PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

Confira as 5 ações mais indicadas por analistas para o mês de abril

Conteúdo exclusivo para assinantes

Márcio Anaya

Colaboração para o UOL, em São Paulo

06/04/2021 04h00

A mineradora Vale mantém o posto de principal recomendação dos analistas para o investimento em ações, segundo acompanhamento feito pelo UOL Economia+. A companhia foi a mais indicada no primeiro trimestre e, em abril, figura em nove entre dez carteiras recomendadas por especialistas.

Outras quatro empresas também foram destaque.

  • Conheça o UOL Economia+, serviço completo de orientação financeira do UOL para assinantes.

Confira a seguir a relação completa*:

  • Vale (VALE3): 9 recomendações
  • B3 (B3SA3): 5 recomendações
  • Gerdau PN (GGBR4): 5 recomendações
  • Suzano (SUZB3): 5 recomendações
  • Itaú PN (ITUB4): 4 recomendações

*Levantamento feito com base nas carteiras recomendadas pelas seguintes instituições: Ágora Investimentos, Banco Inter, BB Investimentos, BTG Pactual, Guide Investimentos, Mirae Asset Corretora, MyCap Investimentos, Necton Investimentos, Santander Corretora e Terra Investimentos.

Gastos do governo e pandemia afastam estrangeiros

Após dois meses consecutivos de perdas, o principal índice da Bolsa local (Ibovespa) registrou alta de 6% em março, reduzindo para 2% a perda acumulada no primeiro trimestre.

Segundo o BTG Pactual, os cálculos atuais indicam preços mais atraentes para as ações listadas na B3, mas as preocupações com a situação fiscal (gastos do governo) do país, a profunda crise na saúde pública e as tensões políticas estão mantendo os investidores estrangeiros afastados.

O BTG destaca que houve uma saída líquida de R$ 7 bilhões de capital externo das ações brasileiras em fevereiro e outros R$ 5 bilhões em março. "À medida que a percepção de risco do país aumenta, o apetite pelo Brasil diminui", disseram os analistas em relatório.

Do lado das empresas, a Necton Investimentos afirma que a temporada de balanços financeiros do quarto trimestre de 2020 mostrou um desempenho melhor que o esperado, mas faz um alerta para os próximos resultados. Para a corretora, esse cenário de recuperação deve sofrer uma nova reversão com o anúncio dos números do primeiro trimestre, devido a fatores como a ausência do auxílio emergencial, piora da pandemia e consequentemente elevação das medidas de isolamento social.

Assim como já ocorreu em outros países, o progresso na vacinação contra a covid-19, que deve permitir a reabertura da economia, tende a ser o "fiel da balança" para o mercado acionário, avalia a BB Investimentos.

Vale ganha com volume e preço do aço

As ações da Vale seguem no topo das preferências das corretoras monitoradas pelo UOL Economia+. Em abril, os papéis foram mantidos por todas as nove instituições pesquisadas que já recomendavam a mineradora no mês passado.

Em relatório, o Banco Inter diz que a mineradora segue na carteira de abril com base nos bons fundamentos do setor e nas recentes notícias positivas envolvendo o grupo.

"A companhia anunciou a venda de sua unidade na Nova Caledônia, que, em nossa opinião, era um dos pontos de atenção para a tese de investimentos", disse a instituição. "Assim, a partir de agora, poderá focar em ativos de maior previsibilidade e dar sequência ao seu plano de aumento de relevância no segmento de metais básicos."

Para a Ágora Investimentos, a Vale deve se beneficiar, no curto e médio prazos, do aumento da produção de minério de ferro. O horizonte para os preços da commodity também é positivo, o que fez a corretora ajustar sua estimativa para as cotações neste ano, em 2022 e 2023. Os valores aumentaram para US$ 140, US$ 90 e US$ 80 a tonelada, respectivamente, ante previsão anterior de US$ 120, US$ 80 e US$ 75.

B3, Gerdau e Suzano têm cinco recomendações

O segundo bloco de destaques do mês traz as ações da B3, Gerdau e Suzano —todas com cinco indicações.

Na opinião da Terra Investimentos, as ações da B3 vêm apresentando bom desempenho, com altos volumes transacionados, decorrentes da forte volatilidade no mercado. "Vemos revisões para cima dos lucros no horizonte, o que esperamos ser um importante gatilho para que as ações da B3 voltem a apresentar um desempenho superior", completa o BTG Pactual.

No caso da siderúrgica Gerdau, o BTG destaca a combinação de forte crescimento de receita e baixa alavancagem financeira. Além disso, diz o banco, a empresa se beneficia da recuperação do mercado imobiliário brasileiro —pois é fornecedora de aços longos, usados na construção civil— e suas operações nos EUA (38% das vendas) podem ganhar com investimentos consideráveis em infraestrutura naquele país.

A Suzano, uma das maiores produtoras integradas de papel e celulose de eucalipto da América Latina, estreia neste mês nos portfólios selecionados pela Guide Investimentos e pela Santander Corretora. Esta última prevê um crescimento de 65% na geração operacional de caixa da empresa, medida pelo Ebitda, neste ano frente a 2020.

Já a Guide ressalta que a Suzano possui grande parte da sua receita em dólar, cuja cotação, na visão da corretora, deve se manter em patamares elevados nos próximos meses. "Isto, em conjunto com a alta no preço das commodities, impulsionam um aumento da receita da companhia no curto e médio prazos."

Itaú PN estreia em três portfólios

Completando a relação de destaques de abril, as ações preferenciais (PNs) do Itaú Unibanco receberam quatro recomendações de investimento. Os papéis foram mantidos pelo Banco Inter e estrearam nas carteiras elaboradas pela BB Investimentos, Mirae Asset Corretora e Terra Investimentos.

Alterações e portfólios completos indicados

Ágora Investimentos

Banco Inter

BB Investimentos

BTG Pactual

Guide Investimentos

Mirae Asset Corretora

MyCap Investimentos

Necton Investimentos

Santander Corretora

Terra Investimentos

O preço e o desempenho das ações podem ser conferidos na página de cotações do UOL Economia.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.

PUBLICIDADE