PUBLICIDADE
IPCA
-0,31 Abr.2020
Topo

Bolsa salta 6,5%, e dólar cai a R$ 5,292, após recorde na semana passada

Do UOL, em São Paulo

06/04/2020 17h04Atualizada em 06/04/2020 17h30

O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, disparou 6,52%, a 74.072,98 pontos, após acumular queda de 5,3% na semana anterior.

O dólar comercial fechou em queda de 0,64%, a R$ 5,292 na venda, após bater novo recorde nominal (sem considerar a inflação) no fechamento da última sexta-feira (3). No ano, a moeda acumula alta de 31,87%.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para quem vai viajar e precisa comprar moeda em corretoras de câmbio, o valor é bem mais alto.

Ritmo de contágio do coronavírus

O mercado estava mais otimista bo exterior após o número de mortes causadas pelo coronavírus na Europa diminuir, o que pode apontar que o pico de contaminação esteja terminando.

No domingo, pelo quarto dia seguido, o número de mortes caiu na Espanha, enquanto a Itália registrou o menor número diário de mortes por covid-19 em mais de duas semanas.

No fim de semana, o presidente norte-americano, Donald Trump, também expressou esperança de que os EUA estão passando por um "nivelamento" da crise de coronavírus em certas regiões do país, embora alguns de seus principais consultores médicos tenham adotado visão mais moderada.

Investidores, contudo, permanecem na defensiva, o que tem gerado grande volatilidade. "A percepção de todos é que ainda não há consenso de qual tamanho do estrago que teremos no PIB global e qual o tempo dessa recuperação", declarou o BTG Pactual.

Notícias sobre ministro da Saúde

No Brasil, investidores estavam atentos a notícias de que o presidente Jair Bolsonaro teria decidido demitir o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, elevando incertezas sobre como o país trataria a crise de saúde e, por conseguinte, sobre as consequências econômicas da pandemia.

A Câmara dos Deputados aprovou a chamada PEC do "orçamento de guerra", que separa do orçamento principal os gastos com o enfrentamento da crise do coronavírus.

Mercado reduz projeção do PIB novamente

Economistas de instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) reduziram pela oitava semana seguida a estimativa para o PIB (Produto Interno Bruto) deste ano.

  • PIB: caiu de -0,48% para -1,18%
  • Inflação: caiu de 2,94% para 2,72%
  • Selic: caiu de 3,5% para 3,25% ao ano
  • Dólar: mantido em R$ 4,50

Nesta sessão, o Banco Central fez leilão de até 10 mil contratos de swap cambial reverso com vencimento em outubro de 2020 e janeiro de 2021.

* Com Reuters

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas.

Cotações