IPCA
0,1 Out.2019
Topo

Empreendedorismo


Empresário vende filhotes de lhama como animais de estimação por R$ 7.500

Lucas Gabriel Marins

Colaboração para o UOL, em Curitiba

02/08/2019 04h00

No final de 2002, o empresário Davi Lima dos Santos, 38, visitou uma fazenda na região metropolitana de Curitiba (PR) e viu uma lhama, mamífero típico da região dos Andes, na América do Sul. Ficou fascinado pelo bicho, conhecido por seu temperamento dócil, e botou na cabeça que um dia compraria o animal.

No mesmo ano, pegou uma grana guardada, emprestou mais um pouco do irmão e adquiriu a lhama por R$ 2.500. Ela estava prenhe. "Algumas semanas depois, vendi a mãe e o filhote pelo dobro do preço e percebi que poderia transformar minha paixão em negócio", disse.

Hoje, à frente da empresa Lhamas Brasil, em Campina Grande do Sul (PR), Santos tem uma criação com pouco mais de cem animais e vende cerca de 15 filhotes do bicho por mês. Cada um custa R$ 7.500. O lucro não foi revelado.

Lhamas são consideradas animais domésticos

O objetivo é vender as lhamas como animais de estimação, e não para abate. De acordo com o Ibama, são consideradas animais domésticos e não há restrição ambiental para tê-las em casa.

Segundo o órgão, no entanto, é ideal que elas sejam criadas em espaços adequados ao bem-estar animal, com piso de terra com grama ou outra vegetação rasteira, abrigo com 10 m² e 2,5m de altura e disponibilidade de árvore de médio porte.

Segundo a Comissão de Ética, Bioética e Bem-estar Animal (Cebea) do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), informou o Ibama, um animal com alto grau de bem-estar é aquele que tem boa saúde e que pode expressar seu comportamento natural.

O órgão ambiental também informou que qualquer abuso às lhamas, como maus-tratos, ferimentos ou mutilações, é crime passível de punição, conforme estipula a Lei de Crimes Ambientais, com pena de detenção de três meses a um ano, além de multa.

Frete para até oito animais custa R$ 1,80 por km

A criação atual tem 97 fêmeas e 11 machos. Cada lhama fêmea tem um filhote por ano, sendo que a gestação dura quase 12 meses. Silva só vende os filhotes que já foram desmamados, o que acontece após um mês de vida.

Os principais compradores, segundo ele, são de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo. O frete é feito pelo próprio empresário e custa R$ 1,80 por quilômetro. Para transportar animais da chácara da empresa até São Paulo, por exemplo, o preço cobrado é R$ 720.

Desde junho, o empresário também abre a chácara para visitantes. Para ficar entre uma e duas horas com os animais, o valor cobrado é de R$ 40 por pessoa. O agendamento deve ser feito no site da empresa ou nas redes sociais.

Especialista diz que animais precisam de cuidados especiais

As lhamas vivem entre 10 e 24 anos, podem chegar a 2,4 metros de altura e pesam entre 110 e 250 quilos, segundo o médico veterinário Salviano Tramontin Belettini, professor de medicina de animais selvagens da Universidade Paranaense (Unipar).

Os animais adultos, além de capim, comem diariamente entre 700 gramas e 1,5 quilo de ração para bovinos, ovinos ou equinos. Para os filhotes, basta metade disso. Eles também se adaptam facilmente a climas quentes ou frios, disse ele.

Belettini não vê problemas em ter esses mamíferos como animais de estimação, mas faz um alerta a quem deseja adquiri-los. Ele disse que, apesar de esses ruminantes serem considerados domésticos pelo Ibama, ainda são selvagens e precisam de cuidados especializados.

"Os dentes das lhamas, por exemplo, crescem a vida toda. Quando elas estão na natureza, os dentes são desgastados naturalmente, mas em casa isso não acontece normalmente, e pode afetar a saúde. Por isso, é ideal que todo o ano o bicho seja levado a um profissional que possa tratar disso", afirmou.

Outra recomendação de Belettini é que os animais não convivam muito próximos a ovinos, como ovelhas e carneiros. Isso porque, disse o professor, as lhamas são muito suscetíveis às verminoses desses animais.

Onde encontrar:

Lhamas Brasil - https://lhamasbrasil.com.br/

Empresa deixa funcionários levarem cachorros ao escritório, e foi uma festa

UOL Notícias

Empreendedorismo