PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Finanças pessoais

Quer ser day trader? Saiba que busca por lucro rápido envolve riscos

João José Oliveira

do UOL, em São Paulo

06/09/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Day trader é o comerciante que trabalha com foco em negócios que começam e terminam em um mesmo dia
  • Tentar lucrar comprando e vendendo ações no mesmo dia exige conhecimento e dedicação
  • Veja dicas e alertas de profissionais de mercado

A figura do trader é antiga no mercado financeiro, mas ganhou destaque recentemente. Pessoas que perderam emprego ou o negócio decidiram entrar de cabeça nessa atividade, incluindo alguns famosos de redes sociais, como Gabriela Pugliesi. A ideia de fazer lucro rápido, todos os dias, é tentadora, mas profissionais experientes alertam que esse tipo de negócio é muito arriscado.

Traduzido do inglês, day trader é o comerciante que trabalha com foco em negócios que começam e terminam em um mesmo dia. No mercado financeiro, é o investidor que compra e vende um ativo, como ações, opções ou contratos futuros, numa mesma sessão. Nada fica para o dia seguinte. Todas as operações são encerradas até o fim do pregão. Assim, ele vai dormir sabendo se perdeu ou se ganhou no dia.

"Entre as estratégias de investimento possíveis no mercado financeiro, o day trader está entre as mais complicadas", diz o analista da Clear Corretora, Filipe Fradinho.

Segundo ele, mesmo pessoas que já investem seus próprios recursos na Bolsa podem se "machucar" ao passar a atuar apenas como day trader.

Ter um bom índice de acerto em operações feitas com foco em vários dias não necessariamente garante uma passagem automática para esse mesmo sucesso no day trader.
Filipe Fradinho, analista da Clear Corretora

Por que é tão difícil ganhar com day trading?

Mais de 90% dos day traders perdem dinheiro, de acordo com um estudo divulgado pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários) no ano passado. Por que a perda é tão comum?

Muita coisa acontece ao mesmo tempo: é preciso atuar muito prontamente a cada oportunidade de operação porque as variações de um ativo podem ser muito rápidas. A diferença entre o lucro e a perda pode depender de segundos.

Adversários: O trader tem que estar ligado para não comer bola —tem sempre alguém tentando ser mais rápido. Quando um investidor ganha numa operação, quase sempre tem alguém perdendo do outro lado.

Desconhecimento: Muita gente acha que pode começar a operar porque sabe quase tudo sobre determinado negócio, por exemplo, o mercado de opções. Mas aquele pedacinho do negócio que você não conhece é justamente o que pode colocar tudo a perder. Esse descuido é o motivo de perdas para a maioria dos traders novatos.

Sem limites para perdas: Algumas operações do mercado, como as que envolvem contratos futuros, por exemplo, podem levar investidor a perder até mais do que aplicou. E novatos costumam cometer o erro de entrar no mercado sem saber quanto podem perder.

Vale lembrar que um ativo que caiu determinado percentual precisa subir mais para voltar ao patamar anterior à queda. "Com 15% de prejuízo, o investidor terá que lucrar 17,65% para reaver suas perdas. Para recuperar 50%, o trader necessita ganhar 100% no mercado. Por isso, é preciso desenvolver uma estratégia que englobe um bom controle de risco, a fim de estancar as perdas", afirma Fradinho.

Dicas que podem ajudar o novo day trader

Ter uma reserva: Um colchão de capital para a sustentar os gastos é fundamental porque a vida de um day trader não é estável. "A pessoa não pode depender disso para comer", afirma o chefe de renda variável da Messem Investimentos, William Teixeira.

Estudar: Antes de começar, precisa saber como funciona cada mercado. Preguiça, falta de tempo ou dificuldade para aprender a entender esse mundo são sinais de que isso não é para você.

Conhecer as plataformas: É preciso ter perícia com as plataformas com as quais vai operar. Há casos de pessoas que perderam dinheiro porque apertaram um botão errado e compraram 500 contratos em vez de cinco contratos. As plataformas usadas para fazer negócios na Bolsa permitem fazer simulações. O investidor pode praticar como se estivesse operando de verdade, mas sem colocar dinheiro.

Começar de leve: Os iniciantes devem começar a operar por negócios menos sofisticados, que não tenham alavancagem —ou seja, operações em que você não aposta mais do que o capital próprio, como os contratos de opções.

Tem alguma dúvida ou sugestão sobre investimentos? Mande um email para uoleconomiafinancas@uol.com.br

Finanças pessoais