PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Banco Pan compra dona do Buscapé, Zoom e Bondfaro; saiba mais

Banco Pan compra dona do Buscapé: é a segunda aquisição do banco em menos de um mês - Divulgação
Banco Pan compra dona do Buscapé: é a segunda aquisição do banco em menos de um mês Imagem: Divulgação
Conteúdo exclusivo para assinantes

Felipe Bevilacqua

04/10/2021 09h48

Hoje vamos comentar sobre a finalização da cisão da participação da XP do Itaú (ITUB4, ITUB3) e sobre a aquisição da Mosaico (MOSI3) pelo Banco Pan (BPAN4).

O UOL tem uma área exclusiva para quem quer investir seu dinheiro de maneira segura e lucrar mais do que com a poupança. Conheça!

Confira a seguir a análise de Felipe Bevilacqua, analista e sócio-fundador da casa de análise Levante Ideias de Investimento. Todos os dias, Bevilacqua traz notícias e análises de empresas de capital aberto para você tomar as melhores decisões de investimentos. Este conteúdo é exclusivo para os assinantes do UOL.

Acionistas de Itaú recebem BDRs da XP

Os BDRs (Brazilian Depositary Receipts) da XP começarão a ser negociados na B3 nesta segunda-feira (4). Na sexta-feira (1), a assembleia da XP aprovou a incorporação das ações da XPart, extinguindo a companhia. Dessa forma, os acionistas do Itaú passarão a ter participação direta na corretora.

As ações do Itaú sofrerão reajuste em seu preço de abertura, sendo de 18,69% e 17,54% para as ações ordinárias e preferenciais, respectivamente, e seus acionistas poderão negociar os BDRs da XP diretamente na Bolsa brasileira. A troca de participações se dará conforme proporção definida pela empresa sem que gere prejuízo aos acionistas, ou seja, o patrimônio total do acionista de Itaú se manterá o mesmo, só que agora será composto por ações do Itaú (ITUB3 ou ITUB4) e as BDRs da XP. As eventuais sobras da proporção serão recebidas em dinheiro, na proporção correspondente de suas participações.

Já a Itaúsa (ITSA4) receberá ações classe A da XP, passando a deter participação de 15,07% do capital total e 4,74% do capital votante da corretora. Nada muda nas ações da holding, a não ser a participação direta na companhia, que agora pode indicar membros ao Conselho de Administração e Comitê de Auditoria da XP. Segundo a própria companhia, não há nenhuma intenção de vender sua participação no curto prazo. Sendo assim, a empresa deve ir vendendo sua participação aos poucos em um horizonte de tempo longo.

Esperamos certa volatilidade nas ações das companhias no pregão desta segunda-feira, principalmente do Itaú, já que seus acionistas que só estavam esperando receber as ações da XP poderão negociá-las sem perder o direito. Apesar dos acionistas de Itaúsa não receberem os BDRs, acreditamos que a conclusão da negociação deve trazer impactos positivos tanto para o Itaú quanto para a XP, e, consequentemente, aumentando o valor de mercado da Itaúsa. Por ser uma holding, o seu valor de mercado, em geral, é avaliado pela soma de suas participações e uma possível valorização das 2 maiores participações em seu portfólio deve impactar positivamente as ações da companhia.

Banco Pan compra dona do Buscapé, Zoom e Bondfaro

O Banco Pan (BPAN4), controlado pelo BTG Pactual (BPAC11), está realizando uma fusão com a Mosaico (MOSI3), empresa de tecnologia que é dona dos sites de comparação de preços Buscapé, Zoom e Bondfaro.

A operação ocorrerá via troca de ações, com uma proporção de troca de 0,8 ação do Banco Pan para cada ação da Mosaico. Haverá ainda um bônus de subscrição com valor de face de R$ 4 que será pago caso as ações do Pan fechem acima de R$ 24 por três pregões seguidos nos próximos 30 meses. Nesse caso, o prêmio pode chegar a 43%.

A princípio, cada acionista da Mosaico ficará com uma participação de 7,9% no Pan, podendo subir para 9,2% caso o bônus seja exercido.

O Banco Pan e a Mosaico possuem hoje um market cap de R$ 9,48 bilhões e R$ 3,20 bilhões, respectivamente. A Mosaico realizou seu IPO (oferta pública inicial de ações, na sigla em inglês) em fevereiro deste ano, quando captou quase R$ 1 bilhão e lançou recentemente uma plataforma de cashback, com o objetivo de aumentar a participação da Mosaico na fase final do funil de compras, tornando a experiência dos usuários mais completa. O lançamento do cashback teve como parceiro financeiro o BTG Pactual, responsável pela operação da carteira virtual.

Além disso, as plataformas e canais de distribuição da Mosaico também oferecem serviços financeiros, bancários e de seguros pelo BTG. No mês passado, a Mosaico ainda divulgou a aquisição de ações de emissão da companhia pelo BTG, que detém hoje uma fatia de 13,31% da Mosaico.

A transação faz parte da estratégia do Banco Pan para acelerar seu marketplace, com a Mosaico passando a oferecer produtos do banco para seus mais de 22 milhões de usuários que acessam seus sites mensalmente. Além disso, o Banco Pan expandirá seu funil de vendas e aumentará suas competências em tecnologia por meio da Mosaico. Portanto, entendemos a transação como positiva para ambas as companhias, de modo que esperamos impacto positivo nas ações do Banco Pan e da Mosaico no curto prazo.

O Pan já possui uma parceria com o Méliuz (CASH3) para emissão de cartões, que corresponde a cerca de 10% dos cartões emitidos pelo banco. A parceria com o Méliuz permanece, porém o foco total do Pan agora é na Mosaico. O banco passará a contar com ferramentas de varejo diversas como comparador e alertas de preço e crediário digital, sem precisar desenvolver tais ferramentas internamente.

Em contrapartida, o banco beneficiará a Mosaico levando tráfego para os seus sites. Guilherme Pacheco, chairman da Mosaico, irá para o conselho de administração do banco, já José Guilherme Pierotti, cofundador da Mosaico, será head de e-commerce do Pan, enquanto José Guilherme Pierotti, também sócio da Mosaico, será diretor de e-commerce do banco.

A aquisição da Mosaico é a segunda aquisição do banco em menos de um mês, que comprou recentemente 80% da Mobiauto, para consolidar sua atuação em financiamento de automóveis no mercado digital.

A tendência de reforçar o marketplace vem se consolidando e tem como exemplo o Banco Inter (BIDI4, BIDI11) que impulsionou seu marketplace por meio da parceria com a VTEX, combinando compras com serviços bancários. Dessa forma, observamos que a estratégia de integração de banking e varejo gera muito mais valor aos usuários.

Este material foi elaborado exclusivamente pela Levante Ideias e pelo analista Felipe Bevilacqua (sem qualquer participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.

PUBLICIDADE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL