PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Ações do Bradesco têm maior queda em quase 2 anos; o que investidor faz?

Após Santander, Bradesco também divulga resultados abaixo do esperado pelo mercado - Shutterstock
Após Santander, Bradesco também divulga resultados abaixo do esperado pelo mercado Imagem: Shutterstock
Conteúdo exclusivo para assinantes

Tatiane Gonsales

Do UOL, em São Paulo

10/02/2022 14h54

As ações do banco Bradesco despencaram na quarta-feira (9). A BBDC3 caiu 9,78% (R$ 17,21), e a BBDC4, recuou 8,58% (R$ 20,77). Os números representam a maior queda dos papéis em 1 ano e 9 meses, refletindo os resultados do quarto trimestre de 2021 divulgados pelo banco —e que ficaram abaixo da expectativa do mercado. Nesta quinta (10), as ações estavam subindo, passando de 2%.

Para quem investe no banco, é hora de vender ou manter? Especialistas ouvidos pelo UOL respondem a essa pergunta e indicam o que fazer —tanto para quem investe no curto quanto no longo prazo.

Por que o lucro do Bradesco caiu?

O Bradesco anunciou que seu lucro recorrente ficou em R$ 6,61 bilhões entre outubro e dezembro de 2021. Isto é, uma queda de 2,8% em comparação ao mesmo período do ano anterior. O balanço foi mais fraco do que o esperado: a multinacional Goldman Sachs, por exemplo, previa 10% a mais do que o divulgado.

O fraco resultado do segundo maior banco privado do Brasil foi puxado principalmente por maiores níveis de inadimplência de clientes, despesas administrativas e provisões (lançamentos financeiros estimados) de devedores duvidosos.

"As provisões acabaram por aumentar por volta de 28% no comparativo trimestral, o que surpreendeu negativamente", declara Rodrigo Crespi, analista da Guide Investimentos.

Vender ou manter as ações?

Após a queda de 3% no valor da ação do Santander (SANB11) com a divulgação de fracos resultados também no quarto trimestre —no dia 2 de fevereiro—, Crespi diz que "de maneira geral, o movimento [de baixa nos lucros] deve ser parecido para todo o setor dos grandes bancos".

Para ele, a desaceleração da economia nos últimos anos tem influenciado negativamente o poder de compra do consumidor, o que traz um cenário mais desafiador aos bancos. Por outro lado, "o aumento de juros tende a beneficiar de forma geral os grandes bancos", afirma.

Por isso, para quem tem ações do Bradesco, o analista da Guide recomenda manter as posições.

Renan Manda, analista-chefe do setor financeiro da XP, concorda com Crespi apenas se o investidor tiver planos de resgatar o rendimento dos papéis a longo prazo -a partir de cinco anos. "Vale a pena esperar pelo menos a temporada de resultados [dos grandes bancos] passar, a poeira baixar, os preços dos papéis estabilizarem", afirma.

Para quem tinha em mente o resgate no curto prazo, Renan aconselha vender as ações. "Por enquanto, acho que vale a pena sim botar o dinheiro no bolso", declara. Isso porque ele afirma que oscilações com os preços dos papéis podem ocorrer devido à expectativa de resultados negativos de outros bancos -que ainda serão divulgados-; e isso deve pressionar o setor como um todo.

Para este ano acho que vale a pena resgatar o lucro [das ações do Bradesco], até porque no curto prazo não vejo muito catalisador que faça a ação subir significativamente.
Renan Manda, analista-chefe do setor financeiro da XP

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.