PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

Descomplique

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Nunca investi e quero começar! Quais são os primeiros passos?

Istock
Imagem: Istock
Conteúdo exclusivo para assinantes
Júlia Mendonça

Júlia Mendonça é formada em comércio exterior pela Universidade Positivo. Atuou como planejadora financeira entre 2015 e 2018. Especialista em orientação e planejamento financeiro pessoal, é coach e consultora de finanças, pós-graduada em investimentos, finanças e banking. É influenciadora digital no nicho de finanças e investimentos em um dos maiores canais do assunto na área do Brasil.

03/11/2021 04h00

A melhor forma de garantir um futuro mais tranquilo em relação às suas finanças é investindo. É o jeito mais responsável e certeiro para blindar você e sua família das incertezas do presente e realização de projetos futuros.

Alguns anos atrás, começar a investir era uma tarefa bastante complicada e cara. As opções de investimento eram bastante limitadas e era bastante complexo operar um home broker. Hoje, quase todos os bancos oferecem taxa zero para operar na renda fixa e muitas corretoras não cobram nenhum tipo de taxa para a maioria dos investimentos. Separei um passo a passo para você percorrer caso queira entrar nesse mundo novo.

Planejamento financeiro

Antes de começar a investir é necessário fazer um planejamento financeiro. Com ele você vai descobrir o quanto consegue investir mensalmente, quais gastos pode cortar no seu orçamento e se está gastando mais do que ganha. É uma tarefa um pouco chata, principalmente na primeira vez que faz o seu orçamento, porém com o tempo fica cada vez mais fácil. Nos meses em que eu faço meu planejamento financeiro consigo investir bem mais do que quando não faço.

O ideal é adaptar suas contas para investir pelo menos 10% do que você ganha no mês. Esse número pode parecer pesado inicialmente e, se for esse seu caso, comece guardando 1-2% ao mês e aumente esse número progressivamente. Se você tem dívidas de juros altos (empréstimos, cheque especial, rotativo do cartão), o ideal é sair dessas dívidas antes de começar a investir.

Abrir conta em uma corretora ou banco digital

É possível investir pelo banco em que você tem sua conta corrente. Porém, na maioria deles as opções de investimento são limitadas e alguns cobram taxas para realizar operações. Alguns bancos digitais oferecem a opção de corretora de investimentos sem cobrar taxas e se você tem conta em um deles pode usar essa alternativa para começar a investir.

O ideal é abrir conta em uma corretora de investimentos para começar a aplicar seu dinheiro. Elas contam com maior diversidade de aplicações, algumas possuem assessoria para ajudar você a começar a investir e grande parte delas não cobra nenhuma taxa do pequeno investidor.

Fazer a reserva de emergência

Depois de ter acesso aos investimentos, é hora de começar sua reserva de emergência. Esse é o primeiro passo que todo investidor deve fazer, independente da forma como queira investir no futuro. Para fazer a sua, comece pelo planejamento financeiro. Descubra o quanto gasta para manter seu padrão de vida e multiplique por 6 o valor encontrado.

O intuito da reserva é manter seu padrão de vida e cobrir despesas caso tenha algum imprevisto. Por isso você precisa manter seu dinheiro em alguns investimentos específicos, que lhe permitam sacar sua grana a qualquer momento e que não apresentem variação de valor. As aplicações que se encaixam nessas condições são o Tesouro Selic e os CDBs de liquidez diária. É possível investir neles mesmo que você tenha pouco dinheiro e eles rendem mais que a poupança.

Conhecer seu perfil e listar seus objetivos

Depois de terminar a reserva, o ideal é listar seus objetivos e começar aos poucos a estudar investimentos mais arrojados, mas que combinem com seu perfil. Algumas pessoas não desejam correr riscos com investimentos, por isso devem colocar um valor menor em ações e outros investimentos de renda variável. Outras gostam de correr mais risco em troca de maior rentabilidade.

O importante é que você comece agora mesmo a planejar suas finanças, estudar e entrar nesse mundo o mais cedo possível. Aqui no blog Descomplique temos vários artigos feitos especialmente para quem quer começar a investir.

PUBLICIDADE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL