PUBLICIDADE
IPCA
0,47 Mai.2022
Topo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Governo com ou sem Paulo Guedes: o que é melhor para o seu dinheiro?

Conteúdo exclusivo para assinantes

Colaboração para o UOL, em São Paulo

22/04/2021 18h26

Com o impasse do Orçamento, há rumores de que o ministro da Economia, Paulo Guedes, esteja na corda bamba. Para quem quer começar a investir ou já investe, a pergunta que fica é o que muda se Paulo Guedes deixar cargo. O que é melhor para os seus investimentos: a permanência ou a demissão do ministro da Economia?

O assunto foi tema do Papo com Especialista desta quinta-feira (22). O economista César Esperandio explicou no programa que Guedes era considerado um "porto seguro" no governo de Jair Bolsonaro (sem partido).

Entenda abaixo o que mudou e o impacto no seu dinheiro. Além da análise, o economista também respondeu a dúvidas sobre finanças e investimentos.

O Papo com Especialista é o programa semanal ao vivo do UOL Economia+ e é transmitido sempre às quartas-feiras, das 12h30 às 13h30, na página inicial do UOL e do UOL Economia+. Como ontem (21) foi feriado, o programa foi ao ar hoje. O vídeo é exclusivo para assinantes.

Como o mercado enxerga Guedes

Esperandio avaliou que houve uma mudança na forma como o mercado enxerga Guedes. "Ele era referência, uma âncora de credibilidade quando fala de economia, investimentos. Mas isso estava aliado a alguns conceitos liberais, como menos Estado na economia e mais iniciativa privada", afirmou.

Essa visão mudou. Esperandio explicou que a perda de credibilidade do ministro deve-se muito a promessas não cumpridas, como fazer privatizações e reformas (tributária e administrativa, entre outras).

"Nada disso está andando. Fizeram até piada dizendo que ele é o 'liberal de Taubaté'. Apesar de Guedes ter virado meme nas redes sociais, não foi por fraquejar em seus princípios liberais que ele fracassou, mas principalmente por seu temperamento esquentado", disse o economista.

Segundo Esperandio, por causa do seu "estilo esquentadinho", Guedes acumula vários desafetos no Executivo e no Legislativo.

"Ele acumulou tantos desafetos que agora os deputados e senadores não querem mais aprovar nenhuma reforma que dê crédito ao ministro. Por isso, o mercado vem comentando que ele será demitido. O mais cotado para ocupar o seu lugar é o atual presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, que é muito mais amistoso e tem feito lançamentos importantes, com o do Pix", afirmou Esperandio.

Como ficam os investimentos?

Segundo o economista, como essas reformas não estão caminhando, a expectativa do mercado é que, com a saída de Guedes e entrada de um novo nome, essas pautas possam ser destravadas. E elas são condicionantes para que a recuperação da economia seja antecipada em relação ao que se espera.

"Isso tem impacto direto não só nos investimentos e nos negócios como também da economia real, ou seja, no nível de desemprego. O mundo financeiro e a economia real andam de mãos dadas", afirmou. Para o mercado, há mais oportunidades com a saída de Guedes do que com a permanência dele.

Quer investir melhor? Receba dicas em seu email

Você quer aprender a ganhar dinheiro com segurança em investimentos no curto, médio e longo prazo, mesmo que nunca tenha investido?

O UOL Economia+ tem uma newsletter que o ajuda nesse objetivo. Ao assinar a newsletter, você recebe de graça e semanalmente uma dica resumida sobre como aplicar melhor e com segurança seu dinheiro (abra este link, procure o título "UOL Economia+" e clique em "Cadastrar").

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.