PUBLICIDADE
IPCA
0,47 Mai.2022
Topo

4 razões para aproveitar crescimento dos EUA e ganhar em dólar; saiba como

Veja quatro motivos para investir em empresas norte-americanas por meio de BDRs - Getty Images
Veja quatro motivos para investir em empresas norte-americanas por meio de BDRs Imagem: Getty Images
Conteúdo exclusivo para assinantes

João José Oliveira

Do UOL, em São Paulo

12/08/2021 04h00

No mercado financeiro, o dólar recuperou o fôlego e voltou a superar os R$ 5,20. No mundo real, o PIB (Produto Interno Bruto) dos Estados Unidos acelerou o passo e está crescendo mais que a economia brasileira. A primeira estimativa do país mostra um crescimento de 6,5% no PIB norte-americano no segundo trimestre. É possível aproveitar o crescimento dos EUA para investir e ganhar em dólar?

São três os principais motivos para o investidor colocar algum dinheiro em empresas norte-americanas, segundo especialistas. Veja abaixo quais são eles, por que investir nesse mercado, como e quais cuidados necessários.

4 motivos para investir em empresas dos EUA

1. Dólar forte: depois de cair mais de 17% ante o real entre março e junho, recuando de quase R$ 5,80 para R$ 4,90, o dólar voltou a subir de forma insistente desde então e retornou ao patamar de R$ 5,20, em julho.

Parte dessa oscilação tem a ver com os problemas da economia e da política brasileiras. Em momentos de incertezas, os investidores buscam segurança em moedas fortes das maiores economias do mundo, como o dólar norte-americano.

Nas crises, a Bolsa brasileira cai, mas a tendência é a de que o dólar suba. Investimentos internacionais atrelados ao dólar funcionam como um amortecedor, reduzindo as oscilações, embora mantenham as expectativas de retorno.
Valter Police, planejador fiduciário da Fiduc

2. Economia forte: a economia norte-americana é muito maior que a brasileira e mesmo assim está crescendo mais rapidamente. O PIB de lá teve crescimento anualizado de 6,5% no segundo trimestre, atingindo US$ 19,4 trilhões, o equivalente R$ 100 trilhões.

De acordo com o FMI (Fundo Monetário Internacional), o país vai crescer 7% este ano. Já o PIB brasileiro, que cresceu 1,2% no primeiro trimestre, (dados do 2º trimestre ainda vão não foram divulgados), chegou a apenas R$ 2,05 bilhões. E deve crescer menos em 2021, cerca de 5,3%, segundo o mesmo FMI.

Por estarem inseridas na maior economia do mundo e serem muitas vezes companhias com atuação global, empresas norte-americanas estão em um ambiente de negócios mais dinâmico que o brasileiro.
Rossano Oltramari, sócio e estrategista da 051 Capital

3. Diversificação geográfica: um investidor pode ter ações de companhias que atuam em áreas totalmente diferentes, mas quando a economia brasileira vai mal, de alguma forma todas essas ações são impactadas.

Por isso, colocar uma parte dos investimentos em empresas norte-americanas é uma forma de imunizar a carteira dos riscos ligados ao Brasil.

Da mesma forma que o investidor deve selecionar empresas brasileiras de perfis diferentes na Bolsa, para não colocar todos os ovos na mesma cesta, ele deve também buscar a diversificação geográfica, com alocação de investimentos em diferentes países.
Luigi Wis, especialista em investimentos da Genial

4. Variedade de empresas: os Estados Unidos têm mais empresas de diferentes setores que o Brasil. Na Bolsa norte-americana há mais de 6.000 companhias listadas, contra menos de 500 na Bolsa brasileira. Há mais opções de companhias em setores que não têm representantes no Brasil, como o de tecnologia ou farmacêutico.

