PUBLICIDADE
IPCA
+0,25 Jan.2021
Topo

2021 traz um mar de oportunidades e riscos para os fundos imobiliários

Exclusivo para assinantes UOL
Lucas Elmor

Lucas Elmor

Sócio-diretor de Gestão da Hectare Capital, formado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Juiz de Fora e Chartered Financial Analyst pelo CFA Institute, com experiência em estruturação e gestão de investimentos nos setores de logística, agronegócio, energia e imobiliário.

18/01/2021 04h00

Sir Ernst Shackleton e sua equipe de 27 tripulantes a bordo do navio Endurance naufragaram em 1915 na baía de Weddell, na costa da Antártida. Depois de quase 18 meses sobrevivendo em bancos de gelo, se alimentando de carne de foca e pinguins e sofrendo devido a intempéries climáticas tais como nevascas, temperaturas de até 30 graus negativos e escassez total de infraestrutura, os náufragos conseguiram resgate de volta para a civilização.

A vida no mar, sobrevivendo em bancos de gelo, era sofrida e altamente incerta, não sendo possível realizar planejamentos precisos de médio e longo prazos. Diversas vezes, o grupo precisou mudar de um lugar para outro ou porque o gelo estava derretendo, ou o suprimento de comida estava acabando ou simplesmente porque morreriam congelados se permanecessem onde estavam, sem falar que estavam boiando à deriva, ao sabor das marés de um dos trechos de água mais inóspitos do planeta Terra.

A conquista da terra firme novamente foi possível somente devido a uma série de riscos calculados (alguns nem tão calculados assim) que foram tomados sempre que uma oportunidade aparentemente boa se colocava à frente do grupo de náufragos. Após muitas idas e vindas, a odisseia terminou com a chegada de três deles a uma estação de pesca na Ilha Geórgia do Sul para pedir socorro aos demais membros da equipe do navio que zarpara da Inglaterra em busca de aventura, fama e riqueza na exploração do continente Antártico.

Assim é a vida, cheia de oportunidades e riscos, seja você um investidor ou um náufrago na Antártida. Há quem diga que 2020 foi um ano de naufrágio da economia global, e a alta nos mercados no final do ano foi apenas euforia, uma vez que uma segunda onda de lockdowns e restrições estão sendo impostas ao redor do mundo.