PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

Dinheiro na poupança? Veja se tem como recuperar rentabilidade 'perdida'

Conteúdo exclusivo para assinantes

Colaboração para o UOL, em São Paulo

22/09/2021 04h00

Você tem dinheiro parado na poupança há anos, mas agora acordou e quer investidor melhor. O que fazer? Tem investimento capaz de render a ponto de recuperar a rentabilidade perdida em anos de poupança? No Papo com Especialista, programa semanal e ao vivo do UOL, o economista César Esperandio explicou que nem tudo está perdido, principalmente se você se enquadra nas regras da "poupança velha".

Quem tem dinheiro parado na poupança até maio de 2012, tem um rendimento diferente do que quem aplicou na caderneta a partir dessa data. Para quem está na "nova poupança", vale migrar para outros investimentos. Entenda abaixo quais são, segundo o economista. O Papo com Especialista é um tira-dúvidas sobre investimentos exclusivo para assinantes e é transmitido toda quinta-feira, às 15h.

Poupança 'velha' x 'nova'

Antes de entender para onde migrar, é preciso conhecer a diferença entre a poupança velha e a poupança nova.

Se você colocou dinheiro na poupança até maio de 2012 e esse dinheiro não saiu de lá, você está enquadrado na regra da "poupança velha", que paga cerca de 0,5% ao mês.

"Isso dá cerca de 6% ao ano. Hoje a taxa Selic está em 5,25% ao ano. Então, se você investiu de maio de 2012 para trás, pode ser uma boa manter esse investimento na poupança", disse Esperandio, que também é do canal Econoweek.

Agora, quem aplicou na caderneta a partir de maio de 2012, tem outro rendimento, que varia conforme a taxa básica de juros, a Selic.

Quando a Selic for igual ou menor que 8,5% ao ano, que é o que ocorre agora, a poupança rende 70% da taxa vigente: ou seja, hoje, com a Selic a 5,25% ao ano, a poupança rende 3,68%.

Esse rendimento pode mudar se a Selic for superior a 8,5% ao ano —o que está bem perto de acontecer, caso a inflação não recue e o Banco Central mantenha o ritmo de elevação dos juros. Nesse caso, a poupança passa a render de forma fixa, a 6,17% ao ano.

Poupança X Tesouro Selic

Apesar de a poupança ser isenta de Imposto de Renda, ela perde para investimentos que não têm essa isenção e são tão conservadores quanto a caderneta —é o caso do Tesouro Selic, título do Tesouro Direto cuja rentabilidade está atrelada à taxa de juros.

"O Tesouro Selic hoje está pagando a taxa Selic mais um bônus de 0,29%, o que dá uma rentabilidade bruta de 5,54%", afirmou Esperandio.

A alíquota de IR para quem fica mais de dois anos com este investimento é de 15%. Com o desconto do imposto, a rentabilidade do Tesouro Selic cai para 4,71% —rentabilidade ainda superior a da poupança.

Ainda há outras opções que rendem mais e também são conservadoras, como CDBs de liquidez diária que rendem acima de 110% do CDI (taxa próxima à Selic). CDBs têm proteção do FGC (Fundo Garantidor de Créditos) e também são boa opção para quem quer sair da poupança nova.

Vale ressaltar que as condições de investimentos citadas aqui são referentes ao dia 9 de setembro. As taxas podem variar de um dia para o outro.

Então, vale sair da poupança?

"A poupança é desvantajosa. Então, vai para o Tesouro Selic. Se você não está confiante, faz essa migração aos pouquinhos", disse o economista. Os títulos do Tesouro Direto são considerados os investimentos mais seguros do país.

Os outros títulos do Tesouro Direto são o Tesouro Prefixado e o Tesouro IPCA. "Mas estou comparando com o Tesouro Selic porque este título tem características similares às da poupança em termos de liquidez diária", disse.

A poupança ainda tem outra desvantagem: ela só rende uma vez por mês, na data do aniversário, que é a data em que você aplicou o dinheiro. Ou seja, para você não perder a rentabilidade do mês, você só pode sacar na data de aniversário do investimento.

"Se você investiu hoje e sacar daqui a 29 dias, não rendeu nada. Se você sacar daqui a 59 dias, você ganha a rentabilidade dos primeiros 30 dias e perde a dos 29 dias restantes", disse Esperandio.

Tem como recuperar rentabilidade 'perdida'?

Ao migrar, é possível recuperar a rentabilidade perdida em anos de dinheiro parados na poupança? Não tem resposta certa para esta pergunta. Ela vai depender de quanto tempo o dinheiro estava na caderneta e de quanto dinheiro estamos falando.

Apesar disso, afirma Esperandio, para investir e atingir as suas metas, vale fazer um esforço.

"Você não pode deixar a sua grana no colchão ou na poupança, porque você está perdendo a oportunidade de fazer o dinheiro render mais. Então, já que você fez um grande esforço de guardar dinheiro, faça ele trabalhar a seu favor nas melhores oportunidades possíveis", declarou.

Papo com Especialista é toda quinta-feira

O programa Papo com Especialista é transmitido às quintas-feiras, das 15h às 16h, na página inicial do UOL, no UOL Economia e na página de Investimentos, e é exclusivo para assinantes. Reveja programas anteriores aqui.

Você pode enviar perguntas ao Papo pelo e-mail uoleconomiafinancas@uol.com.br —elas podem ser respondidas no programa.

Quer investir melhor? Receba dicas em seu email

Você quer aprender a ganhar dinheiro com segurança em investimentos no curto, médio e longo prazo, mesmo que nunca tenha investido?

A página de investimentos do UOL tem uma newsletter gratuita que o ajuda nesse objetivo. Ao assinar, você recebe todos os dias, antes da abertura da Bolsa, uma análise do mercado feita pelo analista Felipe Bevilacqua, da casa Levante Ideias de Investimentos. Com essa newsletter, você vai aprender a investir e entender o que está acontecendo com o mercado.

Além da newsletter diária, você também recebe, semanalmente, uma análise sobre investimentos, com dicas sobre como aplicar melhor e com segurança seu dinheiro. Para assinar a newsletter gratuita de investimentos do UOL, é só clicar aqui.

Tem dúvidas sobre ações, fundos e outros investimentos da Bolsa? Envia sua pergunta para duvidasparceiro@uol.com.br.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.

PUBLICIDADE