PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Ações da JBS estão entre as novidades nas recomendações da semana

Conteúdo exclusivo para assinantes

Márcio Anaya

Colaboração para o UOL, em São Paulo

18/03/2021 04h00

As ações da JBS, uma das maiores empresas de alimentos do mundo, estão entre os destaques desta semana, com duas estreias nas carteiras recomendadas por analistas de investimento. O acompanhamento, realizado pelo UOL Economia+, considerou as divulgações feitas por seis corretoras.

A companhia passou a fazer parte dos portfólios elaborados pela MyCap e pela Mirae Asset Corretora. Em relatório semanal, esta última diz esperar "números fortes" no balanço financeiro do grupo relativo ao quarto trimestre de 2020, considerando o aumento dos preços e das margens de lucro, principalmente no Brasil.

  • Conheça o UOL Economia+, serviço completo de orientação financeira do UOL para assinantes.

A instituição lembra que, no terceiro trimestre, a JBS apresentou um lucro líquido consolidado de R$ 3,1 bilhões, com forte alta no comparativo anual (778%), desempenho que, de acordo com a Mirae, ficou acima das expectativas do mercado.

O próximo resultado da empresa —consolidando a performance no ano passado— será anunciado em 24 de março. No dia seguinte, haverá apresentação pública para analistas e investidores.

JBS mantém peso dos frigoríficos

A inclusão da JBS nas indicações da semana ajudou a manter o peso dos frigoríficos na lista geral de recomendações para o período.

Outra gigante do setor a fazer parte da relação é a Marfrig, uma das maiores empresas de proteína bovina do planeta. As ações da companhia foram mantidas pela Mirae e pela XP Investimentos, mas deixaram a seleção da Terra Investimentos, da qual faziam parte deste o início do ano.

Na Mirae, a escolha da JBS implicou na saída de outra companhia do ramo, a BRF, que havia ingressado na carteira da corretora na última semana de fevereiro.

Saneamento estreia com Sabesp e Sanepar

Ausente no último levantamento, o ramo de saneamento básico tem duas representantes nesta semana: as ações da empresa do estado de São Paulo (Sabesp) ingressaram no portfólio da Terra Investimentos, enquanto as units (cesta de ações) da Sanepar (do Paraná) estrearam na lista da XP.

No dia 16, a Sabesp informou a prorrogação, até o fim de abril, de medidas para minimizar os impactos econômicos da pandemia em estabelecimentos comerciais e de serviços. As decisões incluem "suspender cortes e renegociar débitos" de clientes dos municípios que estejam nas fases laranja e vermelha do Plano São Paulo/Covid-19, segundo o comunicado.

A Sanepar também divulgou nesta semana uma ação com o mesmo objetivo. A empresa decidiu adiar a cobrança de contas de água e esgoto para os clientes cadastrados na Tarifa Social, pelo período de 90 dias —contados a partir de 20 de março. O fato relevante da companhia paranaense ressalta, no entanto, "que não se trata de isenção ou abatimento de contas."

Confira aqui outros destaques e as carteiras completas de ações recomendadas nesta semana. Os códigos e preços dos papéis podem ser conferidos na página de cotações do UOL Economia.

UOL Economia+ fará evento para quem quer investir

Entre os dias 23 e 25 de março, o UOL Economia+ e a casa de análises Levante Ideias de Investimento realizarão evento online gratuito. O economista Felipe Bevilacqua, analista certificado e gestor especialista da Levante, comandará três grandes aulas para explicar ao leitor do UOL como assumir as rédeas do próprio dinheiro.

O evento é gratuito para todos os leitores UOL. Garanta o seu lugar no evento aqui.

Ao clicar em “Enviar”, você concorda com a Política de Privacidade do Grupo UOL e aceita receber e-mails de produtos e serviços do Grupo UOL e demais empresas integrantes de seu grupo econômico. O Grupo UOL utiliza as informações fornecidas para entrar em contato ofertando produtos e serviços. Você pode deixar de receber essas comunicações quando quiser.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.

PUBLICIDADE