Bolsas

Câmbio

Ex-paquito da Xuxa agora vive de empresas de salada a quilo, carne e balada

Claudia Varella

Colaboração para o UOL, em São Paulo

Paquito da Xuxa por cinco anos, de 2001 a 2006, Biel Maciel, 35, agora tem quatro empresas e vive de salada por quilo, carnes nobres e negócios da noite (uma boate e uma empresa de eventos). A mais recente empreitada é o Green Station, um restaurante de salada por quilo, na Barra da Tijuca (Rio).

No Green Station, o cliente pode montar a sua própria salada, colocando no prato quantos ingredientes, molhos e acompanhamentos quiser. Pode incluir proteínas como frango, rosbife e peito de peru. O quilo custa R$ 46.

Leia também:

A unidade foi aberta na Barra da Tijuca em maio do ano passado pelos empresários Vinícius Loyola, 30, e Taiguara Moura, 30, donos da marca. Eles são de Vitória (ES). Maciel entrou como sócio em fevereiro deste ano.

"Entrei como sócio no negócio para promover a marca Green Station. Fui criado em Copacabana e tenho um mercado de entretenimento na Barra da Tijuca. Conheço muita gente da Barra, o público-alvo da Green Station, juntamente por concentrar pessoas que gostam de se alimentar de forma saudável fora de casa", declara Maciel, que não revela o valor do investimento.

Segundo os sócios, a unidade da Barra da Tijuca faturava R$ 45 mil por mês e passou a faturar R$ 60 mil mensais após a entrada de Maciel, um aumento de 33%. O lucro não foi revelado.

"Decidimos convidar o Biel Maciel como sócio por ele ser um influenciador e uma figura muito conhecida aqui no Rio de Janeiro", afirma Loyola.

De paquito a açougueiro e empresário da noite

Em 2001, aos 18 anos de idade, Maciel começou a trabalhar na equipe de paquitos da Xuxa, na TV Globo. Atuou até 2006 na TV, participando também como dançarino e ator em clipes e filmes da apresentadora. Ele é formado em artes cênicas.

Além do Green Station, Maciel tem outras três empresas: a Agência Cinco Entretenimento, a boate VitrinniLoungeBeer e o "açougue gourmet" Embrasando, todas na Barra da Tijuca. 

Em 2008, ele abriu a Agência Cinco Entretenimentos, promovendo eventos, baladas e festas pelo país. Um dos principais eventos é o bloco de carnaval Chora Me Liga, criado em 2009.

Em 2016, Maciel se tornou sócio da boate Vitrinni Lounge Beer.

O Embrasando, aberto no ano passado, vende carnes nobres (das raças Angus e Nelore) e, no mesmo espaço, mantém um barzinho para o cliente comprar a carne e comer o churrasco ali mesmo se quiser.

Neste ano, virou sócio da Green Station e começou a cursar a faculdade de gastronomia.

Ideia da Green Station veio dos EUA, diz dono da marca

Foi em uma viagem aos Estados Unidos, que o publicitário Vinícius Loyola conheceu o modelo de negócio de um fast food de salada. Ele voltou com a ideia de abrir um negócio similar aqui, convidou o amigo Taiguara Moura e, juntos, criaram a Green Station, por quilo.

A primeira unidade foi aberta em Vitória, em agosto de 2015, com investimento inicial de R$ 85 mil. "Já montamos um modelo de negócio que pudesse virar franquia e, oito meses depois, abrimos a primeira, em Vila Velha (ES)", diz Loyola.

A rede tem hoje 27 unidades, sendo três próprias (duas em Vitória e uma na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro) e 24 franquias em nos quatro estados da região Sudeste (ES, RJ, MG e SP).

No ano passado, a rede faturou R$ 8 milhões. Para este ano, a projeção de faturamento é de R$ 30 milhões. O lucro não foi revelado.

Confira os dados da franquia, fornecidos pela empresa:

  • Investimento inicial: R$ 117 mil (não inclui taxa de franquia + capital de giro)
  • Taxa de royalties: 6% sobre o faturamento por mês
  • Faturamento médio mensal: R$ 70 mil
  • Lucro médio mensal: de 20% a 25% sobre o faturamento
  • Prazo de retorno: de 18 a 22 meses

Negócio é fácil de ser copiado, diz consultor

Para Leonardo Paiva, consultor do Sebrae-SP, o conceito do Green Station segue a tendência crescente de alimentação mais saudável.

"O brasileiro está cada vez mais atento à qualidade de vida, e a alimentação saudável está totalmente ligada a isso. Ao apostar nesse filão, a empresa se mostra atenta a essa tendência do mercado", diz.

Outro destaque apontado por Paiva é a marca ter apostado em um influenciador (o sócio Biel Maciel).

"Atualmente, as empresas têm investido em marketing digital. Ele, por ser ex-paquito, sempre viveu da sua imagem pessoal, consequência de uma boa alimentação e um estilo de vida saudável. O público se identifica com ele, que é a cara do negócio. Essa é uma forma de o Green Station se diferenciar no mercado", declara.

O consultor diz, no entanto, que a empresa precisa ficar atenta à concorrência, pois o "negócio é fácil de ser copiado", e buscar sempre uma "boa cadeia de fornecedores", para ter produtos frescos e de qualidade.

Onde encontrar:

Green Station – https://www.greenstation.com.br/

Como reduzir os agrotóxicos da sua comida do dia a dia?

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos