PUBLICIDADE
IPCA
0,73 Dez.2021
Topo

Expectativa com o Natal é positiva para lojas de roupas, como Renner e C&A

Conteúdo exclusivo para assinantes

Felipe Bevilacqua

16/12/2021 10h14

Hoje comentaremos as perspectivas otimistas do varejo de moda para o último trimestre do ano e a aprovação da compra da Unidas (LCAM3) pela Localiza (RENT3).

O UOL tem uma área exclusiva para quem quer investir seu dinheiro de maneira segura e lucrar mais do que com a poupança. Conheça!

Confira a seguir a análise de Felipe Bevilacqua, analista e sócio-fundador da casa de análise Levante Ideias de Investimento. Todos os dias, Bevilacqua traz notícias e análises de empresas de capital aberto para você tomar as melhores decisões de investimentos. Este conteúdo é exclusivo para os assinantes do UOL.

Perspectivas otimistas para o varejo de moda no fim do ano

O avanço da vacinação na população brasileira é fator importante para a volta das atividades sociais, que impulsionam a economia e, consequentemente, o setor de vendas do varejo de moda.

No último trimestre de 2020, período em que o Brasil ainda não havia começado seu plano de vacinação, o varejo vendeu 5,5 bilhões de peças de roupas, calçados e acessórios, abaixo dos 6,4 bilhões vendidos em 2019. Para 2021, de acordo com estimativas do instituto de pesquisas IEMI (Inteligência de Mercado), a projeção é de um aumento de cerca de 15% nas vendas, somando um volume na casa de 6,3 bilhões, mesmo com vendas mais tímidas na Black Friday deste ano, com o mercado apostando nas vendas de Natal.

No lado do e-commerce, segundo dados da NielsenIQ Ebit e Neostrust, as vendas da Black Friday apresentaram alta de 5% no faturamento em relação a 2020, totalizando R$ 4,2 bilhões. Por outro lado, o tráfego em lojas físicas subiu 1,6% na mesma base de comparação. Entretanto, como as lojas estavam fechadas ano passado, o percentual foi considerado tímido. Dessa forma, era esperado um tráfego de 5% a 10% na comparação com o ano anterior. Para se ter ideia, na comparação com 2019, a retração na circulação foi de 47,2%.

Mesmo com o ambiente macroeconômico desfavorável para o setor de varejo, o cenário de volta ao trabalho presencial e às salas de aulas, somado com os períodos de Black Friday e Natal, criam uma expectativa positiva para o varejo de moda no quarto trimestre de 2021.

Portanto, as estimativas são positivas para as empresas do setor de varejo de vestuário, como Lojas Renner (LREN3), Guararapes (GUAR3) —controladora da Riachuelo--, Marisa (AMAR3), C&A Modas (CEAB3) e Grupo Soma (SOMA3), sendo esta última voltada para um público mais alta renda.

Algumas dessas lojas, como Soma, Renner, Riachuelo e Marisa, por exemplo, já mostraram durante os resultados do terceiro trimestre recuperação significativa das vendas, o que sinaliza que isso pode se estender no último trimestre do ano.

Olhando à frente, o desempenho das empresas do setor em 2022 é um ponto de atenção, já que é esperado uma piora do cenário macroeconômico, com a inflação aumentando e a taxa de juros subindo.

Por fim, mesmo com o setor de consumo discricionário (mais sensível aos ciclos econômicos do que o consumo essencial) sendo mais exposto à deterioração macro, empresas como Arezzo (ARZZ3), Grupo Soma e Lojas Renner oferecem maior resiliência por contarem com um crescimento orgânico sólido.

Cade aprova compra da Unidas pela Localiza

Depois de muita espera e indefinições, o Tribunal do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) aprovou a compra da Unidas (LCAM3) pela Localiza (RENT3). O acordo foi definido na quarta-feira (15), mas possui algumas restrições para a negociação, como a venda de carros pela nova empresa e a venda de ativos, incluindo a marca Unidas.

A operação foi alvo de muita atenção desde que a Localiza anunciou que realizou uma oferta de R$ 12 bilhões à Unidas. A transação se mostrou polêmica, pois as companhias são as duas maiores do setor de locação de veículos. Dessa forma, concorrentes como Ouro Verde e Movida (MOVI3) questionaram o negócio devido aos riscos ao mercado competitivo.

Ainda antes da chancela definitiva, o Cade precisa aprovar a compra dos ativos que serão desinvestidos na transação. Tal remédio foi adicionado pelo Cade, visando a criação de um novo competidor no mercado.

A definição de aprovação por parte do Cade se mostra um passo importante para as empresas envolvidas, visto que encaminha a fusão e tira essa dúvida do mercado e dos investidores. As ações da Localiza e da Unidas fecharam em altas de 3,13% e 4,43%, respectivamente, na B3.

Este material foi elaborado exclusivamente pela Levante Ideias e pelo analista Felipe Bevilacqua (sem qualquer participação do Grupo UOL) e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta de valor mobiliário ou promessa de retorno financeiro e/ou isenção de risco . Os valores mobiliários discutidos neste material podem não ser adequados para todos os perfis de investidores que, antes de qualquer decisão, deverão realizar o processo de suitability para a identificação dos produtos adequados ao seu perfil de risco. Os investidores que desejem adquirir ou negociar os valores mobiliários cobertos por este material devem obter informações pertinentes para formar a sua própria decisão de investimento. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço pode aumentar ou diminuir, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Os desempenhos anteriores não são indicativos de resultados futuros.

PUBLICIDADE