PUBLICIDADE
IPCA
0,73 Dez.2021
Topo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Por que o resultado da Black Friday atingiu a Bolsa de Valores brasileira?

Conteúdo exclusivo para assinantes
Gabriela Mosmann

Gabriela Mosmann

É mestre em finanças e analista de investimentos CNPI na casa de análises @SunoResearch

06/12/2021 04h00

A última sexta-feira de novembro já se tornou uma data aguardada no mundo todo. A Black Friday, seguinte ao dia de Ação de Graças, é uma data clássica para compras e ofertas em promoções. Tanto que o termo foi originado em 1960, na Filadélfia, nos EUA, para descrever o excessivo tumulto do dia, o qual marcava o início das compras do período natalino.

Essa data não é apenas uma oportunidade de muitos consumidores adquirem itens desejados com preços menores, mas também um evento importantíssimo para as mais variadas empresas com os mais distintos bens e serviços à venda.

Bens domésticos, eletrônicos, roupas, assinaturas, viagens, cursos... Tudo o que podemos imaginar possui algum tipo de promoção divulgada no dia. São tantos descontos chamativos e oportunidades "imperdíveis" que essa é uma das datas mais importantes do comércio. Dado isso, também temos como uma das datas em que a maioria da população ultrapassa o seu limite de gastos e ainda justifica como "por algo necessário".

As compras por impulso possuem um papel frequente na vida de todos, principalmente daqueles que não controlam seus gastos como deveriam. Entretanto, o maior perigo é quando esse comportamento praticamente ganha carta branca para atuar livremente, o que percebemos em momentos como os da Black Friday.

Esse ano, percebemos algo diferente. Desde que a Black Friday chegou ao Brasil, em 2010, muitas empresas de varejo já relataram que 2021 foi o pior em vendas. Os brasileiros aprenderam a controlar os impulsos de gastar além do que deviam? ou não? A resposta é triste, mas não.

O péssimo desempenho do evento está mais associado à fraca recuperação da economia, à nova variante do coronavírus e às incertezas que traz consigo, bem como a todo um cenário polêmico na nossa política.

Em meio a muitas falsas promoções de "metade do dobro", superendividamento, compras por impulso e aquisição de coisas que você nem precisava, a melhor promoção de todas ficou para a Bolsa de Valores.

Por conta dos fatores citados anteriormente para o fracasso da Black Friday de 2021, o Ibovespa caiu quase 3,5% em meio a uma nova onda de baixa.

Os melhores descontos atualmente estão na Bolsa de Valores.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.

PUBLICIDADE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL