IPCA
0,46 Jul.2024
Topo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Dá para viver com o dinheiro do prêmio da Amanda do BBB23?

A participante Amanda foi a vencedora do BBB23, reality da Globo - Reprodução/Globoplay
A participante Amanda foi a vencedora do BBB23, reality da Globo Imagem: Reprodução/Globoplay
Valter Police

22/05/2023 04h00

Muita gente pensa que se ganhar uma bolada, como a que é paga aos vencedores de reality shows, tudo será possível porque o dinheiro nunca vai acabar, mas será que isso é verdade?

A triste resposta é que não. Muita gente já ganhou prêmios milionários, acabou sem nada e muitas vezes até devendo, inclusive diversos vencedores do BBB. Pode pesquisar aí.

As causas mais comuns para que isso aconteça são a criação de negócios que não dão certo, golpes financeiros, compra de bens de uso como imóveis e carros além da possibilidade, empréstimos exagerados e mesmo um estilo de vida acima do que o patrimônio permitiria.

Para que isso nunca aconteça, é importante tomar cuidados com os assuntos acima, diversificar os investimentos em fornecedores confiáveis, sabendo que não existem milagres, e manter o estilo de vida dentro dos padrões que o dinheiro permite, porque sim: mesmo com alguns milhões, existem limites.

Então, vamos ver qual seria o "estilo de vida possível" para alguém que ganhou o prêmio do BBB23, de aproximadamente R$ 2,8 milhões.

Se o vencedor colocar tudo em um investimento bastante conservador, como o Tesouro Selic ou um CDB-DI de um grande banco, hoje ele teria um rendimento mensal de pouco mais de R$ 30 mil. É uma boa renda, não é mesmo? E isso sem mexer no valor do prêmio —apenas usando a renda. Pode parecer, então, que tudo está resolvido: é só investir nessas opções, e a renda eterna nesses níveis estará dada. No entanto, não é bem assim.

O primeiro fator a ser levado em consideração são os impostos. Ao resgatar esse valor, o investidor terá que pagar o Imposto de Renda. No caso de investimentos financeiros, vou estimar em 15%. Em outras palavras, quando ele resgatar os R$ 30 mil, ele receberá R$ 25,5 mil. Ainda é um bom valor, mas já é menor, e isso não pode ser desconsiderado.

Outra coisa que não se pode esquecer é uma velha conhecida de nós brasileiros: caso o dono dessa bolada use totalmente a renda todos os meses, ele irá perceber que, pouco a pouco, o poder de compra dessa renda estará sendo reduzido. Isso é o efeito da inflação, que corrói o dinheiro e, assim, com o mesmo montante, digamos R$ 25,5 mil por mês, o estilo de vida será reduzido com o tempo.

Para não termos o efeito da inflação, o investidor não poderá utilizar todo o valor dos rendimentos e precisará deixar lá a correção, usando apenas o que chamamos de rendimento real, ou seja, já descontada a inflação.

E ainda existe um último fator: os juros atuais estão muito altos e não é razoável imaginarmos que continuarão assim no longo prazo. Isso também reduzirá de forma importante os ganhos.

Assim, se imaginarmos um cenário de longo prazo, com juros menores, embora não necessariamente baixos (vou estimar em 9% ao ano), descontamos os impostos (15% sobre tudo) e tiramos o efeito da inflação (vou estimar em 4% ao ano), a renda perpétua que o investidor poderá ter é de aproximadamente R$ 8.000, ou um retorno real de 0,29% ao mês (3,5% ao ano). É claro que é um bom dinheiro, mas nada parecido com os R$ 30 mil inicialmente calculados.

Agora imagine que a pessoa possa, antes de investir, comprar um imóvel, um carro e gastar um pouco. Se ele utilizar metade do prêmio, terá essa renda também cortada pela metade, ou seja, R$ 4.000.

A boa notícia é que é possível obter retornos maiores, já que eu simulei o investimento mais conservador que temos. Com uma carteira diversificada e elaborada por profissionais, pode-se estimar, a depender do perfil do investidor, um retorno real de algo como 5% ao ano (0,41% ao mês). Isso levaria a renda, se o valor investido for o total, para algo próximo de R$ 11,4 mil.

Acho que é por isso que tanta gente que ganha uma bolada acaba perdendo tudo. Por não fazer essas contas logo de cara e achar que o dinheiro se tornou infinito. Como vimos aqui, não é o caso.

Esse exemplo também serve para quem não venceu o BBB nem ganhou na loteria, mas guardou dinheiro durante a vida. Cuidado com os negócios próprios, as fraudes, o estilo de vida acima do recomendável e os maus investimentos. E, sempre que possível, tenha um planejador financeiros de confiança para auxiliar a entender a realidade e tomar melhores decisões.

Este material não é um relatório de análise, recomendação de investimento ou oferta de valor mobiliário. Este conteúdo é de responsabilidade do corpo jornalístico do UOL Economia, que possui liberdade editorial. Quaisquer opiniões de especialistas credenciados eventualmente utilizadas como amparo à matéria refletem exclusivamente as opiniões pessoais desses especialistas e foram elaboradas de forma independente do Universo Online S.A.. Este material tem objetivo informativo e não tem a finalidade de assegurar a existência de garantia de resultados futuros ou a isenção de riscos. Os produtos de investimentos mencionados podem não ser adequados para todos os perfis de investidores, sendo importante o preenchimento do questionário de suitability para identificação de produtos adequados ao seu perfil, bem como a consulta de especialistas de confiança antes de qualquer investimento. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura e não está isenta de tributação. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, a depender de condições de mercado, podendo resultar em perdas. O Universo Online S.A. se exime de toda e qualquer responsabilidade por eventuais prejuízos que venham a decorrer da utilização deste material.