PUBLICIDADE
IPCA
0,73 Dez.2021
Topo

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Onde é melhor investir com os juros em 9,25% ao ano?

Conteúdo exclusivo para assinantes

Colaboração para o UOL, em São Paulo

15/12/2021 04h00

Com a alta da taxa Selic, que subiu de 7,75% para 9,25%, muitos investidores estão se perguntando onde é melhor investir com esse aumento dos juros. No Papo com Especialista da última quinta-feira (9), programa semanal e ao vivo do UOL, o economista César Esperandio mostrou como os títulos são impactados pela Selic e como deve ficar a sua estratégia de investimento.

Segundo ele, para quem tem dinheiro para investir, vale aproveitar a renda fixa, que tende a pagar mais.

Leia abaixo a análise do economista e assista ao programa completo, que é um tira-dúvidas sobre investimentos exclusivo para assinantes e transmitido quinzenalmente, às quintas-feiras, das 15h às 16h.

Mudança na taxa Selic para conter a inflação

O aumento da Selic foi decidido na última reunião do Copom (Comitê de Política Monetária), do Banco Central, realizada nos dias 7 e 8 de dezembro.

Segundo Esperandio, o Banco Central já sinalizou que na próxima reunião (no início de fevereiro) a taxa de juros deve ter novo ajuste, podendo subir para 10,75% ao ano.

O economista explica que a taxa Selic está subindo para conter a alta dos preços. "A Selic é uma ferramenta do Banco Central para controlar a alta da inflação", afirmou.

O que muda para os investimentos?

"Para investimentos em renda fixa, o cenário muda bastante em termos de rentabilidade", disse o economista, que é também do canal Econoweek.

Os títulos do Tesouro Selic, uma das modalidades do Tesouro Direto, são diretamente impactados, pois são atrelados diretamente à taxa de juros.
Na plataforma do Tesouro Direto:

  • Tesouro Selic 2024: paga a Selic mais um bônus de 0,11%. Total: 9,36% ao ano.
  • Tesouro Selic 2027: paga a Selic mais um bônus de 0,25%. Total: 9,5% ao ano.

"A gente está quase na casa dos dois dígitos, se aproximando de quase 1% ao mês no investimento mais seguro do país, com liquidez diária e indicado para a reserva de emergência. É uma rentabilidade excelente", declarou o economista.

Mudança no rendimento da poupança

A rentabilidade da poupança também mudou com a nova taxa da Selic. Quando a Selic ultrapassa o patamar de 8,5% ao ano, o rendimento da poupança fica travado em 6,17% ao ano (cerca de 0,5% ao mês).

Para comparar Tesouro Selic com poupança, Esperandio fez a seguinte simulação:

Tesouro Selic 2027 (data de resgate em 1º/3/2027):
- Investimento inicial: R$ 10 mil
- Aportes mensais: R$ 500
- Valor bruto: R$ 52.606,07
- Valor líquido (descontados o Imposto de Renda e a taxa da B3): R$ 50.395,01

Se você fizer o mesmo investimento na poupança, o saldo final seria de R$ 48.360,49. "Mesmo não tendo incidência de Imposto de Renda, a poupança rende menos. Uma diferença de mais de R$ 2.000", disse o economista.

Onde investir com a Selic a 9,25% ao ano

Esperandio diz que essa alta da Selic (de 7,75% para 9,25% ao ano) não deve impactar tanto a sua estratégia de investimento.

Segundo ele, para quem tem dinheiro para investir, vale aproveitar a renda fixa, que tende a pagar mais. "Para a reserva de emergência, a recomendação é Tesouro Selic e também títulos da renda fixa privada, como CDBs, desde que tenham liquidez diária e que paguem ao menos 100% do CDI. Você vai começar a encontrar títulos com rentabilidades cada vez melhores", explicou.

Na renda variável, o primeiro passo costumar ser investir em fundos imobiliários. "Os mais rentáveis hoje chegam a pagar 1% ao mês de dividendos, o que equivale a um aluguel. Mas vale investir em fundos imobiliários se a renda fixa está pagando quase a mesma coisa? Vai depender muito da sua estratégia para atingir os seus objetivos", afirmou.

Renda fixa privada tem título rendendo 14,5% ao ano

Na plataforma App Renda Fixa, é possível encontrar títulos com rentabilidade maiores que as do Tesouro Direto, como CDBs que estão pagando 14,5% ao ano, prefixado e com vencimento em cinco anos.

"É uma rentabilidade para ninguém botar defeito. Rende mais que 1% ao mês", disse Esperandio. Todos os CDBs são protegidos pelo FGC (Fundo Garantidor de Créditos).

Vale ressaltar que as condições de investimentos citadas no texto são referentes ao dia 9 de dezembro. As taxas podem variar de um dia para o outro.

Papo com Especialista é quinzenal

O programa Papo com Especialista é transmitido às quintas-feiras, quinzenalmente, das 15h às 16h, na página inicial do UOL, no UOL Economia e no UOL Investimentos, e é exclusivo para assinantes. Reveja programas anteriores aqui.

Você pode enviar perguntas ao Papo pelo e-mail uoleconomiafinancas@uol.com.br —elas podem ser respondidas no programa.

Quer investir melhor? Receba dicas em seu email

Você quer aprender a ganhar dinheiro com segurança em investimentos no curto, médio e longo prazo, mesmo que nunca tenha investido?

A página de investimentos do UOL tem uma newsletter gratuita que o ajuda nesse objetivo. Ao assinar, você recebe todos os dias, antes da abertura da Bolsa, uma análise do mercado feita pelo analista Felipe Bevilacqua, da casa Levante Ideias de Investimentos. Com essa newsletter, você vai aprender a investir e entender o que está acontecendo com o mercado.

Além da newsletter diária, você também recebe, semanalmente, uma análise sobre investimentos, com dicas sobre como aplicar melhor e com segurança seu dinheiro. Para assinar a newsletter gratuita de investimentos do UOL, é só clicar aqui.

Tem dúvidas sobre ações, fundos e outros investimentos da Bolsa? Envia sua pergunta para duvidasparceiro@uol.com.br.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.

PUBLICIDADE

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL