PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

Orçamento do governo: o que seu dinheiro tem a ver com isso?

Conteúdo exclusivo para assinantes

Do UOL, em São Paulo

07/04/2021 16h53

Assim como você planeja todo mês suas despesas e suas receitas (aquilo que você ganha), o governo federal faz o mesmo todos os anos. O Orçamento federal é um planejamento de tudo que será arrecadado e tudo que será gasto ao longo do ano pela União. Mas o que ele tem a ver com o seu dinheiro? Este foi o assunto abordado no Papo com Especialista desta quarta-feira (7).

No programa, o economista César Esperandio explicou como o Orçamento federal vem sendo costurado nos últimos meses e os motivos pelos quais ele ainda não foi sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), apesar de já ter sido aprovado pelo Congresso.

Entenda como o Orçamento afeta o seu dinheiro e seus investimentos no vídeo abaixo e confira a análise feita pelo economista. Ele também respondeu a perguntas sobre finanças e investimentos.

O Papo com Especialista é o programa semanal ao vivo do UOL Economia+ e é transmitido sempre às quartas-feiras, das 12h30 às 13h30, na página inicial do UOL e do UOL Economia+. O vídeo é exclusivo para assinantes.

Impasse no Orçamento afeta investidores

"Ficar de olho neste assunto não é só para investidores. Impacta também a sua vida. Por exemplo: cortes em despesas com o INSS afetam as aposentadorias e os benefícios", explicou Esperandio.

Para o economista, o impasse no Orçamento é ruim para os investimentos, sejam eles de grandes ou de pequenos investidores.

"Isso [o impasse] já foi suficiente para o preço de várias ações piorar, além de levantar desconfianças quanto à capacidade de Paulo Guedes [ministro da Economia] de entregar algo que prometeu, como reformas, e também de dominar o assunto de gastos públicos", afirmou Esperandio.

Outra grande preocupação dos investidores, segundo o economista, é o Orçamento não ser aprovado dentro do prazo (22 de abril), o que poderia levar o presidente Jair Bolsonaro a optar por uma solução fácil: decretar o estado de calamidade pública e ter uma desobrigação de cumprir todos os compromissos fiscais de limite de gastos.

"A consequência disso seria perda de confiança do investidor, fuga de capital do Brasil, porque o país vai se mostrar muito arriscado para investimentos, impactos no dólar, na precificação de ativos, alta de juros, etc", afirmou. É por isso que o investidor precisa ficar de olho nos próximos passos do Orçamento.

Quer investir melhor? Receba dicas em seu email

Você quer aprender a ganhar dinheiro com segurança em investimentos no curto, médio e longo prazo, mesmo que nunca tenha investido?

O UOL Economia+ tem uma newsletter que o ajuda nesse objetivo. Ao assinar a newsletter, você recebe de graça e semanalmente uma dica resumida sobre como aplicar melhor e com segurança seu dinheiro (abra este link, procure o título "UOL Economia+" e clique em "Cadastrar").

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.

PUBLICIDADE