eficácia. "É muito importante que as empresas façam isso, para fortalecer o setor, gerar mais empregos e ampliar os lucros", diz.

Ele reconhece que as estratégias para o novo ano sofrerão impacto da economia e da política, mas defende que as mudanças aconteçam principalmente na forma de pensar dos donos de negócios. "Existe um modo de pensar que precisa ser alterado para que o próximo ano transcorra com o mínimo de impactos possível."

A seguir, veja dicas do consultor para ajudar varejistas a se preparar para 2016:

1. Saia da zona de conforto
iStock

Segundo Ozawa, o varejo é dinâmico e, por isso, é preciso observar os sinais e estar disposto a sair da zona de conforto. "Como em todos os outros setores, é preciso estar atento aos indicadores, aos cenários e, principalmente, às projeções e expectativas de longo prazo."

2. Mude processos e operações 
iStock

Para o consultor, é importante deixar de fazer as coisas como sempre foram feitas para adotar novos métodos de trabalho e implantar rotinas de execução. "Bons exemplos são a indústria e as financeiras, que possuem padronização há tempos e, com isso, conseguem mudar suas atividades de maneira contínua."

3. Atraia pessoas envolvidas
iStock

Ozawa defende que o varejo deixe de ser uma opção de trabalho para ser uma definição de carreira. "É importante desenvolver, capacitar e valorizar as pessoas dentro do negócio. Dada a complexidade das operações –compras, logística, vendas, perdas etc.–, o varejo precisa de pessoas envolvidas, remuneradas pelos resultados, em constante capacitação."

4. Monitore as operações
iStock

"Ter um negócio implica estabelecer ferramentas de gestão para controlar a execução das operações e, assim, obter o máximo de eficiência", diz Ozawa. Segundo ele, muitos empreendedores ainda não perceberam que adotar um modelo de gestão é um dos elementos primordiais para um negócio sustentável.

5. Conheça seu cliente
iStock

Para o consultor, só quando as vendas caem é que o lojista percebe que não conhece seus clientes. "Existe uma quantidade enorme de informações que podem ser utilizadas. Assim, é possível desenvolver produtos melhores, atendimento personalizado, ambientes de loja e marketing mais assertivos, para que os clientes compreendam que a experiência de compra é única e deve ser repetida."

6. Trabalhe com uma margem de segurança
iStock

Ter um fluxo de caixa seguro dá fôlego para encarar momentos de incerteza, segundo Ozawa. "Garante um momento de serenidade para posicionar ou reposicionar-se. Ganhos imediatos não garantem sustentabilidade. Ter um fluxo de caixa saudável é um dos aprendizados mais importantes de 2015."

Esqueçam o emprego e sejam empreendedores, diz Nobel da paz

  •  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Assine e receba em seu e-mail em dois boletins diários, as principais notícias do dia

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos