PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Botelho: 'Há evidente conflito de interesse' de Paulo Guedes com offshore

18.mai.2021 - O ministro da Economia, Paulo Guedes, durante cerimônia de lançamento do programa Gigantes do Asfalto - Dida Sampaio/Estadão Conteúdo
18.mai.2021 - O ministro da Economia, Paulo Guedes, durante cerimônia de lançamento do programa Gigantes do Asfalto Imagem: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

Colaboração para o UOL

04/10/2021 19h28

A revelação de que o ministro da Economia, Paulo Guedes, possui contas no exterior, as chamadas offshore, em paraíso fiscal configura, pelo menos, um "conflito de interesse", segundo análise do colunista e advogado Augusto Botelho. O também colunista Leonardo Sakamoto disse que a situação "pode não ser ilegal, mas é imoral".

"O que dá para afirmar é que há evidente conflito de interesse entre o papel, o cargo de ministro da Economia, e aquele que tem offshore, seja em paraíso fiscal ou qualquer outro lugar, ainda que declarado", falou Botelho ao UOL News.

O advogado reforçou que a mera existência de uma conta fora do país não configura crime. "Paulo Guedes declarou, respondeu a um comitê de ética que estava tudo de acordo. Essa parte do ministro da Economia foi respondida. Outro ponto é o conflito de interesse, probidade e transparência, aí começa a ficar mais complicado", disse.

O que merece uma investigação profunda, na análise dele, é "saber se Guedes movimentou valores dessa empresa ou não, porque aí sim, sempre trabalhando com presunção de inocência, caso tenha havido movimentação de empresa, em tese, poderíamos falar de algum crime", afirmou.

Para Botelho, haveria irregularidade caso o valor não fosse declarado por Guedes ou não tivesse sido registrado de acordo com todas as indicações. "Pode ter só que declarar no Imposto de Renda, no Banco Central, tem regramentos específicos", explicou.

"Pode não ser ilegal, mas é imoral"

O colunista e jornalista Leonardo Sakamoto analisou que, como governante público, Paulo Guedes deve explicações ao povo de por que ele possui contas no exterior. "Pode não ser ilegal, mas é imoral", afirmou.

O direito é dele, mas ele é ministro da Economia do país, ele vai botar dinheiro fora para não pagar imposto, ou pior: vai levar porque lá é mais seguro, ele reafirma que não confia na própria economia que está administrando".

Segundo o jornalista, Guedes não tem respeito por toda a população. "Ele tem uns botes no Titanic, o resto de nós afunda e a situação fica ainda mais imoral quando percebemos que ele despreza sistematicamente os mais pobres".

Contas offshore

A existência de investimentos de Guedes e Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, em empresas offshore foi revelada neste domingo (3) por veículos como a revista Piauí e o jornal El País, que participam do projeto do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos, o ICIJ. Os documentos fazem parte da Pandora Papers, investigação sobre paraísos fiscais promovida pelo consórcio.

Tanto o ministro quanto o presidente do BC negam irregularidades. Isso, no entanto, não impediu que deputados acionassem o MPF (Ministério Público Federal) e que o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) protocolasse uma notícia-crime no STF (Supremo Tribunal Federal) para que seja solicitado que a PGR (Procuradoria-Geral da República) peça "a abertura de investigação preliminar".

PUBLICIDADE