ipca
0,45 Out.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Empreendedorismo

Vendeu picolé aos 8 anos para comprar bike; hoje fatura R$ 30 mi com saúde

Divulgação
Tiago Alves é fundador da rede de clínicas populares MedicMais Imagem: Divulgação

Paulo Gratão

Colaboração para o UOL, em São Paulo

27/10/2018 04h00

Tiago Alves, 32, fundador da rede de clínicas populares MedicMais, teve de vender picolé aos 8 anos para comprar uma bicicleta, porque sua família não tinha dinheiro. Começou ali seu gosto pelo empreendedorismo.

Hoje sua empresa, que alia odontologia, clínica médica e exames laboratoriais a partir de R$ 5, fatura R$ 30 milhões (resultado de 2017) e acumula 80 unidades franqueadas em todo o Brasil.

Leia também:

Seus pais eram de classe média, tinham um pequeno comércio em Paracatu (MG), mas as finanças não permitiam que no momento que comprassem a bicicleta nova desejada na infância.

Inspirado pelo filho de uma funcionária dos pais, Alves descobriu que, se saísse para vender picolés pelas ruas da cidade, conseguiria levantar o dinheiro. Pegou um carrinho de sorvetes com 20 unidades e começou a vender. “Minha mãe tinha vergonha de eu vender picolés, mas gostei muito da experiência de ganhar meu dinheiro. Aos poucos, deixava de brincar para trabalhar”, afirma.

Gosto por ganhar e guardar dinheiro

Alves diz que pegou gosto por fazer dinheiro e não parou mais de trabalhar. Aos dez anos, pediu para os pais abrirem uma poupança.

Daí em diante, boa parte do que ganhava em seus trabalhos como servente de pedreiro, office-boy na loja dos pais e funcionário de uma fábrica de sacolinhas plásticas foi para essa poupança.

Ao completar 18 anos, Alves cursou odontologia em uma faculdade federal, custeou os estudos e conseguiu comprar seu primeiro carro com o dinheiro aplicado. Nessa época, ele passou a vender produtos odontológicos para os colegas.

Primeira clínica foi aberta com ajuda da família

Ao terminar o curso, abriu sua primeira clínica odontológica com ajuda de familiares. Depois, resolveu se arriscar e transformar o negócio em uma rede. Em poucos anos, já tinha oito unidades espalhadas por seis cidades, todas próprias, o que o afastou do consultório e o alçou ao papel de empresário. 

Em 2012, com o negócio de saúde consolidado, optou por vender a rede, pois queria trazer mais especialidades. A ideia era criar um “shopping da saúde”. Foi aí que ele fez a MedicMais, em Pato de Minas (MG), com odontologia, clínica e exames.

Modelos de franquia

Três anos depois, trouxe um especialista em franquias para dentro do negócio, pois havia aprendido com a rede anterior que sozinho não daria conta de gerir múltiplas unidades. Hoje, já são 80 unidades e ele espera chegar a cem até o fim do ano.

Existem cinco modelos disponíveis, que variam de acordo com o investimento inicial e o porte da cidade que receberá:

  • Exchange - clínicas já existentes podem incorporar os serviços da MedicMais
  • Slim - duas salas de odontologia e duas salas médicas
  • Stardard - três salas de odontologia, duas salas médicas e uma sala de exames
  • Premium - quatro salas de odontologia, três salas médicas e uma sala de exames
  • Super Premium - cinco salas médicas, quatro de odontologia e uma sala de exames

Confira os dados da franquia fornecidos pela empresa:

  • Investimento inicial: de R$ 89 mil (Exchange) a R$ 448 mil (Super Premium). Inclui investimento e capital de giro
  • Faturamento médio mensal: de R$ 70 mil (Slim) a R$ 220 mil (Exchange)
  • Lucro médio mensal: 20%
  • Retorno de investimento: de 18 a 30 meses

Segmento é promissor, mas mão de obra pode ser desafio

Com o serviço ineficiente da saúde pública e os milhares de brasileiros que ficaram sem planos de saúde nos últimos anos, Alves tem um mar de oportunidades pela frente, na visão de Juarez Leão, diretor da consultoria Leão Business Upgrade e conselheiro da Associação Brasileira de Franchising (ABF).

“Essas clínicas têm sido uma excelente alternativa, e a maioria é tão bem estruturada que até mesmo pessoas que têm plano de saúde recorrem, porque o valor da consulta é baixo e não há tempo de espera. Tudo corrobora para que esse sistema cresça”, afirma.

Não é preciso ser médico para abrir uma clínica da MedicMais e de outras redes do gênero, isso faz com que o franqueado tenha que contratar uma equipe de profissionais da saúde, o que pode causar problemas.

“Estamos falando de médicos, profissionais qualificados e com nível de ganho elevado. Dependendo da localização, haverá dificuldade de mão de obra, porque não há profissionais suficientes para a demanda”, explica Leão.

Ele sugere que, antes de investir em uma franquia desse ramo, o empreendedor conheça outras clínicas da marca que já estejam abertas. A listagem completa é entregue obrigatoriamente pelo franqueador junto com a Circular de Oferta de Franquia (COF), logo no primeiro contato.

Onde encontrar:

MedicMais  - http://www.medicmais.com.br/

Sua escova de dente fica num copinho? Está fazendo errado

UOL Notícias

Mais Empreendedorismo