PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Onde investir e quanto aplicar para ter renda de R$ 8.000 por mês?

Conteúdo exclusivo para assinantes

Colaboração para o UOL, em São Paulo

29/09/2021 04h00

Quem não quer ter uma renda mensal de R$ 8.000? Mas como conseguir esse valor todo mês? No Papo com Especialista, programa semanal e ao vivo do UOL, o economista César Esperandio explicou que há opções de investimentos que permitem essa renda mensal.

Veja abaixo quais são as opções e quanto você precisa investir para ter R$ 8.000 por mês, segundo o especialista. O Papo com Especialista é um tira-dúvidas sobre investimentos exclusivo para assinantes e é transmitido toda quinta-feira, às 15h.

Quanto maior a rentabilidade, maior o prazo

Segundo o economista, para conseguir resgatar R$ 8.000 todo mês, o investidor precisa ter uma aplicação total de, no mínimo, R$ 800 mil. Isso porque, o valor a ser sacado todo mês precisa equivaler a, no máximo, 1% do valor total investido.

Para conseguir isso, o investidor precisa garantir uma rentabilidade da carteira de investimentos de 1% ao mês —ou entre 12% e 13% ao ano — para que esses R$ 800 mil não se esgotem e seja possível usufruir dos R$ 8.000 mensais para sempre.

Nessa conta, o economista não considera a inflação. Segundo Esperandio, para considerar a inflação, é preciso garantir de 12% a 13% ao ano de rentabilidade acima do IPCA (indicador oficial da inflação no país) —investimento que, se existir no mercado, apresentará grandes riscos aos investidores.

O economista lembra a relação entre rentabilidade, risco e liquidez (o tempo que você pode esperar para sacar o dinheiro). Quanto maior a rentabilidade de um investimento, maior será o risco dele e, provavelmente, menor será a liquidez.

Por isso, para acumular em torno de R$ 800 mil, a uma boa rentabilidade (1% ao mês, por exemplo), o especialista reforça que as opções serão de longo prazo.

Mas existe investimento que paga 1% ao mês?

Para encontrar investimentos com essa rentabilidade, Esperandio fez uma busca de CDBs na plataforma do APP Renda Fixa, mas você pode buscar no aplicativo da sua corretora. Entre os títulos disponíveis, havia um CDB prefixado com rentabilidade de 13% ao ano.

"Ao investir R$ 800 mil nesse CDB, você já teria uma rentabilidade de pouco mais de 1% ao mês", disse ele, que também é do canal Econoweek.

O economista explicou, no entanto, que a recomendação para você ter a rentabilidade garantida é fazer o resgate apenas na data de vencimento. "Na renda fixa, você não vai encontrar um título que pague essa rentabilidade de 1% ao mês e que possa resgatar a qualquer momento", explicou.

No mercado existem opções de CDBs prefixados que pagam 13,05% e 12,85% ao ano (na Rico), 13%, 12,75% ou mesmo 12,70% ao ano (na Órama), de 12,60% e 12,50% ao ano (na Nova Futura Investimentos), de 12,49% e 12,41% ao ano (no BTG Pactual Digital), para ficar em alguns exemplos.

Nesses exemplos, a liquidez é apenas no vencimento. Ou seja, não é possível resgatar antes, só na data do vencimento, que é de mais de quatro anos nesses casos. É aquela regra reforçada por Esperandio: quanto maior o rendimento, maior é o prazo do investimento.

Por isso, o investidor precisa estar atento e investir nesse tipo de ativo apenas o dinheiro que não faz parte da reserva de emergência.

Outro ponto de atenção é a classificação de risco (rating). Boa parte desses CDBs não tem classificação de risco.

Essa classificação diz quais são as chances de o banco que está emitindo aquele CDB dar calote no investidor. Quem faz essa classificação são agências de risco e ela não é obrigatória. Por isso, atenção!

O mesmo vale para LFs (Letras Financeiras), LCIs (Letras de Crédito Imobiliários) e LCAs (Letras de Crédito Agrícola). Há opções que pagam acima de 11% prefixado, mas o investidor precisa estar atento ao prazo de vencimento e à classificação de risco do banco que está emitindo esses papéis.

Mas há opções mais seguras, que estão pagando acima de 10% ao ano (acima de 0,8% ao mês). É o caso do Tesouro Prefixado 2024, que está pagando 10,22% ao ano, Tesouro Prefixado 2026, que está pagando 10,49% ao ano e Tesouro Prefixado 2031, com juros semestrais, que já está pagando 11,08% ao ano.

Vale ressaltar que as condições de investimentos citadas aqui são referentes ao dia 28 de setembro. As taxas podem variar de um dia para o outro.

Fundos imobiliários são outra opção

O economista explicou ainda que outra opção de investimentos com possibilidade de ganhos mensais são os fundos imobiliários, ativos da renda variável.

"Tipicamente, eles pagam o rendimento mensalmente, se houver recebimento de aluguéis. Nem sempre isso acontece. Por exemplo, na pandemia eles provisionaram os valores, sem repassar o rendimento mensal. Como investidor, você está sujeito a essas situações", explicou Esperandio.

E qual seria o rendimento de um fundo imobiliário?

Esperandio disse que a rentabilidade de um fundo imobiliário conservador é em torno de 0,5% e 0,6% ao mês, mas alguns chegam a 1% ao mês ou até mais. "Como é um ativo da renda variável, você não tem certeza de que vai receber isso todos os meses", afirmou.

Papo com Especialista é toda quinta-feira

O programa Papo com Especialista é transmitido às quintas-feiras, das 15h às 16h, na página inicial do UOL, no UOL Economia e na página de Investimentos, e é exclusivo para assinantes. Reveja programas anteriores aqui.

Você pode enviar perguntas ao Papo pelo e-mail uoleconomiafinancas@uol.com.br —elas podem ser respondidas no programa.

Quer investir melhor? Receba dicas em seu email

Você quer aprender a ganhar dinheiro com segurança em investimentos no curto, médio e longo prazo, mesmo que nunca tenha investido?

A página de investimentos do UOL tem uma newsletter gratuita que o ajuda nesse objetivo. Ao assinar, você recebe todos os dias, antes da abertura da Bolsa, uma análise do mercado feita pelo analista Felipe Bevilacqua, da casa Levante Ideias de Investimentos. Com essa newsletter, você vai aprender a investir e entender o que está acontecendo com o mercado.

Além da newsletter diária, você também recebe, semanalmente, uma análise sobre investimentos, com dicas sobre como aplicar melhor e com segurança seu dinheiro. Para assinar a newsletter gratuita de investimentos do UOL, é só clicar aqui.

Tem dúvidas sobre ações, fundos e outros investimentos da Bolsa? Envia sua pergunta para duvidasparceiro@uol.com.br.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.

PUBLICIDADE