PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Varejo e construção são os setores mais recomendados na semana; saiba mais

Exclusivo para assinantes UOL Economia+

Márcio Anaya

Colaboração para o UOL, em São Paulo

17/09/2020 04h00

Embora tenha perdido algumas representantes nas últimas semanas, o setor de varejo segue entre os mais recomendados nas carteiras de ações analisadas pelo UOL Economia+, sustentado principalmente por Magazine Luiza e Via Varejo. Os papéis das Lojas Americanas também figuram nessa relação.

"A capacidade de operar dentro de uma nova realidade ficou evidente no caso de Lojas Americanas, que foi um destaque mostrando crescimento expressivo de pedidos ao longo do tempo, novos sellers [vendedores dentro da plataforma da empresa] e mais de 30 milhões de itens na prateleira digital", diz a Daycoval Investimentos. Para esta semana, a instituição espera uma leve recuperação nos preços das ações da companhia, após quedas consecutivas.

No caso da construção civil, os destaques ficam por conta de Eztec, Cyrela e MRV, que figuram nos portfólios indicados pela Daycoval, MyCap e Terra Investimentos, respectivamente.

Em seu comentário semanal, a Daycoval diz que, após uma explosão de lançamentos imobiliários desde 2018, o segundo trimestre deste ano se mostrou fraco nesse quesito. Apesar disso, a corretora avalia que a Eztec apresentou um lucro líquido sólido no período —de R$ 68 milhões, com queda de 24% no comparativo anual— e, historicamente, o ambiente de juros baixos traz reflexos positivos ao preço do ativo.

Já a Terra reitera a preferência por MRV principalmente com base na qualidade técnica dos profissionais da empresa e na atenção dada ao cliente, além da atuação estratégica em diversas regiões do país.

Confira aqui outros destaques e as carteiras completas de ações recomendadas nesta semana. Os códigos e preços dos papéis podem ser conferidos na página de cotações do UOL Economia.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.