ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Empreendedorismo

Academia em SP abre espaço para alunos deixarem seus cães enquanto treinam

Fábio Munhoz

Colaboração para o UOL, em São Paulo

10/01/2018 04h00

Da conversa com os alunos, veio a ideia do empresário José Renato Harmuth, 54, dono da academia SP/UP, na Bela Vista (centro de São Paulo): criar no mesmo local um espaço onde os donos pudessem deixar seus cães enquanto fazem exercícios.

O espaço, com área de 70 metros quadrados, foi inaugurado em outubro de 2017, e os clientes não precisam pagar nenhum valor adicional para usar o serviço nem reservar o espaço com antecedência. A área para recreação fica na parte externa anexa à academia.

Leia também:

“Uma vez perguntei a uma aluna porque ela não estava vindo aos treinos. Ela me respondeu que, depois de sair do trabalho, ainda tinha que levar o cachorro para passear e depois ir à faculdade. Aos sábados, ela não podia porque tinha que levar o bicho para tomar banho. Vi que o cachorro estava tirando o tempo das pessoas e identifiquei a oportunidade para solucionar esse problema.”

O empresário firmou, então, parceria com o Super Pet Shop, que se instalou sem custos dentro do imóvel, porém com as portas voltadas para a rua. Em troca, o pet shop oferece desconto de 10% para os alunos em serviços como banho e tosa e de 5% nos produtos vendidos.

Harmuth investiu R$ 10 mil, usados para ensinar técnicas de adestramento a dois funcionários, que colocam os cães para fazerem exercícios, por meio de brincadeiras em rampas e em obstáculos, para estimular corridas e pulos.

Serviço de recreação tem 47 cães inscritos

O dono da academia afirma que o serviço de recreação já tem 47 cães cadastrados, que vão frequentemente ao espaço. Esses animais têm até carteirinha. Há casos de animais que são levados só de vez em quando, conforme a necessidade dos donos.

Para levar o pet à academia, é necessário que o dono preencha uma ficha de inscrição e apresente a carteira de vacinação do animal, com as doses em dia. O cachorro recebe também um medicamento antipulgas.

“Orientamos os alunos que não atendemos cachorros agressivos, a menos que tenham algumas sessões prévias com o adestrador”, diz Harmuth. Segundo ele, durante o período de cio, as cadelas não podem ser levadas ao local.

No espaço há oito baias para os bichos, além de uma área comum. “Os cachorros que não têm socialização muito fácil ficam separados. Toda essa parte técnica foi desenvolvida pelos veterinários e adestradores.”

O serviço de adestramento dos cães funciona em dois turnos: das 7h às 9h e das 18h às 21h. Os alunos podem utilizar o serviço nesses dois horários, que são os de maior movimento. Não é permitido ao aluno deixar seu cachorro no local, se não estiver em horário de treinamento na academia.

A academia funciona há 17 anos e hoje conta com cerca de 2.800 alunos e 47 funcionários. Os pacotes para treinos custam a partir de R$ 70 por mês.

O faturamento e o lucro da academia no ano passado não foram divulgados.

Banho de pet custa a partir de R$ 32

O preço cobrado pelo pet shop para dar banho nos cachorros dos alunos é a partir de R$ 32. Para tosar, os alunos pagam a partir de R$ 62. O pet shop também vende remédios, brinquedos, alimentos e outros itens destinados aos animais.

Planos para abertura de unidade no Rio

O empresário diz que a criação do espaço para os animais na unidade de São Paulo deve contribuir para a expansão dos negócios. “Espero um crescimento entre 4% e 5%, dependendo do investimento que eu fizer nas mídias sociais do ramo.”

Para ele, a iniciativa também tem potencial de atrair mais alunos, até aqueles que não têm animais de estimação ou que não pretendam usar o serviço.

Gera um fortalecimento da marca, de modo que os clientes passam a ter mais orgulho de dizer que frequentam uma academia onde o animal é aceito.

José Renato Harmuth, dono da academia SP/UP

Harmuth declara ter planos para abrir a segunda unidade da academia. O local desejado é o Rio de Janeiro. “Mas decidi esperar um pouco até que melhore a questão da segurança pública.”

Resíduos e latidos podem causar problemas

O professor Marco Aurélio de Sá Ribeiro, gerente do Centro de Empreendedorismo e Internacionalização do Ibmec, diz considerar inovadora a ideia de se criar uma área para animais na academia, mas aponta alguns desafios para sua consolidação.

“As diferenças de raças, os tamanhos, os temperamentos. Tudo isso tem que ser levado em conta ao criar um espaço para os animais”, diz.

Segundo ele, os resíduos gerados pelos cachorros e o barulho dos latidos também podem se tornar um problema. Para solucionar a questão do ruído, Ribeiro diz que o ideal seria a implantação de um sistema acústico adequado.

Ribeiro afirma ainda que o crescimento do mercado destinado aos pets é um fator que tende a auxiliar a SP/UP a consolidar sua ideia e ampliar os negócios.

“Até uma década atrás, você comprava ração no supermercado. Hoje em dia, os pets shops têm o tamanho de um supermercado”, afirma.

Onde encontrar:

SP/UP – https://www.facebook.com/academiaSPUP/

Pets lacrando no "salão de beleza" para cães

Universa

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Empreendedorismo