PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

Vale a pena investir em ações para o longo prazo?

Conteúdo exclusivo para assinantes

Colaboração para o UOL, em São Paulo

01/10/2021 04h00

Investir em renda variável, como ações e fundos imobiliários, é uma estratégia válida para o longo prazo? No Papo com Especialista, programa semanal e ao vivo do UOL, o economista César Esperandio explicou que a lógica de investir em ações é diferente da lógica dos investimentos conservadores da renda fixa, como CDBs e títulos do Tesouro.

Entenda abaixo que lógica é essa antes de investir. O Papo com Especialista é um tira-dúvidas sobre investimentos exclusivo para assinantes e é transmitido toda quinta-feira, às 15h.

Lógicas diferentes na renda fixa e renda variável

Na renda fixa, afirmou Esperandio, o investidor empresta dinheiro para o governo, para um banco ou empresa privada, que se comprometem a devolver seu dinheiro numa data combinada e com rentabilidade também combinada —seja ela prefixada ou atrelada a algum indicador, como inflação ou o CDI (taxa próxima à taxa de juros).

Ou seja, você sabe exatamente quanto vai receber, no caso de títulos prefixados, ou pode ter uma boa previsão de quanto vai receber, no caso de títulos pós-fixados ou híbridos.

"Isso será o seu 'bônus' em cima do valor que você emprestou", disse ele, que também é do canal Econoweek.

Em ações, a lógica é outra, segundo o economista.

"Você não está emprestando dinheiro para ninguém. Você está se tornando sócio, dono de uma microfatia da sociedade de um negócio. No caso de ações, você está se tornando sócio de uma empresa e, no caso dos fundos imobiliários, você está dividindo a sociedade de um conjunto de imóveis", disse.

Rentabilidade é incerta em ações

Mas por que ações não garantem rentabilidade, como nos investimentos de renda fixa? "Porque a rentabilidade, que é o pagamento de distribuição de lucros, de resultados da empresa, é incerta. A empresa pode dar lucro num período, prejuízo no outro. E se dá prejuízo, ela não distribui lucro", explicou.

Em geral, as empresas podem distribuir dividendos a cada três meses, seis meses ou uma vez ao ano.

Então, é melhor investir pensando no longo prazo?

Segundo o economista, exatamente pelo sobe e desce das ações, e por todas as incertezas inerentes à renda variável, que a melhor estratégia de investimentos nesse caso é pensando no longo prazo.

"A estratégia é, portanto, que este tipo de investimento seja para o longo prazo porque toda essa volatilidade de cotação de preço da ação no longo prazo pouco importa, se você escolheu um bom ativo", declarou.

Portanto, disse o economista, a estratégia de investir em ações é recomendável para o médio e longo prazo.

Esperandio explicou ainda que, antes de investir numa ação, vale conferir se aquela empresa é bem gerida, se está inserida num mercado promissor, entre outros parâmetros.

Papo com Especialista é toda quinta-feira

O programa Papo com Especialista é transmitido às quintas-feiras, das 15h às 16h, na página inicial do UOL, no UOL Economia e na página de Investimentos, e é exclusivo para assinantes. Reveja programas anteriores aqui.

Você pode enviar perguntas ao Papo pelo e-mail uoleconomiafinancas@uol.com.br —elas podem ser respondidas no programa.

Quer investir melhor? Receba dicas em seu email

Você quer aprender a ganhar dinheiro com segurança em investimentos no curto, médio e longo prazo, mesmo que nunca tenha investido?

A página de investimentos do UOL tem uma newsletter gratuita que o ajuda nesse objetivo. Ao assinar, você recebe todos os dias, antes da abertura da Bolsa, uma análise do mercado feita pelo analista Felipe Bevilacqua, da casa Levante Ideias de Investimentos. Com essa newsletter, você vai aprender a investir e entender o que está acontecendo com o mercado.

Além da newsletter diária, você também recebe, semanalmente, uma análise sobre investimentos, com dicas sobre como aplicar melhor e com segurança seu dinheiro. Para assinar a newsletter gratuita de investimentos do UOL, é só clicar aqui.

Tem dúvidas sobre ações, fundos e outros investimentos da Bolsa? Envia sua pergunta para duvidasparceiro@uol.com.br.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.

PUBLICIDADE