IPCA
0.01 Jun.2019
Topo

Finanças pessoais


Se ganhar, ganha muito. Se perder, perde pouco. Conheça o mercado de opções

Téo Takar

Do UOL, em São Paulo

2019-02-25T04:00:00

2019-05-07T19:22:27

25/02/2019 04h00Atualizada em 07/05/2019 19h22

Se ganhar, ganha muito. Se perder, perde pouco. É essa a ideia do mercado de opções sobre ações, um investimento da Bolsa de Valores que exige pouco dinheiro para aplicar, mas é mais indicado para investidores mais experientes.

A opção é um contrato que dá ao seu dono o direito de comprar ou vender uma ação em uma data determinada por um preço definido previamente. Para ter esse contrato, você paga um valor chamado de prêmio.

Aposta no futuro

A opção é uma aposta no preço que uma ação alcançará no futuro.

Suponha que o papel da Petrobras vale R$ 25 hoje e você acredita que ele chegará a R$ 30 daqui a seis meses. Você pode, então, comprar uma opção de compra que lhe dá o direito de adquirir a ação por R$ 27 daqui a seis meses. Para isso, paga um prêmio de R$ 1, por exemplo.

Se sua aposta estiver certa, quando o vencimento chegar você exercerá a opção, ou seja, comprará a ação por R$ 27. Em seguida, venderá a ação na Bolsa por R$ 30.

No final das contas, seu lucro com a operação será de R$ 2. O valor corresponde a quanto você recebeu pela ação (R$ 30), menos o que pagou por ela (R$ 27), menos o prêmio (R$ 1).

Operação alavancada

Uma das vantagens da opção é que ela permite fazer o que o mercado financeiro chama de alavancagem. Em outras palavras, você consegue investir um valor baixo para movimentar uma grande quantia e obter um ganho alto. No exemplo acima, você investiu apenas R$ 1 (o prêmio) para comprar uma ação por R$ 27 e obteve lucro de R$ 2 na operação --ou seja, um lucro de 200%.

Se, no mesmo exemplo, a operação fosse feita somente com as ações, você precisaria investir R$ 25 para comprar o papel da Petrobras hoje e receberia R$ 30 se o vendesse daqui a seis meses. Ou seja, seu investimento seria 25 vezes o da opção e seu lucro seria de R$ 5, equivalente a 20% do total aplicado (R$ 25).

Perda limitada

Suponha agora que sua estratégia não deu certo. Em vez de subir para R$ 30, a ação da Petrobras caiu para R$ 20. Se a opção lhe dava o direito de comprá-la por R$ 27, você não irá exercê-la. Com isso, ficará com um prejuízo de R$ 1, que foi o valor do prêmio.

Se você tivesse comprado a ação por R$ 25, teria um prejuízo de R$ 5.

Proteção do capital investido

Investidores experientes realizam combinações entre compras de ações e opções para proteger o capital investido. "Funciona como um seguro, limitando eventuais perdas que eu possa ter com uma ação na minha carteira", afirmou Maitê Kattar, chefe da mesa de derivativos e sócia da XP Investimentos. "Se tudo der errado, já sei hoje quanto irei perder no futuro."

A recomendação de especialistas é aplicar no máximo 1% do patrimônio em opções.

Put, call e strike

Antes de começar a negociar opções na Bolsa, é bom se familiarizar com os termos usados no mercado financeiro. A opção de compra é chamada de "call" e a opção de venda, de "put". O preço da ação escolhido por você para exercer a opção se chama preço de exercício ou "strike".

Sopa de letrinhas

As opções são identificadas por uma combinação de letras e números, que indica a ação à qual a opção se refere, o mês de vencimento e o preço de exercício. As opções de compra têm letras de A (janeiro) até L (dezembro) para indicar o vencimento. As letras das opções de venda vão de M (janeiro) até X (dezembro).

PETRW22, por exemplo, é a opção de venda do papel Petrobras PN, com preço de exercício de R$ 22 e vencimento em novembro.

Os vencimentos das opções de ações ocorrem sempre na terceira segunda-feira de cada mês. Confira as datas no calendário da Bolsa.

Gostou deste texto? Assine a newsletter UOL Investimentos para receber informações como esta em primeira mão no seu email.

Entenda o que é o spread bancário e a relação com os juros que você paga

UOL Notícias

Errata: o texto foi atualizado
No exemplo citado, em um investimento de R$ 1 (o prêmio) para comprar uma ação por R$ 27 e lucro de R$ 2 na operação, o lucro é de 200%, não de 100%.

Mais Finanças pessoais