PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Banco Inter tem abertura recorde de contas e dona do Google cresce; veja

Conteúdo exclusivo para assinantes

Felipe Bevilacqua

27/10/2021 09h21

Hoje comentaremos sobre os resultados trimestrais do Inter (BIDI11) e da Alphabet (GOGL34), holding que controla o Google. No banco Inter, foram abertas 2 milhões de contas no período, maior da série histórica. Alphabet tem destaque mais uma vez para Youtube e Google Cloud.

O UOL tem uma área exclusiva para quem quer investir seu dinheiro de maneira segura e lucrar mais do que com a poupança. Conheça!

Confira a seguir a análise de Felipe Bevilacqua, analista e sócio-fundador da casa de análise Levante Ideias de Investimento. Todos os dias, Bevilacqua traz notícias e análises de empresas de capital aberto para você tomar as melhores decisões de investimentos. Este conteúdo é exclusivo para os assinantes do UOL.

Banco Inter tem abertura recorde de contas

O Banco Inter (BIDI11) divulgou o seu resultado do terceiro trimestre de 2021. Parte do relatório já fora avaliada antecipadamente, visto que a companhia apresentou a prévia no começo do mês. Em linhas gerais, vemos o resultado como levemente positivo e acima do esperado, especialmente por conta do crescimento da linha de receitas. Por isso acreditamos em impacto positivo nas ações do Inter na sessão desta quarta-feira (27), também por conta do fraco desempenho das units nos últimos 30 dias (queda de 32%).

Foram abertas 2 milhões de contas no período, média diária superior a 31 mil, a maior da série histórica do banco. A receita de serviços teve um crescimento de 157% na comparação com o mesmo período em 2020, atingindo R$ 345 milhões. O bom desempenho foi impulsionado pelo salto da base de clientes e, de maneira geral, pelo aumento da receita média por usuário, cuja expansão foi de 19,7% e totalizou R$ 207,19.

A receita de crédito, também conhecida por NII, cresceu 137%, atingindo R$ 454 milhões, puxada pelo avanço de 163% na carteira de crédito para empresas, que atingiu R$ 3,97 bilhões, e pela carteira de cartão de crédito pessoal, que aumentou 195%.

O lucro líquido do banco atingiu R$ 19,2 milhões, revertendo o prejuízo de R$ 8 milhões no terceiro trimestre de 2020. Mas o resultado foi beneficiado pelo deferimento de ativos fiscais. Do contrário, a companhia provavelmente reportaria prejuízo líquido no trimestre.

Não temos dúvida de que a indústria passa por um momento disruptivo, tampouco da capacidade de execução do time de gestão e dos seus controladores. Porém ainda temos dificuldade em justificar a precificação atual da companhia, que julgamos "próximas à perfeição". Em outras palavras, não enxergamos margem de segurança no patamar atual.

Alphabet, dona do Google, tem resultado acima do esperado

A Alphabet (GOGL34), holding que controla o Google, apresentou os resultados do terceiro trimestre de 2021 com números que vieram levemente melhores do que o esperado. Os destaques ficaram com as linhas de receitas, margens e de lucro líquido. Projetamos impacto positivo no preço das ações no curto prazo.

A receita líquida totalizou US$ 65,11 bilhões, um crescimento de 41% na comparação anual e cerca de 2,5% acima das expectativas. O carro-chefe que ainda lidera a expansão das vendas da Alphabet foi a Google Anúncios, com alta de 43% na base anual.

Geograficamente, o maior crescimento ocorreu na América, de cerca de 56%, seguida por Emea (Europa, Oriente Médio e África) com 42%, Estados Unidos com 39% e APAC (Ásia e Pacífico) com 38%.

Já por unidade de negócio, destaque mais uma vez para Youtube e Google Cloud, com taxas próximas a 50% na comparação anual. A margem do Google Cloud veio ainda negativa, mas a companhia parece estar a menos de um ano de atingir o breakeven no segmento.

Este material foi elaborado exclusivamente pela Levante Ideias e pelo analista Felipe Bevilacqua (sem qualquer participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.

PUBLICIDADE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL