PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Fiz reserva de emergência no Tesouro; agora posso procurar outras opções?

Na hora de diversificar seus investimentos, há uma ordem de quais títulos investir primeiro? - Getty Images
Na hora de diversificar seus investimentos, há uma ordem de quais títulos investir primeiro? Imagem: Getty Images
Conteúdo exclusivo para assinantes

Colaboração para o UOL, em São Paulo

21/01/2022 04h00

Você montou sua reserva de emergência no Tesouro Direto e agora quer começar a diversificar. Mas a dúvida é se pode ir direto para outros tipos de aplicação mais arriscadas e rentáveis ou deve investir em todos os títulos do Tesouro Direto primeiro? No Papo com Especialista, programa ao vivo do UOL, o economista César Esperandio diz que, para diversificar, é bom entrar em mais categorias de investimentos.

"Ao investir em títulos da renda fixa privada, por exemplo, você também tem proteção e excelentes rentabilidades, com prazos de vencimentos até mais flexíveis", afirmou.

Leia a explicação dele e assista abaixo ao trecho do programa do dia 13 de janeiro. O Papo com Especialista é um tira-dúvidas sobre investimentos exclusivo para assinantes e é transmitido toda quinzenalmente, às quintas-feiras, das 15h às 16h.

Modalidades do Tesouro Direto

O Tesouro Direto tem três modalidades de títulos: Tesouro Selic, Tesouro Prefixado e Tesouro IPCA.

Para a reserva de emergência, o mais recomendado são os títulos do Tesouro Selic, por ter liquidez imediata e rentabilidade garantida. Atualmente, estão sendo ofertados dois títulos do Tesouro Selic na plataforma do Tesouro Direto: Tesouro Selic 2024 e Tesouro Selic 2027.

Os títulos do Tesouro Prefixado ofertados têm vencimentos em 2024, 2026 e 2031. Já os títulos do Tesouro IPCA vencem a partir de 2026, indo até 2055.

Esperandio diz que, para garantir a rentabilidade combinada nesses títulos, você precisaria fazer o resgate apenas na data do vencimento.

"E se você quiser aplicações que vencem antes disso? Onde encontrar esses títulos? Na renda fixa privada", explicou o economista, que também é do canal Econoweek.

Opções na renda fixa privada

Ele indicou a plataforma do App Renda Fixa, para você consultar títulos disponíveis com datas de vencimentos de curto, médio e longo prazo.

"Na renda fixa privada, você encontra investimentos com boas camadas de proteção, como CDBs, LCIs, LCAs e outras aplicações que são protegidos pelo FGC [Fundo Garantidor de Créditos] até R$ 250 mil, além de excelentes rentabilidades", afirmou ele.

Vale ressaltar que as condições de investimentos citadas aqui são referentes ao dia 13 de janeiro. As taxas podem variar de um dia para o outro.

Papo com Especialista é quinzenal

O programa Papo com Especialista é transmitido às quintas-feiras, quinzenalmente, das 15h às 16h, na página inicial do UOL, no UOL Economia e no UOL Investimentos, e é exclusivo para assinantes. Reveja programas anteriores aqui.

Você pode enviar perguntas ao Papo pelo e-mail uoleconomiafinancas@uol.com.br —elas podem ser respondidas no programa.

Quer investir melhor? Receba dicas em seu email

Você quer aprender a ganhar dinheiro com segurança em investimentos no curto, médio e longo prazo, mesmo que nunca tenha investido?

A página de investimentos do UOL tem uma newsletter gratuita que o ajuda nesse objetivo. Ao assinar, você recebe todos os dias, antes da abertura da Bolsa, uma análise do mercado feita pelo analista Felipe Bevilacqua, da casa Levante Ideias de Investimentos. Com essa newsletter, você vai aprender a investir e entender o que está acontecendo com o mercado.

Além da newsletter diária, você também recebe, semanalmente, uma análise sobre investimentos, com dicas sobre como aplicar melhor e com segurança seu dinheiro. Para assinar a newsletter gratuita de investimentos do UOL, é só clicar aqui.

Tem dúvidas sobre ações, fundos e outros investimentos da Bolsa? Envia sua pergunta para duvidasparceiro@uol.com.br.

Este material é exclusivamente informativo, e não recomendação de investimento. Aplicações de risco estão sujeitas a perdas. Rentabilidade do passado não garante rentabilidade futura.