IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

Empreendedorismo


Empresas vendem seguro de carro por minuto e de celular por um mês só

Na Onsurance, o cliente ativa ou desativa o seguro por meio da tela do seu celular, dentro do aplicativo Messenger do Facebook - Divulgação
Na Onsurance, o cliente ativa ou desativa o seguro por meio da tela do seu celular, dentro do aplicativo Messenger do Facebook Imagem: Divulgação

Claudia Varella

Colaboração para o UOL, em São Paulo

10/08/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Cliente pode desativar seguro do carro a qualquer momento, quando, por exemplo, o veículo estiver protegido na garagem
  • O seguro de carro é cobrado por minuto: R$ 0,00484 (menos de meio centavo). A promessa é de economia de até 75%, segundo a empresa
  • O usuário compra créditos que serão debitados enquanto o seguro estiver ativo. Os créditos não expiram. Quando acabar o crédito, é só comprar mais
  • A tarifação é dinâmica e pode aumentar ou reduzir o custo do minuto, conforme o perfil de uso
  • Para celular, em vez de fazer seguro anual, como é mais comum, o serviço pode ser contratado por apenas um mês. O custo mensal é a partir de R$ 4,15

Duas empresas oferecem serviços de seguro por tempo reduzido. Na Onsurance, o cliente pode desativar o seguro do carro a qualquer momento, quando, por exemplo, o veículo estiver protegido na garagem. O seguro é cobrado por minuto: R$ 0,00484 (menos de meio centavo). A promessa é de economia de até 75%, segundo a empresa.

Na Pier Digital, em vez de fazer seguro anual do celular, como é mais comum, o serviço pode ser contratado por apenas um mês. O contrato mensal custa a partir de R$ 4,15.

Na Onsurance, o sistema funciona assim: o cliente compra créditos que serão debitados por minuto enquanto o seguro estiver ativo, como um celular pré-pago. O usuário pode ligar e desligar o seguro quando e onde quiser. Assim, ele paga somente pelo tempo em que efetivamente utilizou o seguro.

Contato com robô

Tudo é feito por meio da tela do celular, dentro do aplicativo Messenger do Facebook. Ali, o cliente terá contato com um robô (por meio do chat) que irá interagir com ele, fornecendo informações e conversando em tempo real. Essa inteligência artificial é interligada com o dispositivo Onsurance Onboard, que já está conectado ao veículo.

Quando o cliente liga o carro, automaticamente o dispositivo conectado ao veículo envia informações sobre essa ação para a inteligência artificial, que pergunta no Messenger do Facebook se o cliente quer ativar o seguro do veículo. Basta clicar no botão "on" para ligar o seguro. Para desativar o seguro, o procedimento é similar.

Após desativar o seguro, a inteligência artificial envia um relatório de uso, contendo informações sobre o tempo total, os créditos utilizados e os disponíveis e todos os detalhes da viagem que ele acabou de fazer.

Como é a cobrança

Os créditos não expiram. Quando o crédito estiver acabando, basta fazer uma recarga. De acordo com a empresa, para automóveis de passeio, o valor mínimo é de R$ 0,00484 --menos de meio centavo por minuto.

A startup trabalha com carros de valor até R$ 250 mil (conforme a referência da tabela Fipe), para os quais o minuto é de R$ 0,05359. Os carros mais velhos aceitos são os fabricados a partir de 1996.

Valor varia conforme perfil de uso

A tarifação é dinâmica e pode aumentar ou reduzir o custo do minuto, que oscila até a quinta casa decimal. Na prática, os valores por minuto são milésimos de reais.

O valor do seguro por minuto é calculado, segundo a empresa, a partir de um valor básico que varia de acordo com alguns aspectos:

  • Valor do veículo
  • Comportamento de direção do condutor (diagnosticado por meio do Onsurance Onboard, que, por telemetria, transmite dados remotamente e traça um perfil comportamental do motorista ao volante)
  • Localização em tempo real do veículo

A Onsurance diz que a economia pode ser de até 75% por mês. Segundo a empresa, um carro importado no valor de R$ 160 mil gasta por ano R$ 1.969, usando o seguro por duas horas diariamente. No seguro tradicional, esse gasto seria de R$ 8.000 anuais --uma economia de 75%.

O investimento inicial na empresa foi de R$ 420 mil. No ano passado, faturou cerca de R$ 50 mil. O lucro não foi revelado.

Pier Digital tem seguro a partir de R$ 4,15 mensais

A Pier Digital vende seguro digital para iPhones e smartphones - Divulgação
A Pier Digital vende seguro digital para iPhones e smartphones
Imagem: Divulgação

A Pier Digital vende seguro para iPhones e smartphones, cobrindo roubo, furto qualificado e até furto simples. É um seguro mensal, e o cliente escolhe o tipo de cobertura desejada, que varia de 80% a 100% do valor de um aparelho seminovo. Por ser mensal, ele pode contratar o seguro por períodos curtos e específicos, como só o mês de férias, por exemplo. Não é preciso fazer um seguro anual, como é o mais comum.

A mensalidade muda de acordo com o aparelho e o plano escolhido:

  • Smartphones (da linha Samsung J e S): de R$ 4,15 por mês (reembolso de 100% do valor de um seminovo J2 Prime de 8 GB) até R$ 81,45 por mês (reembolso de 100% do valor de um seminovo Galaxy S10 Plus de 1024 GB).
  • iPhones: de R$ 6,30 por mês (reembolso de 80% do valor de um iPhone 5 16 GB seminovo) até R$ 132,90 por mês (reembolso de 100% do valor de um iPhone X S Max 512 GB).

Se o cliente for roubado ou furtado, é preciso apresentar o boletim de ocorrência e bloquear o Imei (número que identifica cada aparelho celular) na Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). Não há necessidade de apresentar nota fiscal. Também são protegidos aparelhos comprados no exterior.

Para adquirir o seguro, é preciso fazer o pedido direto no site para entrar na comunidade Pier ou ser indicado por um membro. É feita uma análise para aceitar ou não o novo membro. A comunidade tem cerca de 5.500 membros.

A startup recebe até 20% do valor das mensalidades pela representação e administração da comunidade, e outros 20% são destinados à Too Seguros, companhia parceira que responde pela parte regulatória do negócio. Os outros 60% vão para um fundo, que é gasto exclusivamente com o pagamento de reembolsos.

A Pier Digital foi criada no início de 2018, em São Paulo. Investimento inicial, faturamento e lucro não foram revelados. Segundo a empresa, o crescimento é de cerca de 20% ao mês.

Resistência ao digital pode ser empecilho, diz consultor

Para Dario Henke, consultor de inovação do Sebrae-SP, o diferencial das duas insurtechs (empresas tecnológicas de seguro) é oferecer ao consumidor um tratamento personalizado, de acordo com o seu perfil. "Na prática, o cliente só vai pagar por demanda, ou seja, pelo tempo que achar necessário", disse.

Outra vantagem, segundo ele, é o monitoramento de comportamento do motorista ao volante. "Essa inteligência artificial pode orientar o motorista em tempo real e ajudá-lo a ter mais prudência no trânsito, por exemplo."

Henke disse, no entanto, que a resistência de parte do mercado consumidor ao digital pode ser um empecilho para as insurtechs. "Apesar de termos avançado muito nessa questão, ainda há consumidores resistentes às novas tecnologias."

Onde encontrar:

Onsurance - https://onsurance.me/
Pier Digital - www.pier.digital

Você sabe a hora certa de trocar o pneu?

UOL Carros

Empreendedorismo