PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Bitcoin atinge seu maior valor da história: hora de comprar ou vender?

Conteúdo exclusivo para assinantes
Sílvio Crespo

Sílvio Crespo é sócio do Grana, aplicativo que automatiza o IR de investimentos na Bolsa. Como jornalista de economia, ganhou diversos prêmios, inclusive o de melhor blog de economia do Brasil, concedido pela Case New Holland, pelo antigo blog Achados Econômicos, no UOL. Paralelamente, hoje cursa psicologia na USP.

22/10/2021 04h00

O bitcoin disparou nas últimas semanas e atingiu o seu valor mais alto da história, superando US$ 66 mil no mercado internacional e R$ 370 mil no Brasil.

E então, é hora de comprar ou vender?

Diferentemente do que você verá na maior parte das análises, que não respondem objetivamente uma pergunta tão direta como essa, aqui vou responder claramente se eu estou comprando ou vendendo e por quê.

Antes de responder, só quero deixar claro que tudo o que compartilho aqui se refere à minha estratégia pessoal, que vale para os meus objetivos e o meu perfil de risco.

1. Para mim, nunca é hora de vender bitcoin

Já cometi algumas vezes o erro de vender bitcoin porque tinha subido muito. Nunca mais cometo.

Eu acredito que existe a chance de essa criptomoeda um dia virar pó. Passar a não valer absolutamente nada.

Só que também existe chance —e, a meu ver, não é pequena — de ela atingir um valor superior a R$ 1 milhão.

No futuro, se o valor do bitcoin cair a zero, vou ficar um tanto chateado, por ter perdido dinheiro.

Mas se chegar a valer R$ 5 milhões, R$ 10 milhões e eu não tiver mais nenhum bitcoin, aí, sim, eu vou ficar muito arrependido.

Por esse motivo, eu não vendo mais bitcoin. Se tudo der errado, não vou perder mais do que aquilo que eu investi. Já se der certo, não há um limite de ganho que se possa prever.

Esse valor de R$ 10 milhões parece muito longe dos atuais R$ 350 mil? Sim, é 27 vezes maior.

Porém, de maio de 2017 até hoje (menos de cinco anos), o preço da cripto subiu 51 vezes.

2. Quase sempre é hora de comprar

Na minha visão, quase sempre é hora de comprar bitcoin. Porém, não temos dinheiro infinito para sair investindo o tempo todo.

Por outro lado, também não temos bola de cristal para comprar hoje, na certeza de que amanhã vai subir.

Por conta disso, eu nunca invisto tudo de uma vez. Uma vez decidido quanto vou destinar a criptomoedas, eu distribuo a compra ao longo do tempo.

Neste momento, o que estou fazendo é definir quanto eu posso investir em bitcoin ao longo dos próximos meses. Uma vez tomada essa decisão, pretendo nos próximos dias investir uma pequena fração desse valor.

Por que uma pequena fração? Porque já estou satisfeito com o que eu tenho em bitcoin e também porque já subiu muito nos últimos dias. Vou guardar a maior parte do que tenho em reais para comprar BTC quando cair.

Se quiser saber mais sobre como eu invisto, ou se quiser tirar alguma dúvida, envie um e-mail para uoleconomiafinancas@uol.com.br. Sua pergunta pode se tornar tema desta coluna no futuro!

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.

PUBLICIDADE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL