PUBLICIDADE
IPCA
0,73 Dez.2021
Topo

Suzano está de olho em empresa de papel higiênico do Sul; saiba mais

Conteúdo exclusivo para assinantes

Felipe Bevilacqua

14/12/2021 10h09

Hoje comentaremos o possível interesse de compra da Mili por parte da Suzano (SUZB3) e a compra da Simpar (SIMH3) no setor de concessionárias de veículos.

O UOL tem uma área exclusiva para quem quer investir seu dinheiro de maneira segura e lucrar mais do que com a poupança. Conheça!

Confira a seguir a análise de Felipe Bevilacqua, analista e sócio-fundador da casa de análise Levante Ideias de Investimento. Todos os dias, Bevilacqua traz notícias e análises de empresas de capital aberto para você tomar as melhores decisões de investimentos. Este conteúdo é exclusivo para os assinantes do UOL.

Interesse da Suzano na compra da Mili

Importante fabricante de papéis higiênicos da região Sul, a Mili tornou-se alvo de compra pela Suzano (SUZB3) e por gigantes estrangeiras do setor, como a americana Kimberly-Clark (dona das marcas Neve e Scott) e a chilena CMPC. As companhias estariam com planos de adquirir a empresa para aumentar o market share, com destaque para as regiões com renda mais elevada e de maior consumo.

A Suzano é vista hoje como a maior interessada na aquisição da Mili, tendo como objetivo ampliar sua participação na região Sul do país. Ademais, a Suzano estreou no segmento de produtos acabados de papel sanitário em 2017, sendo dona das marcas Mimmo e Max Pure. Após as vendas de outras empresas do setor, como a Santher e Sepac, a Mili virou um ativo bastante relevante.

Vemos o possível movimento da Suzano de adquirir a Mili como positivo, tendo em mente que a companhia pode ganhar uma participação maior em um segmento de maior valor agregado. Atualmente, a fatia da Suzano em produtos acabados de papel sanitário é de cerca de 10%, com destaque para as regiões Norte e Nordeste. Ou seja, comprar a Mili faria com que a companhia se tornasse mais forte no Sul e Sudeste, regiões economicamente mais ricas e mais disputadas.

Entretanto, o valor da transação e o modo como ela será conduzida são pontos que merecem atenção. Além do valor pago, que pode comprometer o retorno esperado na operação, a forma de pagamento é muito relevante, visto que a companhia reduziu seu endividamento recentemente e já tem grandes investimentos contratados no Projeto Cerrado.

No ano passado, a Mili apresentou um faturamento de R$ 1,1 bilhão e lucro de R$ 120,4 milhões. Até o momento, não há um processo formal de venda. Contudo, a Mili estaria aberta a negociações com valor inicial em cerca de R$ 1 bilhão.

Simpar compra concessionária do Grupo Saga

Por meio de sua controlada Original Holding, que atua na comercialização de veículos leves desde 1995, a Simpar (SIMH3) anunciou a compra da Sagamar Serviços, que faz parte do Grupo Saga, um dos maiores grupos de concessionárias do país.

A negociação foi avaliada em R$ 306 milhões, com o pagamento sendo ajustado pela dívida líquida da companhia. A forma de pagamento será realizada com 51% em dinheiro e 49% convertido em ações da Original Holding. Além disso, o acordo entre as partes inclui um aporte de R$ 500 milhões a ser realizado na Original pela Simpar. Ao final da transação, o controlador da Sagamar terá uma participação de 12,6% na Original.

A controlada da Simpar tem em seu portfólio concessionárias da marca Volkswagen e a Fiat, que foi adicionada a seu portfólio em 2006. Além disso, a Original Holding adquiriu, em novembro de 2021, 100% da UAB Motors, por um valor de firma de R$ 510 milhões.

Por outro lado, a Sagamar atua em São Luís, no Maranhão, com 12 lojas para a comercialização de veículos leves novos de diversas marcas, como Fiat, Renault, Peugeot, BMW, Hyundai, entre outros.

A fusão entre a Original Holding, Sagamar e UAB Motors resultará em uma companhia nova com presença em quatro estados: São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Maranhão. Dessa forma, não vemos muito sentido ter a operação com essa divisão geográfica, já que há pouco ganho de sinergia entre as empresas e a operação fica muito dispersa entre Nordeste e Sul/Sudeste.

Entretanto, a transação não nos surpreende, tendo em vista que a Simpar, de acordo com sua proposta, primeiro realiza a negociação de uma oportunidade avaliada como positiva para depois ajustar a operação. Em suma, com a aquisição da Sagamar, a Original inclui 9 marcas em seu portfólio, totalizando 18 marcas. Apesar da falta de sinergia e distância geográfica, há uma vantagem de escala e um aumento da capilaridade na região Nordeste, que pode virar um foco de atuação da companhia.

Este material foi elaborado exclusivamente pela Levante Ideias e pelo analista Felipe Bevilacqua (sem qualquer participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.

PUBLICIDADE