Para investir só no Brasil, é preciso acreditar que o Brasil vai superar todas as demais economias do mundo e todas as tecnologias que estão por vir. O que nunca aconteceu e não vai acontecer.
João Piccioni, analista da Empiricus

Como investir em empresas norte-americanas

Por muito tempo a possibilidade de diversificação geográfica era restrita a grandes investidores. Mas novas regras facilitaram o acesso do pequeno investidor brasileiro às empresas norte-americanas por meio dos BDRs que são negociados na nossa Bolsa B3.

Atualmente, qualquer investidor pode ter algum dinheiro aplicado em uma empresa americana, mesmo com baixos valores.

Como aproveitar o crescimento dos EUA para investir em dólar

A lista de BRDs de empresas norte-americanas negociados no Brasil é diversa, com representantes de setores tradicionais, como comércio, bancos e indústria, além de líderes da nova economia, como as companhias de tecnologia e comércio digital. Veja abaixo.

Velha economia - Analistas destacam que a retomada da economia dos EUA está sendo mais forte neste momento nos setores que foram mais atingidos pela pandemia, justamente os mais tradicionais. São casos de grupos com histórico mais longo, com receita mais estável e lucro menos volátil. Veja alguns casos.

Nova economia - Profissionais de mercado destacam que as gigantes da economia digital atravessaram a crise da covid-19 com maior desenvoltura e continuam sendo vistas como boas apostas para o futuro.

São companhias que investem bastante em tecnologia e apresentam crescimento acelerado. Mas até por isso podem ter uma distribuição de dividendos menor que o praticado pelas gigantes da velha economia.

Alguns exemplos são a Alphabet, dona do Google (GOGL34), Apple (AAPL34 ), Microsoft (MSFT34) e Amazon (AMZO34).

Farmacêuticas globais - Outra forma de aproveitar o crescimento da economia norte-americana é investir em algumas das principais fabricantes de medicamentos —e vacinas— que estão nos Estados Unidos e têm BDRs negociados aqui no Brasil.

São companhias que apresentam crescimento constante e têm uma ligação direta com a demanda cada vez maior da humanidade por saúde e bem-estar.

São os casos dos BDRs da Johnson & Johnson (JNJB34) e da Moderna (M1RN34).

O mercado norte-americano de capitais é o maior e mais desenvolvido do mundo. É um mercado que oferece segurança institucional e regulatória aos investidores, justamente pela experiência que possui. Em termos de desempenho, seu comportamento também é atrativo.
William Castro Alves, analista da Avenue Securities

4 cuidados para investir em empresas dos EUA

Profissionais de mercado destacam que ao investir em BDRs de empresas norte-americanas para aproveitar o ritmo de crescimento do PIB dos EUA e a fortaleza do dólar, o investidor deve tomar os mesmos cuidados recomendados ao se comprar ações de empresas brasileiras. Veja algumas orientações.

  1. Buscar informações: é importante pesquisar sobre a empresa e sobre o setor em que ela atua, ou cobrar essas informações dos profissionais de mercado que auxiliam na hora de aplicar o dinheiro;
  2. Investir com foco no longo prazo: buscar a aplicação com um prazo superior a três anos, para não correr o risco de precisar do dinheiro em um momento de baixa dos papéis. Querer acertar o momento de comprar e vender, como o trader, é muito arriscado;
  3. Começar aos poucos: como parte do aprendizado, o investidor deve começar nesse tipo de negócio colocando dinheiro aos poucos, e sempre olhando o longo prazo. A fatia da carteira que pode ir para BDRs vai depender do perfil de risco de cada investidor;
  4. Saber que vai ter volatilidade: assim como as ações de empresas brasileiras, os BDRs das companhias norte-americanas vão variar de preço conforme o desempenho da empresa. Esses papéis não vão sofrer influência da economia brasileira, mas por outro lado vão refletir o comportamento da economia norte-americana e dos negócios globais que possuem. Além disso, os BDRs vão acompanhar o ritmo do próprio dólar. Para cima e para baixo.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.